Tipos de fundos de investimentos – Definições



Muitos investidores desconhecem os diversos tipos de fundos de investimentos disponíveis no mercado e acabam perdendo boas oportunidades.

Pensando nisso, elaboramos algumas informações interessantes para que o investidor possa conhecer melhor os tipos de fundos de investimentos.

É importante lembrar que um fundo de investimento é uma modalidade de investimento coletivo, onde diversos investidores reúnem recursos e um gestor profissional faz a aplicação desses recursos conforme estabelecido em regulamento. Por isso, conhecer os tipos de fundos de investimentos significa entender em quais categorias de ativos os recursos do fundo serão aplicados e, consequentemente, qual o risco associado ao fundo e o que se pode esperar dele em termos de performance.

Tipos de fundos de investimentos

tipos de fundos de investimentos

É importante dedicar um tempo para entender os diversos tipos de fundos que existem, caso um investidor tenha o objetivo de fazer este tipo de investimento de uma forma consciente.

Com base nesse contexto, veja quais são os 10 tipos de fundos do mercado de investimentos:

  1. Fundos de renda fixa (FRF)
  2. Fundos de ações (FA)
  3. Fundos cambiais (FC)
  4. Fundos multimercado (FM)
  5. Fundos de investimento em cotas de fundos de investimento (FICFI)
  6. Fundos de investimento em índice de mercado – Fundos de índice
  7. Fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC e FIC-FIDC)
  8. Fundos de investimento em participações (FIP)
  9. Fundos de investimento em empresas emergentes (FIEE)
  10. Fundos de investimento imobiliário (FII)

Classes de fundos

tipos de fundos de investimentos

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) classifica os fundos de investimento por classes que são:

  • fundos de curto prazo
  • fundos referenciados
  • fundos de renda fixa
  • fundos de ações
  • fundos cambiais
  • fundos multimercado

Essa é a classificação mais utilizada pelos bancos.

Os fundos de curto prazo, referenciados e renda fixa são fundos de renda fixa, sendo que os dois primeiros investem apenas em investimentos pós-fixados que seguem a taxa DI ou SELIC.

O fundo de renda fixa pode fazer investimentos pré-fixados ou atrelados à inflação.

Já os fundos de ações, fundos cambiais e multimercado oferecem renda variável por investirem em ações, moedas e outros ativos que sofrem variações nos seus preços.

Também existem os fundos em direitos creditórios, fundos de investimento imobiliário e fundos de índice que são negociados na bolsa de valores.

Para mais detalhes, confira a instrução 555 da CVM. Ela entra em detalhes sobre a classificação dos fundos.

Muitos fundos ainda utilizam em seus nomes as siglas baseadas na classificação da CVM.

Veja o significado de algumas siglas que podem fazer parte do nome dos fundos:

  • FIA – Quando o nome de um fundo possui essa sigla, significa que se trata de um fundo de ações
  • FIM ou MM – Identifica os fundos multimercado
  • CP – Identifica os fundos de curto prazo
  • LP – Indica um fundo de longo prazo
  • REF – São fundos referenciados. Um fundo REF DI identifica um fundo que tem como objetivo oferecer uma rentabilidade baseada na taxa DI (CDI)
  • RF – Fundo de renda fixa
  • FIC – Indica um fundo que investe em cotas de outros fundos
  • FI – Fundo que investe diretamente em ativos

Considerações

Essas são apenas algumas informações que trarão aos investidores mais tranquilidade e conhecimento para investir.

Assim, investindo de forma consciente e sabendo exatamente aonde e como está sendo alocado os recursos, o investidor fica mais confiante em suas aplicações.

Por fim, os tipos de fundos de investimentos devem ser bem analisados antes de investir, pois existem alguns riscos e custos que também devem ser levados em consideração na hora da verificação.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários