Quantos Fundos Imobiliários eu devo ter em carteira?



Recebemos perguntas dessa natureza dezenas de vezes por dia através de nossos canais de comunicação.

O que respondemos, quase que automaticamente, é que não existe um número mágico, em termos de diversificação de uma carteira de fundos imobiliários, mas que nos sentimos confortáveis com um número mínimo de 8 FIIs até o limite máximo o qual o investidor consiga acompanhar pelo menos uma vez por mês cada um desses FIIs.

Quer saber a parte principal sobre isso?

Nós não estamos certos em relação a essa afirmativa!

É isso mesmo...

Nós – e nem ninguém – está certo no que tange a diversificação em FIIs.

Cada investidor é um indivíduo diferente, com premissas diferentes, com alocações de capital diferentes – uns investem mais em renda fixa, outros em ações internacionais, outros em imóveis no mercado tradicional –  e, dito isso, querer “escrever em pedra” um número perfeito para diversificação é totalmente incoerente.

O que serve para uma pessoa não serve exatamente para outra.

Simples assim!

O que podemos afirmar, com toda certeza, é que o investidor deveria, sim, se associar a TODOS os bons fundos imobiliários que encontrar a um preço atrativo (sim, para nós, preço importa).

E qual o limite para isso?

Você deve impor para você mesmo!

Como dito anteriormente, para nós o ideal seria um número igual ou maior que oito, até o limite máximo o qual o investidor consiga acompanhar todos os meses a “novela” de cada FII.

Contudo, nos sentimos totalmente à vontade para afirmar categoricamente que não estamos certos nesse nosso posicionamento.

Na verdade, ninguém está!

E essa é a mágica dos investimentos.

Cada um toma as próprias decisões baseados unicamente nas suas premissas e perspectivas futuras individuais.

Imagine a situação, por exemplo, de quem leu de alguma fonte – e acreditou – que o ideal é se ter 8 fundos imobiliários em carteira, tem termos de diversificação.

Essa pessoa, tomada por essa certeza, pesquisa, estuda e, depois de fazer as suas avaliações, preenche a sua carteira com os 8 fundos imobiliários que mais se identificou, seguindo fielmente a sugestão da sua fonte.

Na sequência, surge uma oportunidade única de investimentos em um outro fundo imobiliário e essa pessoa, de modo a não “quebrar a regra” do número mágico – os tais 8 FIIs – decide se desfazer de algum dos seus fundos imobiliários de modo a acrescentar o novo FII que se mostrou mais atrativo em termos de rentabilidade e perspectivas futuras.

Você acha que essa atitude, no longo prazo, tem potencial de se mostrar saudável para a carteira desse investidor?

Nós temos a certeza que não, pelo simples fato de que a venda daquele FII não foi baseada em fundamentos, em si, mas apenas para manter o equilíbrio do número mágico de diversificação (8 FIIs, nesse caso).

Não somos donos da verdade – respeitamos genuinamente quem pensa diferente – mas aceitar sugestões de terceiros e as tomar como regras absolutas pode ser uma decisão fatídica, no longo prazo.

Cada um deve possuir a sua própria estratégia.

É claro que ouvir e procurar entender argumentos contrários aos seus é muito saudável, até para questionar a si próprio sobre os pontos de vista que possui.

Contudo, seguir fielmente, quem quer que seja, de modo algum, deve ser uma prioridade no cotidiano de um investidor, não só de fundos imobiliários, mas de qualquer outra classe de ativos.

Defina a sua metodologia de maneira individual, original e verdadeira, e fique à vontade para mudá-la no meio do caminho, caso assim o desejar.

Conte conosco!

 

Ainda em dúvida se um determinado FII é o ideal para sua carteira neste momento? Baixe gratuitamente nosso checklist e faça sua análise.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários