5 Tipos de Fundos Imobiliários: entenda sobre as opções para investir

Você sabe quais são os principais tipos de fundos imobiliários? Existe uma variedade de empreendimentos imobiliários em que um fundo pode investir. Por isso, conhecer seus características pode ser uma estratégia para diversificação da carteira e diminuição de riscos.

Entender as alternativas de investimentos de um fundo é importante para que suas aplicações estejam alinhados com seu perfil e objetivos. Por essa razão, aprenda quais são os tipos de fundos imobiliários existentes no mercado financeiro.

O que é um Fundo Imobiliário?

A princípio, um fundo imobiliário nada mais é que um grupo de pessoas que têm um objetivo em comum: investir em ativos imobiliários. O dinheiro investido é convertido em forma de cotas e administrado por um gestor, que é o responsável por encontrar e realizar os investimentos para garantir uma boa rentabilidade para o fundo.

Dito isso, veja quais são os principais tipos de FII do mercado.

Principais tipos de fundos imobiliários

Uma classificação que se tornou bem comum é dividir os fundos pelo tipo de ativo em que eles investem seu capital. Por isso, podemos classificar os fundos em:

  1. Fundos de Tijolo
  2. Fundos de Papel
  3. Fundos de Fundo
  4. Fundos Híbridos
  5. Fundos de Desenvolvimento

Fundos de Tijolo

Esses são os fundos imobiliários que investem em imóveis reais. O rendimento desse tipo de investimento, normalmente, é proveniente dos aluguéis. Embora pareça uma categoria homogênea, as carteiras desses FIIs podem apresentar grandes diferenças. 

Sendo assim, alguns fundos imobiliários de tijolo aplicam seus recursos em empreendimentos como:

  • escritórios;
  • prédios industriais;
  • galpões logísticos;
  • hotéis;
  • shopping centers;
  • hospitais;
  • escolas;
  • agências bancárias.

Além disso, esses imóveis podem se localizar em diversas regiões ou somente concentrados em uma. Há, também, os que fazem um mix de tudo na carteira.

Fundos de Papel

Também conhecidos como Fundos de Recebíveis Imobiliários, em vez dos imóveis, esses fundos compram títulos ligados ao mercado imobiliário. Portanto, esses títulos podem ser:

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCIs);
  • Letras Hipotecárias (LHs);
  • Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPACs);
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs);
  • Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) 

Nos FIIs de Papel, o investidor ganha com o pagamento de juros e não há valorização do principal.

Fundos de Fundos

Conhecidos como FOFs, esses fundos basicamente investem na aquisição de cotas de outros fundos imobiliários. Portanto, ao adquirir cotas dele você investe em diferentes fundos.

Além disso, os fundos escolhidos para compor o FOF são selecionados por gestores especializados  Dessa forma, é uma boa alternativa para quem está começando a investir e não tem tanta familiaridade com o segmento.

Fundos Híbridos

Como o próprio nome já diz, esses fundos possuem em sua carteira uma mescla entre diferentes ativos do segmento imobiliários, como as LCIs, LHs, Cotas de outros Fundos Imobiliários e imóveis.

Fundos De Desenvolvimento

Por fim, os fundos de desenvolvimento têm como objetivo investir em projetos imobiliários para obter lucro com a venda ou arrendamento dos imóveis finalizados. Esse tipo de fundo é muito semelhante a empresas de construção civil. Eles investem na compra de terrenos para construir e lucrar com sua venda.

Como funcionam os Fundos Imobiliários? 

tipos-de-fundos-imobiliarios

Para iniciar um fundo imobiliário, a instituição financeira responsável precisa apresentar um documento ao mercado contendo:

  • Política de investimentos;
  • Diretrizes gerais do futuro fundo.

A partir disso, é realizada a oferta primária do FII.

São emitidas as cotas do fundo, contendo um número limitado e definitivo de partes. Assim, são lancadas no mercado.

Feito isso, quem tem interesse, pode comprar a quantidade de cotas desejadas e se juntar aos primeiros cotistas do fundo.

Com o capital arrecadado, o gestor do fundo começa a adquirir os ativos imobiliários, de acordo com a política de investimentos que foi proposta.

Portanto, após a abertura, o fundo passa a ser identificado por um código e pode ter suas cotas negociadas na Bolsa de Valores (B3), da mesma forma que acontece com as ações de uma empresa.

 Considerações 

Os fundos imobiliários são uma excelente oportunidade para diversificar seus investimentos e ainda obter bons rendimentos.

Por isso, evite entrar em um fundo sem entender do que se trata e de como está o panorama da economia no momento. É fundamental conhecer todas as opções, observar a relação risco x retorno e também o prazo de perspectiva de ter o seu rendimento quando falamos de fundos imobiliários.

Por fim, o rendimento dos FIIs pode vir de diversas formas, assim como também temos diversos tipos de fundos imobiliários que podem compor uma carteira de investimentos diversificada nesse setor.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Autor

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.


Comentários