No Brasil, investir em imóveis se tornou natural. Com isso, os fundos de tijolo é uma alternativa que vale destacar.

Deste modo, os fundos de tijolo tem o objetivo de comprar ou construir imóveis para alugar e gerar uma renda mensal.

Os fundos de tijolo são assim representados por apresentarem imóveis físicos, que possuem uma construção tangível, que tenham um endereço podendo o fundo rentabilizar através da compra ou construção para gerar aluguéis ou também ganhar com a venda dos imóveis. Esse é um tipo de fundo que busca uma renda constante com potencial de valorização e reajustes de aluguéis.

Assim, dentro desse modelo, existem diferentes setores os quais se destacam:

  • Lajes corporativas;
  • Lojas e supermercados;
  • Educacional, escolas e universidades;
  • Agências bancárias;
  • Shoppings;
  • Salas comerciais e escritórios;
  • Galpões de logística;
  • Galpões industriais;
  • Hotéis;
  • Hospitais;

Dessa maneira, é possível diversificar seus investimentos para que uma crise não afete sua carteira como um todo.

No entanto, um ponto a se destacar é o fato de que pode ocorrer do imóvel não gerar renda, isso se dá devido à falta de locatários, o que gera uma vacância para o imóvel.

Vacância é a condição em que o imóvel não se encontra ocupado ou alugado, podendo gerar apenas custos.

Portanto, se o fundo não tiver bons imóveis, com boas localizações e qualidade, essa vacância pode se estender por grandes períodos, o que acabaria não sendo um bom investimento.

Fundos de tijolo

7 dicas para selecionar Fundos de Tijolo antes de comprar

  1. Procure escolher os que estejam dentro da carteira do Índice de Fundos de Investimentos imobiliários (IFIX) - Os fundos que se encontram fora desse índice geralmente apresentam baixíssima liquidez dificultando sua entrada ou saída.
  2. Estude os Fundos Imobiliários do maior para o menor - A ideia é fugir da concentração. Fundos pequenos geralmente possuem poucos imóveis, isso quando não apresentam apenas um.
  3. Não concentre seu fundo de tijolos em uma mesma cidade ou estado - Prefira fundos com mais imóveis e que estejam em lugares diferentes.
  4. Prefira fundos Multi-Imóveis e Multi-Inquilinos - Em tempos de alta vacância, estes fundos sofrerão menos.
  5. Cuidados com fundos em Renda Mínima Garantida (RMG) - Procure conhecer o prazo da renda mínima garantida e acompanhe de perto o trabalho do fundo.
  6. Leia os relatórios e pergunte a relação com investidores (RI) - Procure observar pontos como a vacância atual, se há vacância prevista. Veja se há não recorrentes inseridos na renda mensal. Também é importante acompanhar como anda a conservação dos imóveis perante o fundo.
  7. Não escolha FIIs baseados em yield - A renda mensal pode estar inflacionada devido a uma situação atípica do fundo. E para não ter surpresas quanto a renda, verifique os prazos dos contratos de aluguéis.

Fundos de tijolo

O que se deve analisar antes de escolher Fundos de Tijolo?

  • Localização dos Imóveis;
  • Tipo do Imóvel (Hotéis, Hospitais, Shoppings);
  • Idade do Imóvel;
  • Quantidade de Imóveis;
  • Quantidade de Inquilinos;
  • Duração do contrato;
  • Gestão do Fundo;

Agindo assim, o investidor terá condições de obter uma escolha mais assertiva, atribuindo um bom negócio para a sua carteira de investimentos.

Por fim, podemos destacar que os fundos imobiliários destinados a fundos de tijolo se classificam como uma excelente alternativa para o investidor que está pensando em comprar um imóvel para construir e alugar.

Referencia de conteúdo: Investidor Inglês

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários