A gestão do Valora RE III Fundo de Investimento Imobiliário (VGIR11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na última segunda-feira (15), os resultados do mês de fevereiro. Além disso, a Valora Gestão aproveitou para apresentar a movimentação de sua carteira de CRIs neste início de ano. 

Com foco em investimentos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), o fundo finalizou o mês de fevereiro com “98,8% de seu patrimônio líquido alocado em CRI, distribuídos em 40 diferentes operações, num total investido de R$431,3 milhões. Observe no gráfico abaixo:

No momento, não há outro tipo de investimento no portfólio do VGIR11, a não ser algum recurso em seu caixa. 

Diante disso, a Valora Gestão informou que, referente ao mês de fevereiro, o fundo distribuirá R$0,45 por cota. Observe na tabela abaixo os resultados do VGIR11:

tabela vgir11

O valor distribuído ao cotista equivale, segundo a gestora, “uma rentabilidade líquida de CDI + 5,34% ao ano (376,4% do CDI), com base no valor da cota no fechamento do mês de R$88,71.”

Movimentação da carteira do fundo

Em fevereiro, o VGIR11 realizou uma série de operações de compra e vendas de CRIs. Ao todo, foram 4 compras - que custaram R$25 milhões aos caixas do fundo: 

  • R$1,5 milhões do CRI Delfim Moreira 22S; 
  • R$1,5 milhões do CRI Delfim Moreira 23S;
  • R$1,0 milhão do CRI Altos de Trancoso;
  • R$21 milhões no CRI Raposo Shopping;

Na ponta vendedora, o fundo embolsou R$9,6 milhões na venda de um CRI.

Já no início do mês de março, o Valora RE III FII prosseguiu com a mesma tendência do mês anterior e fez mais aquisições de CRI, repare:

  • R$4 milhões adicionais do CRI Alfa Realty;
  • R$1,7 milhões adicionais do CRI Nova Barueri;

Avaliação do mês

A gestão do VGIR11 considerou as aquisições e realizações de lucros como positivas, pois  trouxe “ativos com melhores spreads e estruturas que possuam taxas de remuneração mínima, além de oportunidades pontuais de ativos vinculados a inflação”. 

Além disso, a Valora Gestão reforçou que todos os CRI da carteira estão em dia com os pagamentos (adimplentes), o que contribui com a saúde financeira do fundo. 

A gestão também comunicou aos cotistas o critério do fundo na escolha dos CRIs. No geral, a maior ênfase está nos ativos de maior liquidez e a alocação preferencial em CRIs indexados ao CDI + prêmio.

Obviamente, a diversificação de CRIs em variados segmentos do mercado também foi ressaltado pela Valora Gestão, entendo que “os fatores micro (localização, produto, inserção de mercado etc.) são os de maior influência para o mercado imobiliário, embora sempre tendo como pano de fundo fatores macroeconômicos”.

Observe a diversificação dos setores no gráfico abaixo:

grafico 2 vgir11

Conheça do VGIR11

O Valora RE III Fundo de Investimento Imobiliário (VGIR11) é um fundo do tipo papel, com o foco na compra CRIs. 

O VGIR11 possui patrimônio líquido de R$436 milhões e tem cerca de 23.705 cotistas. Os dividendos distribuídos em fevereiro corresponderam a R$0,45 centavos por cota.

Para quem deseja investir no VGIR11, o valor atual da sua cota é de R$92,70 (atualizado dia 15/03), sendo sua taxa de administração de 0,20% ao ano sobre o patrimônio líquido do fundo.