O Fundo de Investimento Imobiliário Polo FII Recebíveis Imobiliários II (PORD11), administrado pela Oliveira Trust DTVM S.A., divulgou nesta quarta-feira (13) o seu relatório gerencial do mês de dezembro, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O PORD11 tem como objetivo alcançar ao cotista um retorno superior ao benchmark, investindo em uma carteira de recebíveis imobiliários de baixo risco. O portfólio do fundo consiste principalmente em certificado de recebíveis pulverizados com garantias em imóvel performado.

Assim, o portfólio do Polo FII Recebíveis Imobiliários II conta também com Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) corporativos com alienação fiduciária de imóvel performado ou cessão de recebíveis, além de CRIs lastreados em cessão de rendas de aluguel.

A taxa de administração do PORD11 é de 0,9% ao ano, enquanto a taxa de performance é de 15,0% do que exceder o Yield diário do IMA-B divulgado pela ANBIMA. O pagamento disso acontece até o 5º dia útil de cada mês.

Portfólio do Polo FII Recebíveis Imobiliários II

O PORD11 destaca que no mês de dezembro o fundo segue “promovendo mudanças importantes na carteira, como já havíamos antecipado no relatório de novembro”. O fundo continua com movimentos de realização. Assim, se alienou a debênture de Trisul e o CRI Helbor, levantando caixa para as emissões que foram liquidadas no fim do ano.

Na composição do portfólio, o breakdown da carteira se divide em:

  • CRI Corporativo Única - 50%;
  • CRI Pulverizado Sênior - 19%;
  • CRI Corporativo Sênior - 11%;
  • FII - 10%;
  • CRI Pulverizado Única - 7%;
  • Caixa - 3%.

Por indexador, a carteira do PORD11 se distribui da seguinte forma:

  • IPCA - 49%;
  • CDI+ - 23%;
  • IGP-M - 10%;
  • FII - 10%;
  • PRE - 5%.
  • Caixa - 3%.

O HCTR11 divulgou o relatório gerencial do mês de junho de 2021. Veja os resultados, rendimentos e a atualização de portfólio do HCTR11.

Entre os CRIs adquiridos pelo fundo durante o mês, se tem o CRI Arena MRV - CDI+5,25%. O fundo diz que essa operação inclui consigo a última tranche de financiamento da obra da Arena MRV.

Outra aquisição foi o CRI Comfrio Stocktech - CDI+6,0%. O fundo diz que conhece “muito bem a companhia”, já tendo ancorado um CRI que inicia amortização no 1º trimestre de 2022”.

Outra compra é o CRI Direcional pró-soluto 2 - CDI+3,5%. Esta é a segunda rodada da operação de securitização de créditos pró-soluto, que segundo o PORD11, está “nos mesmos moldes da transação de dezembro de 2020 que inaugurou este mercado”.

Resultados e rendimentos do PORD11

A distribuição referente a dezembro de 2021 é de R$ 1,08 por cota. O fundo diz que a performance da cota do fundo foi positiva em 1,42%, acumulando 12,36% no ano de 2021 e 167,24% desde o início do PORD11. O patrimônio líquido do fundo é de cerca de R$  370,48 milhões. O número de cotistas alcançou a marca dos 14.059.

O total de ativos do PORD11 em dezembro foi de R$ 4,27 milhões, que vem principalmente dos juros de CRI, que totalizou R$ 4,356 milhões. Enquanto isso, foi R$ 4,02 milhões em resultado total. O rendimento total distribuído também foi de R$ 4,026 milhões, entre 3.728.375 de cotas emitidas até então.