Dividendos dos FIIs: Entenda tudo sobre essa renda passiva!

Superando os das ações, os dividendos dos FIIs têm colocado essa modalidade em destaque nos últimos anos como uma das melhores formas de investir - principalmente para os brasileiros, que já estavam no mercado imobiliário há tanto tempo.

Mas você sabe como tudo isso funciona e porquê os dividendos dos FIIs são tão vantajosos? Para entender, acompanhe os próximos tópicos!

O que são os dividendos?

Se você começou a investir agora (ou está interessado em começar) e ainda não sabe muito bem o que são os dividendos ou porquê eles são tão importantes, não se preocupe: te explicaremos agora mesmo.

Os dividendos são, basicamente, uma parcela do lucro apurado por uma sociedade anônima. Este lucro é, então, repartido e distribuído aos investidores como uma forma de remuneração.

Esta remuneração pode ser entregue de diversas formas: dinheiro, direitos de propriedades ou até ações. A periodicidade pode variar entre anual, semestral, trimestral ou até mesmo mensal.

No Brasil, todas as empresas de capital aberto têm a obrigação de pagar, no mínimo, 25% de seu lucro líquido aos investidores na forma de dividendos - e é por isso que é tão comum ver empresas que distribuem esse tipo de remuneração.

No entanto, 25% é a porcentagem mínima obrigatória, e existem empresas que pagam valores muito mais altos. É daí que vem a busca dos investidores pelos melhores dividendos - e os FIIs também oferecem esse pagamento.

Então, todos os Fundos Imobiliários pagam dividendos?

dividendos-dos-fiis

Sim! Todos os Fundos Imobiliários também devem distribuir um certo valor em dividendos aos seus investidores.

Na verdade, quando se trata dos FIIs, a legislação estipula que ao menos 95% do resultado financeiro seja distribuído a cada trimestre. Então, tenha em mente que os dividendos de cada FII não são fixos e dependem de seu desempenho.

Ressaltamos, também, que essa obrigatoriedade vale para todos os tipos de Fundos Imobiliários:

  • FIIs de Tijolo (aqueles que investem em imóveis físicos visando o lucro através de aluguéis);
  • FIIs de Papel (investem em títulos do mercado imobiliário, como as Letras de Crédito Imobiliário e outros);
  • E até os FIIs híbridos (estes mesclam os investimentos em imóveis físicos e em títulos imobiliários).

Normalmente, o pagamento dos dividendos dos FIIs aos cotistas ocorre mensalmente, sendo um valor isento de Imposto de Renda para qualquer Pessoa Física (falaremos mais sobre isso daqui a pouco).

No entanto, apesar de ser bastante comum que os dividendos dos FIIs sejam distribuídos de forma mensal, tenha em mente que a periodicidade não é algo pré-determinado. Ela pode ser escolhida e, por isso, há sempre a chance de que seja diferente de acordo com o Fundo.

Portanto, se a entrega dos dividendos forem considerados uma prioridade para você, é interessante que se verifique sempre a data de pagamento dos mesmos antes de iniciar o investimento em qualquer FII. 

Como saber se um FII paga bons dividendos?

É natural que essa dúvida venha. No entanto, por serem fundos de renda variável, os FIIs são um tanto quanto imprevisíveis. Por isso, não é possível prever o valor exato dos dividendos de um fundo.

Por sofrerem suas variações conforme a oscilação do mercado, os FIIs não nos dão a possibilidade de prever os lucros futuros com exatidão, como acontece nos investimentos de renda fixa. Da mesma forma, os preços das cotas também sofrem alterações constantemente.

Portanto, a melhor forma de analisar a constância e estabilidade de um FII nesse quesito é checar seu histórico de pagamento de dividendos.

Ao fazer isso confira os valores dos últimos meses e anos. Assim, por mais superficial que seja, é possível ter uma ideia de como funciona a dinâmica do FII - e, claro, imaginar como serão os próximos meses ou anos.

Faça isso com todos os Fundos nos quais você tem interesse e, então, conseguirá ter uma noção muito melhor de qual deles apresenta o melhor desempenho.

Entenda como funciona a tributação dos dividendos dos FIIs

Apesar de existir a cobrança de uma alíquota em alguns casos quando se trata do investimento em FIIs, os dividendos recebidos pelos cotistas continuam isentos de qualquer tipo de cobrança de taxas.

Os FIIs sempre devem ser declarados, no entanto, só há a cobrança de IR quando o investidor é Pessoa Jurídica, possui mais de 10% do total de cotas do fundo ou se o FII não tiver o mínimo de 50 cotistas.

Fora isso, é preciso realizar o pagamento da alíquota de 20% apenas caso haja a venda de cotas ou qualquer outra operação que gere lucro. O pagamento do tributo é feito mensalmente.

Ou seja: por mais altos que sejam os dividendos recebidos por um investidor de qualquer FII, a vantagem continua a mesma: esse pagamento é isento de qualquer taxa ou cobrança de Imposto de Renda.

Tendo isso em mente, é compreensível que os FIIs sejam tão atrativos por seus benefícios tributários e recebam cada vez mais investidores interessados no Brasil, que já era o país dos investimentos imobiliários antes mesmo do surgimento dessa opção!

Analise cada Fundo com cuidado antes de começar a investir

É sempre importante lembrar: por mais que um Fundo se destaque no quesito dos dividendos, nunca deixa de ser necessário analisar cada um deles com base em diversos outros fatores.

Saiba, também, que não são apenas os FIIs que distribuem dividendos. Se você planeja adicionar um deles à sua carteira apenas por isso, estude outras opções: as ações, por exemplo.

Os dividendos dos FIIs podem ser muito vantajosos, porém, nem sempre um Fundo é o ideal para a sua carteira e/ou para a sua estratégia de investimentos. Na dúvida, converse com o seu gestor!

 

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Autor

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.


Comentários