O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ segunda-feira‌ ‌(5)‌ ‌em queda de -0,16%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.755,59 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌julho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 0,02%‌ ‌e‌ -3,99%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ baixa de -0,15% ‌e‌ 100,74 pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

fechamento 05-07 bom dia fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

KNHY11 informa resultados e rendimentos do mês de junho

O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea High Yield (KNHY11), administrado pela Intrag DTVM Ltda. e gestado pela Kinea Investimentos, divulgou na última segunda-feira (5) o seu relatório gerencial do mês de junho, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais. 

Em relação à distribuição de resultados referentes a junho, o pagamento ocorrerá no dia 13 de julho. De acordo com a gestão, “serão de R$ 1,10 por cota e representam uma rentabilidade, isenta do imposto de renda para as pessoas físicas, de 1,00% considerando a cota média da 3ª emissão, de R$ 110,19 que corresponde a 327% da taxa DI do período”. 

Observe na tabela abaixo a descrição dos resultados:

KNHY11

Ao final de junho, o KNHY11 apresentava alocação em ativos-alvo equivalente a 98,8% do seu patrimônio. A gestão informou que a parcela restante de 1,2% está alocada em instrumentos de caixa. Durante o mês passado, não houve movimentação na carteira de ativos no período. 

Em relação aos ativos do fundo e seu retorno, a Kinea Investimentos destacou que os CRIs atrelados à inflação na carteira refletem, aproximadamente, as variações do indexador IPCA referentes aos dois meses anteriores à apuração de resultados

Desta forma, os resultados apurados ao longo do mês de junho refletem justamente a variação do IPCA referente aos meses de abril (0,31%) e maio (0,83%). 

Por fim, a gestão reforçou que a carteira de ativos do KNHY11 permanece adimplente em todas as suas obrigações. 

RBRP11 finaliza compra de torre comercial em São Paulo

A gestão do FII RBR Properties (RBRP11) comunicou aos cotistas na última segunda-feira (5), os resultados referentes ao mês de junho. A RBR Asset explicou aos cotistas sobre a última parcela paga de novo imóvel e a perspectiva de ganhos para o fundo. 

O RBRP11 assinou a escritura de compra e venda que concluiu a conclusão da aquisição de 100% da torre comercial do edifício River One, localizado na Rua Gerivatibano bairro Pinheiros, São Paulo. A Torre Comercial do River One é um empreendimento com área BOM.A de 23.625,14m². Observe na imagem abaixo:

RBRP11

Desta forma, a gestão reforçou que, a partir da superação da condição de registro da instituição e especificação de condomínio edilício sobre o Imóvel prevista no compromisso de compra e venda, o RBRP11, por fim, pagou a parcela final de R$ 220.000.000,00. 

A gestão destacou que, a partir da presente data, a vendedora garantirá ao RBRP11, pelo período de 15 meses, uma renda mínima equivalente a, no mínimo, 7,0% a.a. sobre o valor total de R$ 420.000.000,00 que foi pago pelo imóvel. 

Na verdade, com o pagamento da última parcela de aquisição da torre comercial em questão, e com base nas obrigações de Renda Mínima, a gestão estimou que a receita imobiliária mensal do RBRP11 será impactada positivamente em, aproximadamente, R$ 0,10/cota. Obviamente, esse cálculo é apenas uma estimativa, não representando “garantia de rentabilidade ou isenção de riscos para os cotistas”, reforçou a gestão.

O FII RBR Properties (RBRP11) é um fundo imobiliário de tijolo com investimentos em escritórios.

TRXF11 divulga resultados e rendimentos do mês

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última segunda-feira (5) a divulgação de resultados do fundo. O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento, venda e locação de imóveis.

Em relação aos resultados, o fundo distribuirá R$ 0,70 por cota, que representa um dividend yield anualizado de 8,12% sobre a cota de mercado de R$ 103,50. Segundo a gestão, o pagamento será realizado no dia 15 de julho. Acompanhe na tabela abaixo:

TXRF11

De acordo com a gestão, desde o início das negociações das cotas do fundo na B3, a “rentabilidade total do TRXF11, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é de +14,21%, contra -11,71% do IFIX, diferença de +25,92% neste período”. 

Abaixo, a gestão divulgou dados em relação à rentabilidade do fundo: 

TXRF11

No entanto, no mês de junho as cotas do TRXF11 negociadas no mercado secundário sofreram uma desvalorização de -1,21%, na mesma esteira da maioria dos fundos negociados na bolsa. 

Sobre o Galpão Logístico atualmente ocupado pela Camil em Santa Cruz/RJ, que corresponde a 4,62% das receitas imobiliárias do Fundo, o trabalho de prospecção de um novo inquilino, capitaneado pela equipe da CBRE e da TRX, continua. A equipe gestora tem se esforçado para manter a vacância do fundo em patamares mínimos. 

Por isso, durante os últimos meses, a gestão explicou que foram realizadas algumas visitas no imóvel por empresas potencialmente interessadas na locação, mas ainda não foi apresentada nenhuma proposta efetiva. 

O número de cotistas do TRXF11 mais uma vez apresentou crescimento expressivo em junho e superou a marca de 32.000 cotistas. Já o volume diário médio negociado no mês foi de aproximadamente R$ 3,3 milhões.