A gestora Rio Bravo Investimentos divulgou relatório gerencial do FII ONEF11, fundo que possui por ativo 44% do edifício The One, no Itaim Bibi, em São Paulo.

ONEF11 alcança estabilidade e mostra resultados de janeiro de 2021

O relatório aponta que os rendimentos do fundo no mês foram de R$ 0,62 por cota, bem como que a distribuição foi de R$ 0,64 por cota.

Assim, o resultado médio esperado para o semestre é de R$0,65 por cota, devido à redução por completo do custo de vacância.

A taxa de vacância diz respeito às reduções nos rendimentos provocadas pela ausência de locação de parte ou da integralidade dos imóveis que compõem os ativos do fundo.

Dessa forma, a distribuição anunciada está em linha com a estabilidade do resultado no semestre.

Últimas Atualizações do ONEF11

O relatório trouxe, ainda, a descrição das últimas negociações, que garantiram a estabilidade projetada dos rendimentos do ONEF11, conforme imagem abaixo.

ONEF11 alcança estabilidade e mostra resultados de janeiro de 2021

São elas:

  • Janeiro de 2021 – Locação dos conjuntos 71 e 72 para a empresa de seguros Austral, levando o fundo a ter ocupação de 100%.
  • Dezembro de 2020 – Renovação do contrato de locação com a Turner, ocupante do 1º e 2º andar do edifício, por 5 anos, com aumento de aproximadamente 4% no valor da locação.
  • Setembro de 2020 – Renovação do contrato de locação com o Banco do Brasil, ocupante do 10º andar do edifício, por 5 anos.

Fim da vacância

No dia 27 de janeiro, o fundo divulgou ao mercado fato relevante para informar a assinatura do contrato de locação dos conjuntos 71 e 72, localizados no sétimo andar do edifício.

Para tanto, a empresa de seguros Austral assinou contrato com o fundo pelo prazo de 5 anos.

Dessa forma, o impacto por cota no resultado do fundo após o período de carência é de, aproximadamente, R$0,11 por cota.

Além disso, o índice de reajuste pactuado foi o IGPM (FGV).

Assim, o fundo passa a ter todos os seus conjuntos locados. Sem vacância, portanto.

Ainda, com a celebração do novo contrato pela Austral, aliado às renovações dos demais locatários, o cronograma de vencimentos dos contratos foi estendido de forma significativa.

Por sua vez, as renovações ocorreram no último semestre de 2020 e por um período de 5 anos.

Todos os contratos têm vencimentos previstos a partir de 2023, com 90% dos vencimentos entre os anos de 2025 e 2026.

Assim, com a locação e as revisionais concluídas, a gestão acredita ter captado as melhores condições de mercado para o fundo e seus cotistas.

Para tanto, considera tanto os valores financeiros dos contratos de locação, quanto o risco de crédito de cada um dos locatários.

Assim, a gestão entende seguros os contratos firmados.

O ativo tem se mostrado resiliente e capaz de atrair e manter locatários de qualidade, mesmo no atual momento.

Por essa razão, a gestão entende que os ocupantes atuais têm demonstrado que suas operações podem atravessar momentos adversos como os do último ano.

Assim,  entende-se segura a manutenção do rendimento distribuído pelo fundo.

Finalmente, agora com a inexistência de vacância física, o fundo aumentará a distribuição após o período de carência concedido para o novo locatário.