O Fundo de Investimento Imobiliário More Real Estate Fundo de Fundos (MORE11), administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM, divulgou o seu relatório gerencial do mês de novembro, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O início do MORE11 foi em 30 de janeiro de 2020, e seu objetivo é auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de Fundos de Investimentos Imobiliários (FII) e outros ativos ligados ao mercado imobiliário. Sua taxa de administração é de 1,00% ao ano, enquanto a taxa de performance é de 20% sobre a variação do IGPM + 3% ou 4,5%, dependendo o que for maior entre os dois no período de apuração.

O fundo diz que no mês de novembro, o IFIX teve um retorno negativo de 3,63%. Nesse mesmo período, a cota patrimonial do MORE11, somado aos dividendos, teve um retorno negativo de 2,78%. Assim, se obteve um retorno superior ao índice de referência.

Portfólio do More Real Estate Fundo de Fundos

O MORE11 comprou no mês de novembro o fundo de CRI da Suno, o SNCI11, representando 2,3% da carteira. O fundo em questão tem um bom histórico de gestores e de fundos geridos por eles no passado.

Assim, o fundo diz que acredita que “a força institucional da Suno fará diferença na cotação no mercado secundário”. Outra aquisição do fundo foi o APTO11, aumentando está posição em 3,4% da carteira. Este é um fundo híbrido que o MORE11 acredita ter um grande potencial de médio prazo.

Uma parcela da carteira deve ser alocada em alguns CRIs de médio risco, enquanto a parcela de maior relevância vai ser usada na compra de unidades residenciais com preços de 20% a 30% abaixo do mercado atual de São Paulo.

Entre as vendas do fundo, se destaca o TORD11, com o desinvestimento de 0,6% da carteira. Outra venda foi de 1,8% da carteira do fundo VSLH11. Nesse caso, o fundo encerrou a posição no fundo TORD11 e diminuiu a exposição ao VSLH para “um patamar abaixo de 5% que julgamos confortável”, afirmou o fundo.

O MORE11 diz que está envolvido na tese do VSLH11 desde sua primeira oferta. Nesse período, o fundo aumenta e diminui a posição diversas vezes nesse ativo, algo que trouxe um bom ganho de capital de “trading” para o fundo em 2021.

Carteira e resultado do MORE11

A distribuição da alocação do fundo por segmento fica da seguinte forma:

  • Fundos de CRI - 27,79%;

  • Lajes Comerciais - 23,30%;

  • Logístico - 18,30%;

  • Fundos Estruturados - 10,34%;

  • Shopping - 7,21%;

  • Hotel - 3,50%;

  • Varejo - 3,30%;

  • Educacional - 2,20%;

  • Fundo de Fundos - 2,21%;

  • Incorporação - 1,04%;

  • Caixa - 0,15%.

Acompanhe as mudanças nessa alocação do MORE11 entre os meses de outubro e novembro através dos gráficos:

MORE11 anuncia resultado e rendimento mensal de novembro de 2021

O patrimônio líquido do fundo ao final do mês de novembro foi de R$ 202,66 milhões, de modo que se tem um valor por cota somado aos rendimentos a distribuir de R$ 88,04. O dividendo no mês foi de R$ 0,65 por cota, com o número de cotistas atingindo a marca dos 11.492 investidores.

O total de ganho de capital do MORE11 no mês alcançou a marca dos R$ 39,48 mil, de modo que as despesas foram de R$ 114,5 mil. Assim, o resultado mensal (lucro) foi de R$ 1,3 milhão.