O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ segunda-feira‌ ‌(04)‌ ‌em queda de -0,26%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.707,39 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ outubro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,30%‌ ‌e‌ -5,67%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,37%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,24 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento 04/10

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

KNSC11 informa resultados e detalha investimentos do mês

O Kinea Securities (KNSC11), representado por sua gestora Kinea Investimentos, informou nesta última segunda-feira (04) em relatório gerencial, os resultados do fundo no mês de setembro. Além disso, a equipe gestora comunicou aos cotistas a movimentação de seus investimentos.

Em relação à distribuição de rendimentos, o fundo distribuirá R$1,24 por cota. A gestão frisou que esse valor representa uma rentabilidade, isenta do imposto de renda, de 1,29%. Considerando ainda a cota da 2ª emissão, de R$ 94,81, o valor que corresponde a 298% da taxa DI do período. 

Confira na tabela abaixo os detalhes dos resultados do mês de setembro:

KNSC11

Investimentos no fim de setembro

A gestão informou que no final do mês passado, o KNSC11 apresentava alocação em ativos-alvo equivalente a 99,0% do seu patrimônio. A parcela remanescente, de 1,0%, está alocada em instrumentos de caixa. 

Também, em setembro, o fundo concluiu sua terceira emissão de cotas, tendo sido captado o montante de R$144,7 milhões. 

Com maior caixa, o KNSC11 alocou o montante de R$ 15,0 milhões a uma taxa média de IPCA + 7,46% em novos ativos. 

Esse volume foi dividido entre as séries Sênior (R$ 12,75 milhões) e Mezanino (R$ 2,25 milhões) do CRI Creditas X. 

A gestora explicou que a carteira que lastreia o CRI é muito diversificada e com LTV baixo (41%), possuindo risco de crédito adequado. 

Como seus ativos possuem rentabilidade atrelada ao IPCA, a gestora destacou que, caso haja uma diminuição no processo inflacionário, o fundo passará a distribuir menos dividendos. 

Nos gráficos abaixo, é possível observar o perfil dos ativos do fundo, confira:

KNSC11

Da mesma forma, a parcela pós-fixada da carteira do fundo estava negativa nos últimos meses em virtude do baixo patamar da taxa selic. 

Portanto, as recentes elevações na taxa básica de juros tem o potencial de elevar a rentabilidade dos ativos do fundo. Em setembro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a Selic para 6,25% ao ano. 

Por fim, a gestora reforçou que as novas altas são amplamente esperadas pelo mercado para as próximas reuniões. 

O Kinea Securities é um fundo do tipo papel, portfólio dedicado ao investimento em valores  Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e cotas de FIIs. 

KNRI11 informa redução de vacância e detalhas sobre novas locações

O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), administrado pela Intrag DTVM Ltda e gestado pela Kinea Investimentos, divulgou nesta segunda-feira (04) o seu relatório gerencial do mês de setembro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a vacância de seu portfólio.

De acordo com a Kinea Investimentos, os rendimentos do fundo foram novamente elevados, passando a distribuir R$ 0,77 por cota. Houve um incremento superior a 5% em relação a última distribuição e superior a 18% no ano de 2021. A gestão disse que as novas alocações impulsionaram os resultados do KNRI11. 

Abaixo, é possível observar o aumento progressivo dos proventos do fundo:

KNRI11

Redução na vacância do fundo

No mês de setembro o fundo concluiu importantes locações para a carteira do Fundo Kinea Renda. Essas operações geraram uma redução de mais de 40 mil m² na vacância física do Fundo e de mais de 3 p.p. na vacância financeira. 

A gestão acredita que os patamares de vacância do KNRI11 foram para patamares semelhantes aos observados antes do início da pandemia, o que demonstra a qualidade do portfólio do fundo. 

No segmento logístico, o fundo alugou aproximadamente 38.000 m² do imóvel Jundiaí Industrial Parks para a Fini Guloseimas e 3.600 m² do imóvel Global Jundiaí para a Propel Papéis. 

Já no segmento de edifícios corporativos, o fundo locou 1.100 m² para a empresa Polirex Resinas no edifício Madison. A gestora destacou que esta locação foi resultado do trabalho ativo da equipe de locação do fundo que alugou o espaço no mesmo mês que o andar seria desocupado pela antiga locatária. 

Por outro lado, tivemos a desocupação de 330 m² no edifício Buenos Aires Corporate no Rio de Janeiro. 

Desta forma, com as novas locações a vacância física do fundo foi para 3,35%, batendo a marca anterior de 8,54% do mês passado. 

Da mesma forma, a vacância financeira reduziu para 8,16%, enquanto no mês passado ela estava em 11,78%. Confira abaixo:

KNRI11

A gestora comemorou esses números, dizendo que a queda na vacância demonstra a qualidade da equipe de gestão do KNRI11 e a sua competência mesmo nos momentos mais difíceis do mercado. 

O Kinea Renda Imobiliária é um fundo imobiliário do tipo híbrido. Seu objetivo é gerar renda de aluguel mensal através da locação de um portfólio diversificado de prédios corporativos e galpões logísticos.

TEPP11 informa resultados e anuncia aumento no patamar de distribuição

O Tellus Properties FII (TEPP11), representado por sua administradora BRL Trust, comunicou nesta última segunda-feira (4) os resultados do fundo. Também, a gestora informou que pagará entre R$0,45 a R$0,55 por cota nos próximos meses. 

O Tellus Properties (TEPP11) tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio da compra de ativos imobiliários do segmento de escritórios. 

No mês de setembro, o fundo fechou com uma receita total de R$ 2,431 milhões e distribuiu R$ 2,041 milhões em dividendos, equivalente a R$ 0,48/cota. Confira abaixo:

TEPP11

 Houve repactuação do contrato de um dos locatários do Ed. São Luiz, com aumento de 48,59% no valor do aluguel a partir de janeiro de 2022 e ajuste no vencimento que passou de set/2022 para set/2027, impactando positivamente o wault do fundo. 

No Ed. Fujitsu, foi aprovado em assembleia a troca do administrador do prédio, houve contratação de um síndico profissional e, em paralelo, o fundo iniciou um plano de benfeitorias no qual estimamos reduzir o custo de condomínio. 

O ativo fica na região da Paulista e foi a aquisição mais recente do TEPP11, reforçando a tese de expansão para regiões bem localizadas e com grande potencial de melhorias.

Também, o Ed. Passarelli segue em obras retrofit. O fundo fechou uma parceria com um fornecedor que irá se instalar no térreo, oferecendo serviços de café e refeições rápidas para os usuários. 

O TEPP11 fechou o mês de setembro com 12,75% de vacância física, 1,51% de inadimplência financeira e com um aluguel médio de R$76,41/m². 

O portfólio ainda conta com mais de 30% dos contratos em situação de carência e/ou descontos concedidos nas negociações do final de 2020 e início deste ano. 

Tais condições impactam significativamente o aluguel médio recebido e, por conseguinte, a receita de locação. 

Por outro lado, diante do desconto concedido na taxa que a gestora “abriu mão”, a gestão vê um cenário melhor de distribuição para os próximos meses. O novo guidance passa a ser ter um limite inferior de R$0,45 e superior de R$0,55.