O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(4)‌ ‌em alta ‌de‌ 0,21%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.827,76 ‌pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌junho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 0,40%‌ ‌e‌ -1,47%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ alta de 0,21% ‌e‌ ‌102,95 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

fechamento 04-05

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

TRXF11 informa resultados e rendimentos do mês

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última sexta-feira (4) a divulgação de resultados do fundo. Somado a isso, a gestão também fez uma breve análise do mercado de fundos de investimentos imobiliários.

O mês de maio não foi fácil para os FIIs na B3. Com baixas em vários ativos, o IFIX ficou para trás em relação a performance das ações de forma geral, representadas pela rentabilidade de 6,16% do Ibovespa. Por outro lado, informou a gestora, o IMOB, índice que representa as empresas desse setor listadas na B3, valorizou 7,14%. 

Desta forma, o TRXF11 anunciou a distribuição de R$ 0,70 por cota, valor que representa um dividend yield anualizado de 7,96%, sobre a cota de fechamento do mês de R$ 105,48. Observe abaixo os resultados:

TRXF11

Na verdade, o resultado do mês foi impactado negativamente pela aquisição da Loja BIG – Jaboatão dos Guararapes/PE, já que o valor da transação foi pago no último dia útil de abril e o aluguel referente ao mês de maio/21 só impactará positivamente o resultado do TRXF11 no mês de junho. 

Mesmo assim, pontuou a gestão do TRXF, utilizando-se de parte das reservas de lucro de meses anteriores, este é o oitavo mês consecutivo em que a distribuição atinge o topo das estimativas de distribuição entre R$ 0,64 e R$ 0,70 por cota desde a operação de aquisição de 39 lojas do Grupo Pão de Açúcar e do Assaí em agosto de 2020. 

Em relação à rentabilidade, a rentabilidade total do TRXF11 na B3, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é de +15,62%, contra -9,74% do IFIX. No mês, as cotas do Fundo negociadas no mercado secundário sofreram uma desvalorização de -1,88%. Confira na tabela abaixo a rentabilidade do fundo:

TRXF11

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento, venda e locação de imóveis.

VCJR11 apresenta resultados e informa movimentação de carteira

O Vectis Juros Real (VCJR11), representado por sua gestora Vectis Gestão, demonstrou seu otimismo com o mercado imobiliário, apresentou os resultados do fundo e a movimentação da sua carteira no mês de maio. 

A Vectis Gestão informou que o VCJR11 continua com sua carteira de ativos saudável, “sem inadimplência, sem eventos adversos em suas operações e com ótima performance”. 

Após captar recursos por meio de sua 2ª emissão de cotas finalizada em março deste ano, o VCJR11 fez mais uma alocação em maio, a saber, a compra de um CRI para financiamento de novos lançamentos e compra de terrenos da incorporadora SETIN no volume de R$ 75 milhões, remunerado à taxa de IPCA + 8,5%a.a. 

Com isso, o VCJR11 chegou a 74% do volume total alocado em ativos imobiliários. 

Também, a gestão informou que existem 4 operações em estruturação que somam mais de R$ 240 milhões e estão programadas para liquidação nos próximos meses. A expectativa da é chegar rapidamente com aproximadamente 96% de todo PL do Fundo alocado. 

A distribuição do Fundo referente ao mês de maio será de R$ 0,79 por cota (considerando as cotas emitidas na 1ª e 2ª emissões) e será paga em 14 de junho. Esse valor representa uma rentabilidade líquida, isenta de imposto de renda para pessoas físicas, de 294% da taxa DI no período para a cota média de 1ª emissão de R$ 100,23 e de 293% da taxa DI no período para a cota média de 2ª emissão de R$ 100,52. 

O Vectis Juros Real é um fundo do tipo papel, com investimentos aplicados em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras Hipotecárias (LH) e outros ativos financeiros imobiliários. 

VRTA11 informa resultados e movimentação de carteira

O Fundo de Investimento Imobiliário Fator Verità (VRTA11), administrado pelo Banco Fator S.A., divulgou nesta sexta-feira (4) o seu relatório gerencial do mês de maio, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

Conforme aponta o relatório, o fundo Fator Verità é um fundo de investimento imobiliário constituído sob a forma de condomínio fechado que visa a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária como CRIs, FIIs e outros ativos imobiliários de renda fixa. 

De acordo com o relatório apresentado, o VRTA11 fechou o mês de maio com R$101,07 de cota patrimonial e R$112,42 de cota à mercado. Diante disso, o fundo distribuiu R$1,04, com um dividend yield de R$1,03 - sendo 13,07% no cálculo anualizado. 

Observe abaixo o patamar de distribuição nos últimos meses:

VRTA11

A equipe gestora destacou que no mês de abril, foi finalizada a alocação dos recursos captados na 7ª emissão de cotas, com a aquisição de vários ativos. O fundo alocou, no geral, o volume de R$529,9 milhões em operações de CRI e FII.

Porém, no mês de maio, o VRTA11 fez apenas uma aquisição, neste caso, a compra do CRI Solfarma, desembolsando R$26 milhões.

Desta forma, a gestão reforçou que o fundo fechou o mês com R$82,5 milhões e caixa. Neste momento, o VRTA11 possui R$0,08 por cota de resultado acumulado.