O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quinta-feira‌‌‌ ‌‌‌(5)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda de 0,19%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.813 pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ maio ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -1,08%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ -0,79%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌Em resumo, CPTS11 é a maior aposta das carteiras recomendadas do mês de maio. Enquanto isso, o HGFF11 e RZAK11 lideraram os ganhos no pregão de ontem. 

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

CPTS11: saiba porque este FII está em muitas carteiras recomendadas

O FII Capitânia Securities II (CPTS11) com gestão da Capitânia Investimentos é a maior aposta das corretoras e bancos. Presente em grande parte das carteiras recomendadas, o fundo da Capitânia possui características que os analistas acreditam ser importantes. 

Deste modo, um levantamento feito pela CNN Business constatou que, o CPTS11 foi indicado em 5 das 8 instituições que fizeram recomendações para o mês de maio, neste caso: XP, Warren, Genial, Ativa, Guide, BTG Pactual, Órama e Terra Investimentos. Mas, por que o CPTS11.

Os dividendos do CPTS11 referentes ao mês de abril são de R$1,10 por cota, o que equivale a um dividend yield de 13,26%, conforme divulgou o site do Status Invest. Além disso, o valor da cota do CPTS11 está levemente acima do valor patrimonial de sua cota, algo raro entre os fundos de recebíveis. 

Na última quinta-feira (5), o fundo fechou o pregão com suas cotas valendo R$94,00, enquanto o valor patrimonial é de R$93,39. No geral, os FIIs de CRI têm negociado bem acima do indicador P/VP, o que não é o caso do fundo da Capitânia.  

A estratégia do CPTS11

EM seu último relatório gerencial publicado em abril, a  gestora do fundo disse que sua estratégia consiste em refazer o mesmo tipo de operação desembolsada pelo fundo em termos de risco, mas com uma taxa superior em função do aumento das taxas de juros. Neste caso, com os juros elevados, existem maiores oportunidades de compra de CRI no mercado secundário. 

Da mesma forma, disse que vai continuar vendendo CRIs para abrir espaço para novas aquisições com taxas ainda melhores. Na visão da gestora, essa reciclagem vem sendo feito com bastante sucesso, uma vez que o fundo apresentava uma taxa média ponderada de aquisição dos papéis de 5.92% há 12 meses atrás, em Abril/2021, e hoje este número está em 6.40%. 

HGFF11 e RZAK11 lideram ganhos em dia de queda do IFIX

Se a quinta-feira (5) foi ruim para a maioria dos fundos imobiliários, HGFF11 e RZAK11 fecharam em alta. 

O CSHG Imobiliário FOF (HGFF11), o fundo de fundos da Credit Suisse, fechou em alta de 2,84%. Em seu regulamento, o fundo diz que seu objetivo é rentabilizar suas cotas através do investimento em FIIs, com o alvo de superar a variação do Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX).

O outro destaque do dia foi o Riza Akin (RZAK11), que fechou o pregão de ontem em alta de 2,1%. O informou uma estimativa que prevê uma distribuição de dividendos de R$ 1,80 por cota referente ao mês de abril, com pagamento no mês de maio, que será possivelmente o maior rendimento de sua história. 

Porém, o Riza Akin disse que esta distribuição deve ser considerada extraordinária. Diante disso, o RZAK11 reforça a expectativa de distribuir rendimentos com um patamar acima das últimas que foram realizadas.

O fundo Riza Akin iniciou suas atividades em dezembro de 2020. O fundo que investe em recebíveis, escolhe ativos nos nichos de crédito privado e securitização, através de investimentos que estejam dentro de suas perspectivas de risco, retorno e liquidez.