O Fundo de Investimento Imobiliário Rio Negro (RNGO11), administrado pela instituição Rio Bravo Investimentos, divulgou nesta sexta-feira (26) o seu relatório gerencial do mês de janeiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu posicionamento estratégico de investimentos.

O valor da cota do RNGO11 até o fechamento do mês de janeiro foi de R$70,39. Esse valor corresponde a relação do total do valor de mercado do fundo de aproximadamente R$188,36 milhões pelo número de cotas emitidas, que foi cerca de 2,68 milhões no mesmo período.

A título de comparação, a cota registrada no fechamento do ano de 2020 havia registrado o valor de R$102,28. Para isso, o valor de mercado da época foi de R$273,70 milhões, enquanto a quantidade de cotas era a mesma de janeiro, de quase 2,68 milhões.

Sobre a liquidez do Rio Negro, o volume negociado foi de R$7,10 milhões, totalizando um giro de 3,70% em cotas negociadas. Nos últimos 12 meses esse mesmo volume atingiu R$90,81 milhões, representando 45,35% de giro nas cotas.

O total da receita imobiliária e financeira do RNGO11 em janeiro foi de R$1,35 milhão, enquanto no acumulado dos últimos 12 meses foi de R$17,21 milhões. Com isso, o resultado foi de cerca de R$1,10 milhão em janeiro, cerca de 7,83% dos quase R$14,13 milhões registrados no intervalo de 1 ano.

A Área Bruta Locável do RNGO11 é distribuída principalmente entre os 4 setores:

  • Tecnologia - 36%;
  • Moda - 15%;
  •  Cinema - 10%;
  • Seguradora - 10%

O restante da ABL também está distribuído em mais 6 setores, que apresentaram parcelas menores, que podem ser também ser vistas no gráfico a seguir:

RNGO11 anuncia resultados e rendimentos de janeiro

Resultados e rendimentos do RNGO11

O resultado por cota do Rio Negro alcançou a marca de R$0,4133 no primeiro mês de 2021. No mesmo período, o rendimento distribuído por cota foi de R$0,39, o que trouxe um resultado acumulado de R$0,0233.

A rentabilidade total do RNGO11, obtido através do método da cota ajustada, trouxe um resultado negativo em janeiro de 0,07%. Desde o início do fundo essa mesma rentabilidade foi de 49,96%.

Além disso, o relatório de janeiro do Rio Negro apontou a rentabilidade das distribuições rendimento, que vem da relação entre rendimentos pagos e o valor da cota adquirida no mercado secundário ao fim do mês anterior ao período correspondente.

Para esse tipo de rentabilidade descrita acima, o RNGO11 alcançou em janeiro 0,55%, enquanto no acumulado desde o início do fundo em 2012 totalizou 64,91%. O gráfico a seguir compara a rentabilidade do Rio Negro com o desempenho do índice IFIX e do CDI líquido:

RNGO11 anuncia resultados e rendimentos de janeiro

Análise do gestor do RNGO11

De acordo com a visão do gestor do RNGO11, os resultados descritos anteriormente estão marginalmente acima do esperado para o mês de janeiro. Isso ocorreu principalmente por conta do recebimento adiantado de um dos locatários, que por sua vez, representa 6,5% da receita ordinária do Rio Negro.

Além disso, o gestor do Rio Negro, também representado pela Rio Bravo Investimentos, lembra que no mês de janeiro, o RNGO11 não conta com a receita dos acordos de diferimento que foram realizados no auge da pandemia no Brasil. Esses acordos foram feitos nos meses de março, abril e maio de 2020.

Importante dizer que os acordos foram cumpridos e não há mais expectativa de que sejam necessários novos diferimentos. O gestor lembra que neste mês houve um imóvel com representação de 1,4% da receita ordinária do RNGO11, deixado pelo banco Bradesco.

Além disso, no início de fevereiro, a Quinta Onda disse que não tinha intenção de renovar seu contrato de locação de 610,92 m² e que representa 2,92% da receita ordinária do Rio Negro.

O gestor do RNGO11 disse que embora acredita ser saudável manter discussões sobre descontos e elaboração de acordos com os lojistas de galerias voltadas ao oferecimento de serviços no condomínio e que estão com dificuldades financeiras, essas concessões não devem ser realizadas no primeiro semestre de 2021, salvo em casos extraordinários que seja de benefício do fundo e dos cotistas.