Relatório Gerencial – Estude-os com atenção!

O relatório gerencial de um fundo imobiliário é um dos relatórios mais importantes de se estudar no que diz respeito ao acompanhamento da carteira de investimentos por parte de um investidor de valor focado no longo prazo.

No entanto, pela quantidade de dúvidas que recebemos (principalmente dos iniciantes) a respeito do relatório gerencial, achamos prudente destacar aqui, hoje, alguns pontos os quais julgamos relevantes para se levar em consideração ao analisar esse tipo de documento.

Vale lembrar, aqui, que o relatório gerencial não é um documento obrigatório de ser emitido por parte da gestão, e também não existe um “modelo padrão” para o mesmo.

Por conta disso, ele é uma excelente ferramenta de análise da qualidade da gestão do Fii, em termos de transparência e organização do conteúdo perante o mercado.

Dito isso, seguimos, portanto, com alguns pontos os quais julgamos importantes de se levar em consideração ao ler um relatório gerencial:

1 – Preste atenção na mensagem inicial do Gestor: Não são todos os relatórios que escrevem uma mensagem transparente e clara, mas tente prestar atenção aos que o fazem. Tente observar, assim, os últimos acontecimentos relevantes que aconteceram na conjuntura do Fii, como por exemplo reformas, locações, vacância, revisionais, etc. Adicionalmente, tente ver se existem destaques do contexto econômico atual, e como a gestão pretende se posicionar diante dessa conjuntura.

2 – Taxas: Procure atentar-se às taxas de administração, gestão e/ou performance do Fii em questão. Lembre-se que Fiis de gestão passiva tendem a cobrar em torno de 0,5% ao ano, ao passo que os ativos costumar cobrar algo na faixa de 1% (isso não é uma regra geral, apenas o que se observa comumente). Adicionalmente, é comum que a taxa de performance seja na faixa dos 20% do que exceder algum benchmark, como o CDI ou o Ifix, por exemplo.

3 – Resultado líquido x distribuição: É muito importante, para o cotista, saber se o valor recebido por ele como dividendos está alinhado ao resultado do Fii ou se aquele dividendo possui alguma anormalidade. É possível chegar a essa conclusão ao se analisar a mini DRE (Demonstração do Resultado do Exercício). No relatório gerencial, é comum se observar esses dados de maneira consolidada dos últimos 6-12 meses, mas não são todos os Fiis que apresentam esses dados de maneira clara.

4 – Quantidade de investidores e liquidez: É racional concluir que, quanto maior a qualidade de um Fii, maior será a tendência de aumento do seu número de investidores, assim como a sua liquidez. Essa não é uma regra geral, mas é um bom parâmetro para se levar em consideração ao ler um relatório gerencial.

-

Lembre-se que você consegue encontrar todos os relatórios gerenciais de todos os fundos imobiliários, de maneira gratuita e organizada, no nosso site.

No mais, investir em Fiis não é uma corrida de 100 metros, e sim uma maratona de muitos quilômetros que exige disciplina, paciência, concentração, resiliência e diversos outros fatores que qualquer pessoa consegue desenvolver ao longo do tempo.

Ficou com alguma dúvida ou acha que algum ponto relevante ficou de fora? Não deixe de nos enviar um e-mail. Será um prazer te responder.

Conte conosco!

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários