O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(03)‌ ‌em baixa de -0,44%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.733,24 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,60%‌ ‌e‌ -4,76%,‌ ‌respectivamente.‌

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

RBVA11 vende imóvel locado pela Caixa Econômica Federal

A gestão do Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11) anunciou aos cotistas nesta última sexta-feira (03), a venda de imóvel locado pela Caixa Econômica Federal. A gestão deu maiores detalhes sobre valores, ganho de capital e prosseguimento da estratégia de reciclagem do portfólio do fundo.  

O fundo assinou uma proposta para venda do imóvel Bonsucesso, localizado em Guarulhos (SP). A Rio Bravo destacou que a efetiva “alienação do Imóvel se dará assim que concluídas algumas condições precedentes, data em que a Rio Bravo irá fornecer mais informações sobre a conclusão do negócio”.

O Imóvel citado possui contrato de locação atípico vigente até agosto de 2023. A gestão garantiu que a venda será realizada acima do custo de aquisição e 45,9% acima do valor do laudo de avaliação, elaborado em dezembro de 2020. 

Desta forma, a operação deverá gerar um ganho de capital para os cotistas de aproximadamente R$ 1,1 milhão, ou R$ 0,10 por cota. 

Na explicação da gestora, o resultado por cota considera o valor recebido pelo RBVA11 na venda, subtraído do custo do imóvel contabilizado na aquisição e de despesas incorridas na venda, inclusive comissionamento.

Obviamente, a distribuição do resultado gerado deve respeitar a legislação de distribuição de pelo menos 95% dos lucros gerados no semestre, apurados em regime de caixa. 

Sobre a operação de venda do imóvel

Em relação ao pagamento, o RBVA11 recebeu a entrada quando houve a assinatura da proposta, no valor de R$ 100.000,00. Além desta primeira parte, o fundo receberá o restante em duas parcelas: 

  • A primeira será paga após a assinatura do CCV, no valor de R$ 2.900.000,00;
  • A outra parcela será de de R$ 2.307.000,00, que deverá ser paga em até 8 meses no ato da assinatura da Escritura Definitiva do Imóvel. 

Sobre o que será feito com os recursos recebidos, a Rio Bravo disse que o montante do valor inicial do investimento será reinvestido pelo RBVA11 em ativos-alvo. 

A venda do imóvel Bom Sucesso está dentro da estratégia de venda de ativos com condições atraentes e que gerem valor ao fundo. A gestão avalia alguns fatores para calcular a melhor taxa de retorno para o investidor. Neste caso, a gestão analisa: 

  • A localização do imóvel
  • Capacidade de atrair bons locatários 
  • Potencial de rentabilização do aluguel no longo prazo 

Abaixo, a gestão mostrou o saldo para o RBVA11 em relação às seis vendas já divulgadas (Imóveis Hebraica, Juiz de Fora, Itaquaquecetuba, Quitaúna, Venda Nova e Bonsucesso), dividido entre principal (capital integralizado) e ganho de capital (resultado distribuível) das operações:

RBVA11

Diante disso, a gestão vê de forma positiva a redução da exposição no setor bancário, bem como a elevação da qualidade geral da carteira e dos locatários também são fatores importantes para a movimentação gradativa de portfólio em curso desde 2018. 

O Rio Bravo Renda Varejo é um fundo imobiliário de tijolo focado no mercado de varejo e também no setor bancário. Seus investimentos se concentram na compra, venda e exploração de imóveis dos setores citados, além da aquisição de cotas de outros FIIs.

TRXF11 informa resultados e explica sobre emissão de cotas

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última sexta-feira (03) a divulgação de resultados do fundo. Também, a gestão detalhou sobre os recursos referentes à 5ª emissão de cotas e a compra de dois imóveis locados para o Assaí.

A gestão anunciou a distribuição de R$ 0,70 por cota, valor que representa um dividend yield anualizado de 8,23%, sobre a cota de fechamento do mês de R$ 102,05. Confira na tabela abaixo:

TRXF11

Também, foi divulgada a distribuição por direito de subscrição da 5ª Emissão de Cotas do TRXF11, sendo R$ 0,23 por direito de subscrição com código TRXF13 e R$ 0,079 por direito de subscrição com código TRXF14. 

Desde o início das negociações das cotas do Fundo na B3, a rentabilidade total do TRXF11, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é de 14,15%, em comparação a -11,88% do IFIX, diferença de 26,03% neste período. 

O número de investidores do fundo mais uma vez apresentou crescimento em agosto e superou a marca de 36.000 cotistas. 

Resultados da captação de recursos com emissão de cotas

A gestão divulgou os resultados da captação dos recursos da 5ª Emissão de Cotas durante o período de preferência e durante o período de sobras e montante adicional. 

Desta forma, foram subscritas e integralizadas 1.018.458 novas cotas, equivalente ao valor de R$ 104.391.945,00. 

No dia 1º de setembro, o TRXF11 já realizou a alocação desses recursos com a conclusão da aquisição de 2 lojas, permanecendo assim 3 imóveis a serem oportunamente adquiridos pelo fundo. 

Os 2 imóveis são lojas atacadistas que são operadas pela bandeira Assaí Atacadista, sendo uma localizada na cidade de Araçatuba, interior do Estado de São Paulo, que está em operação desde setembro de 2020. 

A outra loja está localizada em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, que se encontra em fase de construção, com previsão estimada de inauguração da loja para o mês de dezembro de 2021. 

Os imóveis foram locados ao Assaí pelo prazo de 20 anos. A gestão reforçou que “os contratos de locação relativos às lojas de Araçatuba/SP e Porto Velho/RO foram celebrados na modalidade “‘sale and leaseback’” e ‘built to suit’”. 

A gestão avaliou de forma positiva as novas compras do fundo

O valor total da aquisição dos imóveis é de R$ 134.585.787,08, sendo que para o imóvel de Porto Velho/RO foi pago nesta data o valor correspondente a 40,52% do preço de aquisição e o restante será pago mediante evolução das obras de construção da loja. 

A aquisição dessa primeira parcela das lojas foi realizada com os recursos captados no na emissão de cotas do TRXF11, o que trouxe melhoras nos indicadores do fundo: 

  • Aumento do cap rate médio e da estimativa de distribuição por cota; 
  • Aumento do percentual da receita do Fundo advinda de contratos atípicos em que a multa por rescisão antecipada é o saldo remanescente; 
  • Aumento do prazo médio dos contratos, sendo que mais de 87% das receitas do fundo passarão ser de contratos com vencimento a partir de 2035; 
  • Diversificação regional, com o investimento em imóveis em um novo estado e 2 novas cidades. 

O processo de captação de recursos continua por meio da 5ª Emissão de Cotas, além da securitização do fluxo de aluguel das lojas já adquiridas. 

Confira abaixo o perfil dos inquilinos e dos tipos de contrato do TRXF11:

TRXF11

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento, venda e locação de imóveis.

VCJR11 apresenta resultados e divulga aquisições após emissão de cotas

O Vectis Juros Real (VCJR11), representado por sua gestora Vectis Gestão, apresentou nesta última sexta-feira (03), os resultados do fundo e a compra de novos ativos após sua emissão de cotas. 

O Vectis Juros Real é um fundo do tipo papel, com investimentos aplicados em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras Hipotecárias (LH) e outros ativos financeiros imobiliários. 

A distribuição de R$1,00 por cota referente ao mês de agosto será paga no dia 14/09/2021 para os detentores de cotas do VCJR11 em 31/08/2021. Esse valor representa uma rentabilidade líquida, para pessoas físicas, de 235% da taxa DI no período para a cota média de 1ª e 2ª emissões. 

Confira os resultados na tabela abaixo:

VCJR11

O fundo deu prosseguimento à alocação dos recursos captados na segunda emissão do VCJR11. Foram realizados no mês de agosto investimentos no valor total de R$ 141 milhões. Segue abaixo os dois ativos que foram investidos: 

  • CRI de R$ 81 milhões para a Coteminas, empresa aberta que atua no setor têxtil com as marcas Santista, Artex, MMartan e Casa Moysés. A transação possui prazo de 10 anos e remuneração de IPCA + 8% a.a.. 
  • CRI de aproximadamente R$ 60 milhões para a empresa Athon Energia, empresa focada no desenvolvimento de soluções energéticas fotovoltaicas no segmento de geração distribuída. 

Os CRI são considerados “títulos verdes”, conforme certificação pela Climate Bonds Initiative (CBI) e pela SITAWI Finanças do Bem, e reforçam o compromisso da Vectis com o desenvolvimento sustentável da infraestrutura brasileira.

Assim, foi investido mais de R$ 540 milhões do volume captado na segunda emissão, chegando a um percentual de 95% alocações do fundo.