O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ terça-feira‌‌‌ ‌‌‌(5)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda de 0,34%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.784 pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ julho ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -0,42 ‌‌‌e‌‌‌ -0,74%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌

Em resumo, URPR11 comenta que seus ativos seguem monitorados e sem problemas de crédito, enquanto o TGAR11 confirma que aumentará patamar de dividendos no segundo semestre. 

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

URPR11: ativos do fundo seguem bem, afirma gestora

O Fundo de Investimento Imobiliário Urca Prime Renda (URPR11), gerida pela Urca Capital Partners, divulgou nesta terça-feira (5) o seu relatório gerencial, descrevendo resultados e rendimentos mensais. Além disso, sobre o cenário inflacionário, afirmando que a carteira do fundo segue performando bem.

A gestora diz que todas as operações do portfolio permanecem com boa performance. Ou seja, até o momento, nenhuma operação apresenta pontos de atenção em relação a performance da carteira ou de obras. 

Apesar disso, a gestora vê o aumento da taxa SELIC e a inflação acumulada como possíveis problemas na capacidade de pagamento dos mutuários em todos os segmentos imobiliários. 

Por isso o gestora está atenta, aumentando o monitoramento das operações que o URPR11 tem carteira, sobretudo as operações do nosso pipeline de investimentos. 

A estratégia da gestora é justamente agir antes dos problemas, identificando as potenciais fragilidades para que ações de correção sejam tomadas antes de afetarem o retorno do fundo. Neste ponto, a gestora ainda não identificou qualquer sinal de piora nas operações. 

O Urca Prime Renda (URPR11) é um fundo de investimento imobiliário, que tem como foco principal a compra de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) pulverizados, que sejam de empreendimentos imobiliários residenciais, ou seja, loteamentos, prédios e casas. Além disso, o foco também está na compra de recebíveis imobiliários residenciais.

TGAR11: após maior dividendo da história, fundo quer novo patamar de distribuição

A gestora do FII TG Ativo Real (TGAR11) mostrou em relatório gerencial os resultados do mês.  Além disso, a equipe de gestão do fundo reforça que deseja manter o patamar de distribuição maior para o semestre, em vista dos resultados dos investimentos do fundo. 

Referente ao mês de junho, os dividendos do TGAR11 foram de R$ 1,53 por cota, o que corresponde a um dividend yield (DY) mensal de 1,29%, ou, em termos anualizados, de 16,66%. 

No consolidado dos últimos 12 meses foram distribuídos R$ 14,67 por cota, o que equivale a um dividend yield de 12,71%, lembra a gestora. Deste modo, o valor distribuído no mês foi o maior rendimento do TGAR11 desde o seu início, com uma série de quatro aumentos consecutivos. 

Na visão da gestora, o aumento nas distribuições é reflexo da maturação da carteira do TG Ativo Real.

A título de cautela, nos 4 primeiros meses do ano, o fundo optou em acumular reservas, com cerca de R$ 6,56 milhões de resultados não distribuídos. Parte desse recurso foi distribuído, até que no fechamento de maio, o lucro retido correspondia a R$ 5,28 milhões. 

Para cumprir a legislação que exige a distribuição semestral de no mínimo 95% do resultado caixa, a maior parte da reserva será distribuída nos próximos rendimentos.

Sobretudo pela maturação dos empreendimentos de equity da carteira do fundo, a gestora mantém a perspectiva de que os dividendos entre junho e novembro de 2022 se situem no intervalo entre R$ 1,50 e R$ 1,60 por cota. 

O TGAR11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo (híbrido). O foco de seus investimentos está na construção de imóveis para venda, além de investir em CRIs e ativos na bolsa de valores.