Você já pensou ter uma economia em um investimento em fundos de curto prazo que combine rentabilidade justa e liquidez?

Pensando nisso, este artigo irá mostra o que o investidor precisa levar em conta ao fazer um investimento em fundos de curto prazo.

Os fundos de curto prazo têm por objetivo reproduzir as variações das taxas de juros e das taxas pós-fixadas, investindo seus recursos em títulos públicos federais ou em títulos privados de baixo risco de crédito com prazo máximo de 375 dias e prazo médio da carteira de 60 dias.

Sua rentabilidade está associada à variação das taxas SELIC ou CDI.

São também considerados conservadores quanto ao risco, sendo compatíveis com objetivos de investimento de curto prazo, pois suas cotas são menos sensíveis às variações das taxas de juros.

O crédito do resgate do valor parcial ou total investido pelo cotista deste fundo de investimento costuma ser executado no mesmo dia de sua solicitação.

Como escolher o melhor investimento de curto prazo

fundos de curto prazo

Antes de saber qual o melhor investimento de curto prazo, é essencial definir quais serão os objetivos financeiros.

Em geral, para avaliar qual o melhor investimento de curto prazo, deve-se analisar os seguintes aspectos:

  • Liquidez: quando eu solicitar o resgate do investimento, em quanto tempo ele entrará na minha conta?
  • Carência: qual é o tempo mínimo que devo deixar meu dinheiro investido no produto?
  • Tributação: qual será a tributação se eu resgatar o valor investido na data que eu precisar?
  • Risco: qual é a volatilidade do investimento? Até quanto posso ganhar (ou perder)? O investimento possui algum tipo de garantia como o FGC ou Tesouro Nacional?
  • Rentabilidade: a rentabilidade é fixa? Há alguma previsibilidade?

Para um investimento de curto prazo o investidor não pode correr risco de forma alguma, portanto excluem-se os fundos multimercados, fundos e títulos vinculados à inflação e ações.

ebook lead magnet

Sendo assim, uma das melhores opções acaba sendo investimentos pós-fixados indexados ao CDI.

Nessa linha, entre os produtos financeiros mais indicados para um investimento de curto prazo estão:

  • Tesouro Selic: título público que varia conforme as oscilações no CDI
  • CDB pós-fixado: título privado oferecidos pelos bancos e que também segue o CDI
  • LCI/LCA pós-fixadas: letras de crédito emitidas por instituições financeiras e isentas de imposto de renda. As pós-fixadas são atreladas ao CDI
  • Fundos de Renda Fixa pós-fixados: investem em diversos produtos como títulos públicos, CDB, LCA, LCI, debêntures, entre outros, facilitando para o investidor.

Porém, é preciso cuidar com a taxa de administração.

Dentro dessas opções, o ideal é procurar aplicações nas instituições financeiras em que você possui conta.

A partir daí então, buscar informações sobre rentabilidade, fazer comparações, e lembrar de incluir os custos envolvidos que são:

  • Imposto de renda
  • Taxa de administração
  • Taxa de custódia
  • Entre outros

Fundos de curto prazo - Considerações

Normalmente, encontram-se fundos com maior rentabilidade em gestoras independentes e corretoras de valores, sem ligação com grandes bancos.

Com isso, alia-se ao fato de que elas possuem taxas baixas (ou nenhuma) em comparação às corretoras ligadas aos bancos, e oferecem uma boa variedade de produtos financeiros.

Em suma, os fundos de curto prazo precisam de uma analise bem detalhada, pois, devido o seu pouco tempo, é necessário conhecimento e assertividade na hora de sua escolha.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários