FII: conheça o que é fundo imobiliário e suas características

É tradição no Brasil pessoas investirem parte do seu patrimônio acumulado – durante anos de trabalho – somente em imóveis físicos, por desconhecer o que é fundo imobiliário.

Antes de se questionar sobre o que é fundo imobiliário, o indivíduo deve entender que existem várias classes de ativos muito interessantes e seguros para se investir nas prateleiras das corretoras de valores.

Contudo, a pergunta o que é fundo imobiliário está no pensamento de muitos brasileiros, que já ouviram falar sobre o tema, mas desconhecem seus benefícios. Um fundo imobiliário funciona como um condomínio de investidores comuns que se reúnem com o propósito de investir no mercado imobiliário, e qualquer pessoa pode participar desses fundos, adquirindo cotas dos mesmos.

Atualmente o número de investidores em fundos imobiliários é muito pequeno, visto a desinformação que ainda existe sobre o tema.

A seguir mostraremos o que faz os fundos de investimento imobiliário serem importantes instrumentos de geração de valor para os seus investidores.

O que são Fundos Imobiliários?

O que é fundo imobiliário

Fundos de investimento imobiliário, ou simplesmente FII, são caracterizados por um conjunto de investidores que formam uma sociedade com interesses em comum: investir no mercado imobiliário.

Esses interesses visam o acúmulo de capital através do investimento em ativos do setor imobiliário, onde cada indivíduo isoladamente não teria condições de investir.

Em linhas gerais, fundos imobiliários são condomínios fechados de investidores, geridos por um administrador capacitado, cujo objetivo é investir em grandes empreendimentos como, por exemplo, lajes corporativas no centro de São Paulo, galpões logísticos em polos industriais por todo o Brasil ou grandes shoppings centers.

O patrimônio do fundo é dividido em cotas.

Cada investidor pode possuir quantas cotas desejar, desde que respeite o limite máximo regido pelo estatuto do fundo de investimento.

Ao se investir em um FII, o investidor se torna cotista, ou seja, titular ou “dono” de uma parte do fundo.

Como cotista, no entanto, ta investidor não pode exercer qualquer direito real sobre os imóveis do fundo.

Esse trabalho fica com o gestor.

Entretanto, o investidor terá o direito participar do rateio dos rendimentos.

Um Fundo Imobiliário tem, por dever, que distribuir no mínimo 95% do seu rendimento mensal aos cotistas, sendo no máximo 100% deste.

Atualmente existem 4 tipos de fundos imobiliários. São eles:

  1. Fundo de tijolo
  2. Fundo de papel
  3. Fundo de Fundos
  4. Fundo híbrido

Cada tipo de fundo imobiliário apresenta sua característica individual. Contudo, todos contam com as mesmas regras de governança e diligência.

Como funcionam os fundos imobiliários?

O que é fundo imobiliário

Após apresentados os tipos de fundos imobiliários, devemos entender como acontece a rentabilização desse tipo de investimento.

Os fundos contam basicamente com três formas de rendimentos, são elas:

  • Dividendos mensais: Nesse caso acontece o rateio mensal dos rendimentos do fundo, provenientes dos aluguéis dos imóveis ou do rendimento dos títulos atrelados ao mercado imobiliário.
  • Aumento do preço da cota: O investidor poderá auferir ganho através da valorização do preço da cota do fundo, que é negociado na bolsa de valores – B3. É semelhante ao que acontece com as ações de empresas, onde prevalece a lei da oferta e procura.
  • Dissolução do FII: É a forma incomum de ganho, onde é realizada a venda dos ativos a valor de mercado e distribuído o rendimento proveniente dessas vendas.

Atualmente existem cerca de 160 fundos de investimento imobiliário sendo negociados na B3.

Isso ainda é pouco quando comparamos com o volume de investimentos feitos nos EUA.

Para mais informações sobre o que é fundo imobiliário acesse e estude através dos artigos em www.fiis.com.br e fique por dentro de tudo que acontece no mundo dos FIIs.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários