O Fundo de Investimento Imobiliário Inter TítulosIimobiliários (BICR11), administrado pelo Inter DTVM, divulgou nesta terça-feira (16) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O objetivo do Inter títulos imobiliários é auferir rendimentos por meio de investimento em ativos financeiros de origem imobiliária, sendo ao menos 50% do patrimônio alocado em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Além disso, o BICR11 destaca que em fevereiro o fundo alocou em um novo CRI. Além disso, ele ainda manteve 8,397% do patrimônio em caixa para futuras alocações estratégicas, e manteve também o seu compromisso de informar aos cotistas sob qualquer renegociação que seja formalizada.

A alocação do Inter títulos imobiliários em um novo CRI, se refere ao CRI Tecnisa, cuja aplicação acontece no segmento de construção e incorporação, com o indexador IPCA+. Vale ressaltar que o vencimento será no dia 15 de fevereiro de 2026 e a taxa de emissão é de IPCA+5,94%. Além disso, a parte do patrimônio líquido do fundo nessa aplicação é 3%.

A carteira de ativos do BICR11 permanece saudável e adimplente com as obrigações. Desde sua concepção, o  Inter Títulos Imobiliários aloca seu patrimônio em ativos de baixo risco, com devedores e garantias de alta qualidade.

O BICR11 acredita que a atual carteira do fundo tem uma boa diversificação de risco de crédito em linha com seus objetivos. Além disso, o fundo destaca que a maioria dos ativos que compõem a carteira de CRI contam com garantias reais, como a alienação fiduciária de imóveis.

O Inter Títulos Imobiliários complementou ainda que os demais ativos sem garantia real têm devedores de alta qualidade e com rating corporativo elevado.

Portfólio do BICR11

O portfólio atual do BICR11 está distribuído em 3 indexadores:

  1. IPCA+ - 36%;
  2. CDI+ % - 34%;
  3. %CDI - 30%;

Por classe de ativo, o destaque de posição do Inter Títulos Imobiliários está em CRIs, com 73%, enquanto os outros tipos tem as seguintes participações:

  • FII - 16%;
  • Caixa - 8%;
  • LCI - 3%;

Já em relação ao percentual da carteira de CRI do BICR11, a distribuição acontece nos seguintes segmentos:

  • Construção e incorporação - 58,90%;
  • Shopping centers - 18,25%;
  • Varejo - 8,59%;
  • Logístico - 6,95%;
  • Concessão de rodovias - 4,52%;
  • Financeiro - 2,79%;

BICR11 divulga resultados e rendimentos de fevereiro

Resultados e rendimentos do BICR11

O valor de mercado da cota do BICR11 atingiu até o final de fevereiro a marca dos R$100,30, enquanto o valor patrimonial da cota é de R$99,80. O volume negociado no mês de fevereiro foi de R$54,86 mil.

O Inter títulos imobiliários (BICR11) disse que no dia 26 de fevereiro de 2021, foi anunciado pelo fundo a distribuição de rendimentos de R$0,28 por cota. O dividend yield acumulado está em 3,41% ao ano e vale ressaltar que a rentabilidade do fundo será sempre influenciada pelo volume de rendimentos e juros auferidos por ele durante o mês, sendo comum apresentar variações no valor distribuído.

Além disso, em fevereiro, o dividend yield do mês anualizado do BICR11 chegou em 3,36% e o Yield acumulado anualizado chegou a 3,46%. Em janeiro, esses valores eram, respectivamente de 2,16% e 3,27%.

BICR11 divulga resultados e rendimentos de fevereiro

O total de receitas do Inter Títulos Imobiliários foi de R$198,78 mil, enquanto em janeiro havia sido de quase R$103,85 mil. A maior parte dessa receita de fevereiro vem de CRIs, que totalizam R$145,05 mil.

As despesas do BICR11 foram de quase R$23,73 mil, enquanto em janeiro havia sido de R$28,69 mil. Com isso, o resultado de fevereiro foi de R$175,05 mil, frente aos R$75,16 mil vistos em janeiro de 2021.

Em suma, o rendimento distribuído do Inter Títulos Imobiliários chegou na marca dos R$140 mil, enquanto em janeiro havia sido distribuído R$90 mil. Essa distribuição por cota do fundo foi de R$0,28 em fevereiro e R$0,18 em janeiro.