O Fundo de Investimento Imobiliário Bradesco Carteira Imobiliária Ativa (BCIA11), administrado por Banco Bradesco S.A., divulgou nesta quarta-feira (18) o seu relatório gerencial do mês de agosto, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal, assim como a atualização de seu portfólio.

O objetivo principal do BCIA11 é obter renda por meio da compra de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs), Certificados de Recebíveis (CRI), Letras Hipotecárias (LH) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI). A data de início do fundo é de 19 de maio de 2015 e a taxa de administração é de 0,50% ao ano.

No mês de julho, o fundo lembra a evolução da vacinação contra a Covid 19, com uma parcela da população adulta com primeira dose atingindo cerca de 50% no Brasil. Assim, se teve um avanço trouxe uma maior abertura do comércio e serviços, com a diminuição das restrições de funcionamento.

O BCIA11 diz que “a inflação segue pressionada, com o IPCA acumulando alta de 9% nos últimos 12 meses, até julho”. Para dar um freada na inflação, o Bradesco Carteira Imobiliária Ativa diz que o ciclo de alta de juros segue seu curso, em que a Selic atingiu 5,25% ao ano na reunião do Copom de agosto.

Portfólio do Bradesco Carteira Imobiliária Ativa

Cerca de 97% da carteira do BCIA11 está em FIIs, enquanto 2% está em caixa e 1% em CRI. Na exposição setorial, a distribuição da carteira, em relação ao percentual de FIIs está em:

  • CRI - 39%;

  • Lajes Corporativas - 27%;

  • Galpões Logísticos - 18%;

  • Shopping Center - 9%;

  • Universidades - 3%;

  • Misto - 2%;

  • Agências - 1%;

  • Varejo - 1%.

BCIA11 anuncia resultado e rendimento do mês de agosto de 20211

As 5 maiores posições em FII está distribuída em:

  1. KNCR11 - 6,8%;

  2. KNIP11 - 6,6%;

  3. BRCR11 - 5,0%;

  4. RCRB11 - 4,7%;

  5. RBRR11 - 4,7%.

O BCIA11 continuou com sua elevada participação dos fundos de recebíveis (CRI) na carteira, que é de 39% dos FIIs. A posição em fundos de CRIs, segundo o fundo, torna “a carteira mais defensiva, ao mesmo tempo que esses fundos hoje oferecem um bom carrego em termos de retorno em dividendos, dada a inflação elevada e o ciclo de alta da Selic”.

O Bradesco Carteira Imobiliária Ativa manteve a alocação em fundos de lajes corporativas, que é de 27%, considerando os descontos com que estão sendo negociados no mercado secundário. Além disso, se leva em conta a qualidade de seus portfolios, com ativos de boa localização e especificações técnicas.

Resultados e rendimentos do BCIA11

A cota patrimonial do BCIA11 teve uma alta de 2,86% no mês. O resultado alcançado pelo Bradesco Carteira Imobiliária Ativa foi de R$ 0,69 por cota, dos quais são distribuídos da seguinte forma:

  • Rendimentos de Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) - R$ 0,79;

  • Perdas nas vendas de ativos - R$ 0,05;

  • Despesas operacionais - R$ 0,04.

Além disso, referente ao mês de julho, o BCIA11 distribuiu R$ 0,64 por cota, equivalente a 92% do resultado do mês, de modo que houve o acúmulo também de 92% de distribuição do resultado no semestre.

Nos últimos 12 meses, o fundo distribuiu R$ 7,75 por cota, equivalente a um Dividend Yield de 7,1% conforme a cota patrimonial e de 8,3% que considera a cota de mercado no final do mês.

Ademais, a receita do BCIA11 no mês de julho foi de quase R$ 2,73 milhões, enquanto as despesas foram de quase R$ 157,86 mil. O resultado do fundo foi de quase R$ 2,576 milhões, com R$ 2,38 milhões distribuídos. Do mesmo modo que o patrimônio líquido atingiu os R$ 407,94 milhões e a cota patrimonial os R$ 109,69.