O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(03)‌ ‌em alta de 1,08%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.610,67 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ dezembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 9,03%‌ ‌e‌ -9,03%,‌ ‌respectivamente.‌  

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ alta de 1,03%‌ ‌‌e‌‌ ‌94,16 pontos.‌‌ ‌‌Confira na tabela abaixo:

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

KNCR11 divulga resultados e mostra operações do mês

O Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), representado por sua gestora Kinea Investimentos, comunicou nesta última sexta-feira (3) os resultados do fundo no mês de novembro. Somado a isso, a gestão mostrou as operações do mês e disse que seus rendimentos crescerão ainda mais com o aumento da taxa básica de juros (Selic).  

A gestão divulgou os resultados referentes a novembro, cuja distribuição ocorrerá no dia 13 de dezembro, no valor de R$ 0,65 por cota. Isso representa uma rentabilidade equivalente a 107% da taxa DI, considerando uma cota de R$ 103,86. 

Confira abaixo os resultados:

KNCR11

Da mesma forma, a gestora explicou que a rentabilidade do fundo foi negativamente afetada no último ano em virtude do baixo patamar da taxa básica de juros (Selic). 

Em outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a Selic para 7,75% ao ano. 

Por isso, a mudança do ambiente macroeconômico e a perspectiva de aumento da Selic para os próximos meses, certamente contribuirá para o crescimento do rendimento do fundo. 

Novas aquisições do fundo

Ao fim de novembro, o KNCR11 apresentava alocação em CRI de aproximadamente 99,1% do seu patrimônio. A parcela restante, de 0,9%, está alocada em caixa. Veja abaixo o perfil da carteira do fundo:

KNCR11

Em novembro, o fundo concluiu novas alocações que totalizaram um volume de R$ 179,9 milhões a uma taxa média de CDI + 2,92%, conforme abaixo: 

  • CRI Helbor II – R$ 129,9 milhões a taxa de CDI + 3,00% - A operação tem prazo de 3 anos e conta com garantia de alienação fiduciária de cotas de empreendimentos desenvolvidos pela Helbor. 
  • CRI Square 955 – R$ 50 milhões a taxa de CDI 2,70% – A operação é baseada na alavancagem de conjuntos do Edifício Corporativo Square 955. O CRI conta com as garantias de alienação fiduciária de conjuntos do ativo, alienação fiduciária de cotas, cessão fiduciária de recebíveis e fundo de reserva. 

Destacamos que a carteira de ativos do Fundo permanece em dia com todas as suas obrigações. 

O Kinea Rendimentos Imobiliários é um fundo do tipo papel, com portfólio dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa de natureza Imobiliária, especialmente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) de baixo risco.

TORD11 informa resultados e mostra investimentos

O Tordesilhas EI FII (TORD11) divulgou relatório gerencial referente a outubro de 2021, para comunicar aos cotistas os resultados do fundo. Também, o fundo divulgou, por meio de sua gestora Hectare Capital, os investimentos do mês e a movimentação de sua carteira de investimentos.

O fundo distribuiu R$ 0,08/cota de dividendos referente ao resultado do mês, representando um dividend yield de 1,52% sobre a cota patrimonial. Confira abaixo:

TORD11

A liquidez média diária do TORD11 no mercado secundário aumentou para R$ 1,70 milhão/dia, frente a R$ 1,13 milhão/dia em setembro. Da mesma forma, o número de cotistas também aumentou de 83.404 para 90.631. 

Investimentos do fundo

Dentre as movimentações de setembro estão: 

  • aporte no Fundo Ankara Distressed; 
  • aporte no Fundo Lote M2; 
  • venda total do fundo HCST11;
  • venda parcial do CRI EDA Sub. ; 
  • venda parcial do CRI Recanto das Flores Sub. ; 
  • venda parcial do CRI Solar das Águas Sr. ; 
  • aportes em equities em carteira; 
  • pré-pagamento do CRI São Pedro Ún. e como consequência o recebimento da multa de 2% sobre o saldo devedor da operação. 

A gestão ressaltou que o TORD11 fechou o mês de setembro com 1,2% em caixa, 22,3% de seu patrimônio em CRIs, 28,4% em equities e 48,1% em fundos imobiliários. 

Sobre sua carteira de CRIs, 90,9% dos ativos estão indexados ao IPCA, 9,1% ao IGP-M, e a taxa ponderada média sobre o saldo devedor é de 12,56% a.a. mais o índice de inflação. 

Confira abaixo o perfil da carteira do TORD11:

TORD11

Os CRIs corporativos são os destaques da carteira do fundo, com projetos promissores em seus portfólios. As empresas devedoras, neste caso, estão bem posicionadas para aproveitar a retomada da economia. 

Os setores de multipropriedade e turismo encontram-se em fase de recuperação dos resultados negativos de agosto, período de habitual queda nas vendas. 

O objetivo do Tordesilhas EI FII é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários - crédito privado, cotas de FIIs, ativos de renda fixa - auferindo rendimentos e ganhos de capital.

TRXF11 explica compra de novos ativos e operação de alavancagem

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última sexta-feira (3) os resultados de novembro. Somado a isso, a gestão também explicou sobre compra de novos 

O fundo anunciou a distribuição de R$ 0,80 por cota, valor que representa um dividend yield anualizado de 9,82%, sobre a cota de fechamento do mês de R$ 97,75. Confira abaixo:

TRXF11

A gestão também informou sobre as distribuições por direito de subscrição da 5ª Emissão de Cotas do Fundo, sendo R$ 0,51 por direito de subscrição com código TRXF13 e TRXF14, R$ 0,26 com o código TRXF15 e R$ 0,09 com o código TRXF16. 

O aumento no patamar de distribuição de R$ 0,72 para R$ 0,77, de acordo com a gestão, foi realizado de forma conservadora, principalmente por conta da venda do Centro de Distribuição Camil/RJ. 

Neste caso, o aumento do dividendo foi para cumprir com a regra de distribuição de no mínimo 95% do resultado semestral aos investidores cotistas. O valor de R$0,80 deve se repetir na distribuição anunciada em dezembro. 

Porém, a gestora disse que a partir de janeiro de 2022, os dividendos voltem ao patamar de R$ 0,76 a R$ 0,78 por cota. 

O número de investidores do Fundo mais uma vez apresentou crescimento em novembro e chegou próximo a marca de 39.000 cotistas. 

Aquisição de ativos e alavancagem

No dia 17 de novembro, a gestão comunicou ao mercado a conclusão da aquisição de 2 lojas do Assaí, finalizando assim a operação de aquisição de 5 lojas no total.

Os 2 imóveis comprados são lojas atacadistas que são operadas pela bandeira “Assaí Atacadista”, sendo uma localizada na cidade de Ipatinga/MG e outra na cidade do Rio de Janeiro/RJ. 

A gestora lembrou que as duas lojas se encontram em fase de construção e tem previsão de entrega em abril/22 e maio/22, respectivamente. 

Os imóveis foram locados ao Assaí pelo prazo de 20 anos, sendo que os contratos de locação foram celebrados na modalidade “built to suit”, com início do prazo locatício e pagamento de 100% do aluguel imediato. 

O valor total da aquisição dos imóveis foi de R$ 155.535.774,36, sendo que no dia 17 de novembro foi pago o valor correspondente a 36,36% do preço. 

O saldo será pago mediante evolução das obras de construção de cada loja. Na tabela abaixo, a gestão mostrou com números, as vantagens das novas aquisições para o fundo:

TRXF11

Também, a gestão comentou sobre a operação de secutirização para financiar a compra dos dois ativos. Neste caso, o fundo emitiu uma dívida por meio de um CRI que será pago com os rendimentos dos novos imóveis em construção. 

Confira abaixo o perfil da alavancagem para a compra dos ativos: 

  • Prazo de 20 anos, mesmo período dos contratos de locação; 
  • Taxa de emissão de 6,00% a.a.; 
  • O saldo devedor será corrigido anualmente pelo IPCA, mesmo prazo e índice de correção dos contratos de locação; 
  • Prazo de carência de principal de 24 meses, fazendo com que haja um maior fluxo livre mensal para o Fundo; 
  • Não existência de multa ou prazo de lockup para a realização do pré-pagamento da operação.

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento e da venda de imóveis locados preferencialmente para grandes empresas com contratos de longo prazo.