O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(3)‌ ‌em queda de -0,31%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.664,97 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ outubro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,09%‌ ‌e‌ -6,86%,‌ ‌respectivamente.‌ Confira na tabela abaixo:

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,28%‌ ‌‌e‌‌ ‌96,45 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

KNCR11 divulga operações e afirma que sua rentabilidade está crescente

O Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), representado por sua gestora Kinea Investimentos, comunicou nesta última quarta-feira (3) os resultados do fundo no mês de outubro. Somado a isso, a gestão mostrou as operações do mês e disse que os dividendos do fundo serão ainda maiores nos próximos meses.  

Em relação ao resultado referente a outubro, o valor do dividendo foi de R$ 0,56 por cota e representa uma rentabilidade equivalente a 112% da taxa DI, isenta do imposto de renda.

Confira na tabela abaixo:

KNCR11

Movimentação de carteira

A gestora disse que, no final de outubro, o KNCR11 apresentava alocação em CRI de aproximadamente 95,5% do seu patrimônio. A parcela restante de 4,5% está em caixa para novos investimentos futuros.

Ao final do mês o fundo realizou alocações em novos ativos com volume total de R$ 56,4 milhões, distribuídas entre as seguintes operações:

  1. CRI Even: R$ 41,4 milhões com taxa de CDI + 1,75% 
  2. CRI Helbor: R$ 15,0 milhões com taxa de CDI + 2,44% 

Boa expectativa para os próximos meses

A gestão lembrou que o KNCR11 tem como objetivo o investimento em uma carteira de CRIs de baixo risco com remuneração pós-fixada, atrelada à Taxa DI + prêmio de risco.

Antes das sucessivas altas da taxa selic, a rentabilidade do fundo estava sendo negativamente afetada nos últimos meses. Veja na tabela abaixo:

KNCR11

Por outro lado, as recentes elevações na Selic mostram o KNCR11 terá maior rentabilidade, uma vez que seus ativos são indexados ao CDI. 

Em outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a Selic para 7,75% ao ano. Vale destacar que novas altas são amplamente esperadas pelo mercado para as próximas reuniões. Ou seja, o patamar de distribuição do fundo aumentará ainda mais.

O Kinea Rendimentos Imobiliários é um fundo do tipo papel, com portfólio dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa de natureza Imobiliária, especialmente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRI”) de baixo risco.

KFOF11 explica nova estratégia diante do cenário econômico atual

O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea Fundo de Fundos (KFOF11), administrado pela Intrag DTVM Ltda. e gestado pela Kinea Investimentos, divulgou na última quarta-feira (3) o seu relatório gerencial do mês de outubro, no qual descreveu seus resultados e expôs sua nova estratégia de investimentos no atual momento macroeconômico. 

Em relação aos resultados de outubro, a gestão decidiu distribuir R$ 0,58 por cota. Desta vez, o fundo utilizou parte da reserva de resultados acumulada, que agora é equivalente a R$ 0,09/cota. Veja abaixo:

KFOF11

O rendimento declarado do KFOF11 equivale a um dividend yield de 8,55% (174% do CDI Líquido) em relação à cota de mercado de fechamento do mês.

No fim de outubro, 97,1% dos ativos do Fundo estavam alocados em fundos imobiliários. 

Movimentação de carteira e o racional das operações

No mês de outubro foram vendidas posições de fundos de Renda Urbana e Escritórios. O fundo está reduzindo sua exposição em fundos cujos segmentos possuem maior desvalorização quando os juros sobem, como é o caso do segmento de Renda Urbana.

Da mesma forma, o KFOF11 reduziu parcialmente uma posição em escritórios na qual vemos menor upside se comparado com outras classes de ativos. Confira como está a carteira do fundo:

KFOF11

Por causa do aumento dos juros e a perspectiva de inflação em níveis mais elevados, a gestão está aumentando sua exposição em fundos imobiliários de CRI. O objetivo é oferecer maior proteção ao patrimônio do fundo e maior dividendo recorrente no médio prazo. 

Para isso, o fundo deverá ajustar as posições do fundo nos segmentos de ‘tijolo’, de forma a equilibrar a carteira a nova situação do mercado. 

O Kinea Fundo de Fundos tem como objetivo gerar renda mensal através de alocações em uma carteira diversificada de fundos imobiliários, bem como gerar ganhos de capital.

KNRI11 detalha sobre novas locações e destaca redução de vacância

O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), administrado pela Intrag DTVM Ltda e gestado pela Kinea Investimentos, divulgou nesta quarta-feira (3) o seu relatório gerencial do mês de outubro, no qual descreveu seus resultados e informou sobre novas locações.

Em relação aos resultados do mês de outubro, a Kinea Investimentos informou que o fundo distribuirá o equivalente a R$0,77, mantendo constante seu patamar de distribuição. Confira abaixo:

KNRI11

Em continuidade ao cenário de melhores perspectivas para novas locações, o fundo fechou o mês de outubro com duas novas locações na carteira de inquilinos. 

Foi concluída a locação de um conjunto do Ed. Madison para a empresa Ativore Global Investments, especializada em consultoria de investimentos 

Também, foi locado um módulo do ativo Global Jundiaí para a empresa EJOT Fey, multinacional especializada em sistemas de fixação. O módulo alugado ficaria vago este mês. 

Redução da vacância do fundo

Com as novas locações citadas acima, a vacância física do KNRI11 foi para 3,27%, enquanto no mês anterior era de 3,35%. Da mesma forma, houve redução da vacância financeira, que chegou a 7,87% - ante 8,16% no mês anterior. Confira abaixo:

KNRI11

Por fim, a vacância financeira ajustada pelas carências foi para 11,81%, ante 11,92% no mês anterior. 

A gestão destacou que os referidos percentuais representam uma redução expressiva em relação ao auge da vacância observado em junho de 2021 de 13,38% (financeira) e 11,33% (física). 

O Kinea Renda Imobiliária é um fundo imobiliário do tipo híbrido. Seu objetivo é gerar renda de aluguel mensal através da locação de um portfólio diversificado de prédios corporativos e galpões logísticos.