O Fundo de Investimento Imobiliário Vinci Imóveis Urbanos (VIUR11), administrado pela BRL Trust DTVM S.A. e gerido por Vinci Real Estate Gestora de Recursos LTDA., divulgou ao mercado e aos cotistas nesta quarta-feira (30), através de fato relevante, a compra da totalidade de dois câmpus universitários.

Importante dizer que até este momento, a nova aquisição do VIUR11 estão locados para a Universidade do Grupo Ânima Educação, que se localiza no Rio Grande do Sul. A aquisição da totalidade dos dois imóveis se deu pela transação na modalidade sale & leaseback. Estes imóveis se localizam em dois municípios, que são Porto Alegre e Canoas.

Além disso, ambos imóveis do Vinci Imóveis Urbanos estão locados pelo prazo de 15 anos para universidades que fazem parte do grupo Ânima Educação. Assim, ocorre que os 10 anos iniciais do contrato tem característica atípica.

VIUR11 anuncia compra de dois câmpus universitários

Saiba mais sobre a aquisição do VIUR11

O valor total da compra do VIUR11 é de quase R$ 171,39 milhões. Sobre este valor, a gestão do fundo tem a estimativa de um cap rate de 7,7%, levando em conta os próximos 12 meses. Do mesmo modo, se considera os efeitos da operação estruturada de alavancagem de forma simultânea a compra, que é um yield de 14,1% para o fundo.

O Vinci Imóveis Urbanos diz que “fará jus ao recebimento do aluguel a partir da aquisição, com um primeiro recebimento parcial ainda em junho”. Se trata da quinta compra feita pelo VIUR11, que terminou em menos de 1 mês a alocação total dos recursos que foram captados na 1ª emissão de cotas do fundo. Essa emissão se encerrou no dia 31 de maio de 2021.

Os valores de aquisição e locação foram de cerca de R$ 2.857 por m² e R$ 17,7 por m², de forma respectiva. Para esta compra, o VIUR11 vai desembolsar nesta data cerca de R$ 62,89 milhões, que corresponde a 37% do valor dos imóveis.

Mais informações do contrato do Vinci Imóveis Urbanos

O restante do valor será pago em parcelas durante os meses ao longo de 12 anos. Esses valores mensais serão corrigidos pelo índice inflacionário IPCA + 5,6% ao ano. Além disso, será feito com “pagamento parcial dos juros nos primeiros 4 anos e carência de principal pelos primeiros 12 meses”, conforme explicou o fundo.

Levando em conta o valor de locação recebido e a despesa de juros da alavancagem, a operação vai trazer um resultado de 14,1% sobre o valor total desembolsado para a compra dos imóveis nos primeiros 12 meses após a aquisição.

Do mesmo modo, a receita operacional líquida (NOI) que se espera para o período dos próximos 12 meses é em torno de 13,2 milhões. Esse valor corresponde a R$ 0,41 por cota ao mês. Descontando as despesas financeiras dessa operação estruturada de alavancagem, se tem R$ 0,29 por cota a mais ao resultado de caixa do VIUR11.