O XP Crédito Imobiliário FII (XPCI11), representado por sua gestora XP Vista Asset Management, comunicou nesta terça-feira (13), aos seus cotistas e ao mercado em geral, como foi feita a distribuição de rendimentos por cota. Também, a equipe gestora aproveitou para demonstrar sua interpretação da atual conjuntura econômica e explicar a movimentação de sua carteira de investimentos.  

A XP Asset informou os resultados referentes ao mês de março. Serão distribuídos R$ 0,90 por cota para os detentores de cotas do XPCI11. 

Observe abaixo os resultados com maiores detalhes:

XPCI11

Além disso, a gestora pontuou que esses resultados “representam aproximadamente 476,87% do CDI no período”. 

Atualmente, as alocações de CRI e FII estão divididas na seguinte proporção: 

  • CRI: R$ 483,83 milhões (75,1%); 
  • FII: R$ 64,02 milhões (9,9%); 
  • Caixa: R$ 96,25 milhões (14,9%);

No gráfico abaixo, é possível visualizar com maior clareza o portfólio do XPCI11:

XPCI11

Explicação da conjuntura econômica atual

Como é de praxe entre as equipes gestoras, a publicação do relatório gerencial também é uma oportunidade para interpretação do cenário econômico. Afinal, é por meio dessa leitura que as gestões explicam a resiliência dos fundos em momentos de dificuldades econômicas.

No mês de março, a XP Asset reforçou que houve  uma “forte abertura das curvas de juros e dos spreads com recomposição parcial do prêmio de risco ao longo da curva”. 

Somado a isso, o Copom optou por aumentar a taxa Selic, saindo de 2% para 2,75% a.a. 

Diante disso, a equipe gestora notou movimentos mais acentuados no mercado de CRIs e FIIs indexados ao CDI, “com investidores vislumbrando o impacto desse aumento de juros nos papéis”. 

Infelizmente, a situação de fragilidade econômica do país tem sido agravada pelos problemas sanitários causados pela pandemia do coronavírus. 

A gestora do XPCI11 demonstrou que o agravamento do número de casos e aumento das mortes no Brasil afetam o comércio e contribuem para a perda de confiança geral do mercado financeiro. 

No geral, ainda há bastante dúvidas quanto à situação fiscal do país e o controle do endividamento. 

Diante disso, a gestão informou que a cota patrimonial do XPCI11 sofreu desvalorização. O que explica isso é justamente a abertura das curvas de juros que impactam a marcação a mercado dos papéis. 

Movimentação da carteira de CRIs

A gestão deixou claro que, acima de tudo, o XPCI11 segue com sua estratégia de manter “um portfólio composto de CRIs com boa qualidade, com foco em originação e estruturação próprias”. 

Por esse motivo, o fundo realizou uma série de compras e vendas de ativos. Na ponta vendedora, a gestão deu destaque a venda total do CRI Mateus. Esta operação trouxe um ganho de capital de R$ 2,23 milhões. 

Na ponta compradora, o XPCI11 adquiriu o CRI Oba - Shopping Limeira, pagando R$ 4 milhões pelo ativo. 

Já no início do mês de abril, o fundo adquiriu o CRI General Shopping, a uma taxa de IPCA + 5,02% a.a. e volume de R$ 60 milhões. Mais detalhes desta aquisição a gestora tratará no próximo relatório gerencial. 

O portfólio de de CRI é composto atualmente por ativos de vários  setores da economia. A XP Asset afirmou está sempre em busca de diversificar o portfólio para reduzir ao máximo o risco, “dando sempre prioridade a setores mais resilientes aos ciclos econômicos em casos de papéis mais longos”. 

Por fim, a gestão informou que no “book de CRI os rendimentos recebidos pelo fundo foram de R$ 6,17 milhões”. 

Portfólio de fundos imobiliários do XPCI11

Em relação à carteira de FIIs, o destaque está na venda do RBRR11, que gerou ganho de capital de aproximadamente R$ 57 mil.

Com esta venda, veja como ficou o portfólio de FIIs do XPCI11:

XPCI11

De maneira geral, o foco do XPCI11 está na aquisição de fundos de papel. Na visão da XP Asset, “são de maior resiliência, com composição majoritária de papéis high grade e middle risk”. 

Também, a equipe gestora segue com a tese de que o FII de shopping está no portfólio do fundo “trará ótimos ganhos de capital, ainda que os preços médios de aquisição pelo fundo estejam abaixo dos atuais patamares”. 

Conheça o XPCI11

O XP Crédito Imobiliário FII é um fundo de papel, com o objetivo é rentabilizar pela aplicação de seus recursos em ativos financeiros com lastro imobiliário, tais como CRI, Debênture, LCI, LH e cotas de FIIs.

Desta maneira, o fundo possui patrimônio líquido de R$637 milhões e tem cerca de 6.567.011 de cotas emitidas. 

Para quem deseja investir neste XPCI11, o preço atual do valor de uma cota é de R$96,99 (valor atualizado dia 13/04), sendo sua taxa de administração de 1,00% a.a. (mínimo de R$ 40 mil mensais).