A administradora de fundos Rio Bravo Investimentos DTVM Ltda., do fundo imobiliário Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) comunicou ao mercado e aos cotistas nesta sexta-feira (16), através de fato relevante, a celebração de um aditivo ao contrato de locação de imóvel não residencial com a Cervejaria kaiser Brasil S.A.

Essa celebração do Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) ocorreu no dia 16 de abril de 2021, em cumprimento ao disposto na Instrução CVM n° 472/08, conforme foi alterada, assim como de acordo com a sua política de divulgação de fatos relevantes.

Além disso, esse aditivo do contrato de locação do RCRB11 se refere aos conjuntos 52, 61, 62, 63, 64, 71, 72, 73 e 74 do Edifício Continental Square. As alterações realizadas nas condições comerciais também foram detalhadas pelo fundo através deste fato relevante.

Mudanças no contrato de locação

Uma dessas mudanças se refere ao valor de locação do imóvel do RCRB11, que com efeitos retroativos ao dia 1º de janeiro de 2021, o valor será reajustado, no âmbito da revisão trianual locatícia, prevista na lei do inquilinato, com aumento de cerca de 55% no valor de locação por metro quadrado.

Importante dizer também que ocorreu a redução dos conjuntos ocupados a partir de março de 2021, sendo assim, a locatária desocupará os conjuntos 52, 71, 72, 73 e 74 do imóvel do Rio Bravo Renda Corporativa, que corresponde a um total de 2.761,73 m², com pagamento integral de encargos e locação até a efetiva desocupação e pagamento de multa por rescisão antecipada.

O RCRB11 ressalta que fará jus ao recebimento de R$ 0,1416 por cota, que se refere ao aumento da locação proporcional desde o mês de janeiro, considerando também as multas de rescisão. A locatária permanecerá ocupando 2.198,88 m² do imóvel, que corresponde aos conjuntos 61, 62, 63 e 64, ou o 6º andar, cerca de 5,3% da área total do fundo.

As metas da equipe de gestão para o RCRB11

Durante o período de julho de 2020, no material de apoio da 8ª emissão de cotas do Rio Bravo Renda Corporativa, a Rio Bravo divulgou as metas da equipe de gestão, de modo que “uma delas é a revisional dos conjuntos ocupados e aumento do valor de locação médio dos empreendimentos”, relata o fundo.

No mesmo documento citado anteriormente, o RCRB11 ressalta que foi divulgada uma meta de preço médio para o Imóvel nos próximos três anos. Além disso, “as condições comerciais da locação com a Heineken superam os requisitos de preço pré-definidos nas referidas metas”, diz o fundo.

O Rio Bravo Renda Corporativa ainda diz que está envidando melhores esforços para locar os espaços que ficarão vagos. Além disso, por conta dos eventos citados, a taxa de vacância dos imóveis que compõem o patrimônio do fundo passou a ser de 14,0%, número que está abaixo da média de mercado, segundo dados da Buildings.

Um ponto importante dito pelo RCRB11 é que a “revisional do valor de locação do imóvel em parâmetros compatíveis com o mercado, mesmo durante a pandemia de Covid-19, demonstra a capacidade de geração de renda imobiliária sustentável e de longo prazo dos ativos do fundo, que possuem excelente qualidade e localização e, com isso, conseguem atrair inquilinos de alta qualidade”.

O Rio Bravo Renda Corporativa ainda acrescenta a informação que a CBRE foi quem os assessorou na transação. Por fim, o fundo explica que a distribuição de rendimentos do RCRB11 pode ser linearizada com base no fluxo de caixa gerado no semestre, podendo assim ser suportada na diferença de 5% do resultado em regime de caixa.