O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(5)‌ ‌em baixa de -0,42%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.792,66 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,52%‌ ‌e‌ -3,1%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda ‌de‌ -‌0,31%‌ ‌‌e‌‌ ‌101,58 ‌pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

HGLG11 participa de aquisição de terreno para construção de galpão

A Credit Suisse, gestora do CSHG Logística FII (HGLG11), comunicou por meio de fato relevante nesta quarta-feira (5), que o fundo comprou junto com uma sócia um terreno para construção de galpão logístico. 

Uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), sócia do fundo, assinou uma escritura de venda e compra para aquisição de imóvel. A SPE fez o pagamento e recebeu a posse do terreno, localizado no Município de Itupeva (SP), com área total de 234.284,09 m². O preço total pago pela SPE na aquisição do terreno foi de R$ 35.000.000,00. 

A Credit Suisse informa que o HGLG11 subscreveu e integralizou na SPE o valor total de R$ 33.430.000,00 para que sua sócia “pudesse fazer frente ao pagamento do terreno, bem como arcasse com os custos iniciais de segurança e preparação da área adquirida”, disse a gestão. 

O terreno é limítrofe ao ativo “HGLG Itupeva”, comprado pelo fundo em 28 de agosto de 2020. Confira na imagem abaixo:

HGLG11

Expectativas sobre o novo terreno adquirido

Para o ativo recém comprado pela SPE, está prevista a construção de um galpão logístico com área bruta locável total projetada de aproximadamente 90.000 m². Os trabalhos de terraplanagem foram feitos. 

Como a SPE compradora do terreno é sócia do fundo, após todo o desenvolvimento das construções previstas, o HGLG11 terá uma participação prevista equivalente a aproximadamente 87% no empreendimento pronto. Porém, antes do fim das obras o fundo não receberá nada. 

“A estimativa de YoC (Yield on Cost) após o desenvolvimento e maturação deste galpão é de aproximadamente 10,50%”, destacou a gestora. Se considerar todo o complexo - incluindo o ativo ao lado - o valor chega próximo de 12%.

O complexo logístico depois da construção será um dos maiores complexos logísticos da região, totalizando uma área de aproximadamente 296.000,00 m². A gestora afirmou que o plano do fundo é começar as obras ainda neste mês de agosto.  

O CSHG Logística FII tem por objeto a exploração de empreendimentos imobiliários voltados primordialmente para operações logísticas e industriais, por meio de aquisição de terrenos para sua construção ou aquisição de imóveis em construção ou prontos, para posterior alienação, locação ou arrendamento. 

RZTR11 informa sobre aquisição de nova propriedade

A Riza Asset Management, gestora do FII Riza Terrax (RZTR11), comunicou por meio de fato relevante nesta quarta-feira (5), a aquisição de nova propriedade para seu portfólio.

O fundo celebrou o Instrumento Particular de Compromisso de Compra e Venda uma propriedade, localizada no município de Campo Verde no estado do Mato Grosso, com área total de 1.631,78 hectares.

O valor total da aquisição é de R$ 57.000.000,00 que serão pagos em 2 duas etapas: na lavratura da Escritura Pública de Compra e Venda e após seu respectivo registo. 

Desta forma, o imóvel será arrendado para o próprio vendedor (Grupo Produsol) na tese de investimento Sale & LeaseBack, pelo prazo de 10 anos. Após esse prazo, a locatária terá a opção de compra da propriedade ao longo do contrato de arrendamento. 

Pela estimativa da gestão, o impacto do arrendamento nas receitas do fundo é de aproximadamente R$ 0,65 ao ano por cota. 

A Riza Asset destaca que possui 1 Termo de Compromisso de Compra e Venda Vinculante para aquisição de mais 1 propriedade no município de Sorriso-MT no montante total de R$ 300 milhões. A gestão afirma trabalhar “ativamente para formalização dos Instrumentos Particulares de Compra e Venda deste ativo nos próximos dias”.

O FII Riza Terrax tem como principal objetivo gerar retorno para os investidores no longo prazo através do arrendamento, compra e venda de propriedades agrícolas em 3 diferentes estratégias, Sale & Leaseback, Buy to Lease e Land Equity. O fundo tem foco no território nacional, com atuação nas regiões consolidadas de produção de grãos e fibras. 

VRTA11 informa resultados e movimentação de carteira

O Fundo de Investimento Imobiliário Fator Verità (VRTA11), administrado pelo Banco Fator S.A. e gestado pelo Fator Administração de Recursos, divulgou nesta quinta-feira (5) o seu relatório gerencial do mês de julho, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, além da movimentação de sua carteira no primeiro semestre deste ano.

O fundo distribuiu de dividendos o valor de R$1,07 por cota, o que equivale a um dividend yield de 1,07% sobre a cota patrimonial. Em relação ao valor da cota no fechamento do mês de julho, seu valor era de R$112,98. Confira na tabela abaixo:

VRTA11

As operações adquiridas pelo fundo neste primeiro semestre e no mês de julho são as seguintes:

  • CRI Cassol: 1ª emissão 362 da série True Securitizadora. Aquisição por R$18 milhões, prazo de 11 anos com taxa de IPCA + 5,50% a.a; 
  • CRI Via Varejo: 4ª emissão 133 da ISEC Securitizadora. Aquisição por R$30 milhões, prazo de 9 anos com taxa de IPCA + 4,99% a.a; 
  • CRI Solfarma: 1ª emissão 50 série da Travessia Securitizadora: Aquisição por R$26 milhões, prazo de 5 anos com taxa de IPCA + 7% a.a; 
  • CRI Grupo BSO : 1ª emissão 316 série da RB Capital: Aquisição por R$50 milhões, prazo de 5 anos com taxa de IPCA + 10% a.a; 
  • CRI Direcional II: 1ª emissão 371 série da True Securitizadora: aquisição por R$35 milhões, prazo de 7 anos com taxa de IPCA + 4,84% a.a; 
  • CRI Cassi: 1ª emissão 355 série da RB Capital: aquisição por R$30,3 milhões, prazo de 10 anos com taxa de IPCA + 4,78% a.a; 
  • CRI Quero-Quero II: 1ª emissão 222 série da Habitasec Securitizadora: aquisição por R$7,1 milhões, prazo de 20 anos com taxa de IPCA + 5,90% a.a; 
  • CRI Copagril: 4ª emissão ISEC Securitizadora: aquisição por R$22 milhões, prazo de 7 a 10 anos com taxa de IPCA + 7,80% a.a; 
  • CRI Embraed: 4ª emissão ISEC Securitizadora: aquisição por R$19,4 milhões, prazo de 7 anos com taxa de IPCA + 7% a.a; 
  • CRI Clariante: 4ª emissão Gaia Securitizadora: aquisição por R$15 milhões, prazo de 8 anos com taxa de IPCA + 5,5% a.a; 
  • CRI Sotreq: 1ª emissão Gaia Securitizadora: aquisição por R$27,9 milhões, prazo de 15 anos com taxa de IPCA + 6,24% a.a; 

Além das operações no mercado de CRIs, o VRTA11 também entrou em ofertas de cotas de fundos imobiliários, referentes ao mês de abril. Confira:

  • QAMI11: aquisição de 500.000 cotas a R$100,00, com exposição total de R$50 milhões;
  • MGCR11: aquisição de 150.000 cotas a R$100,00, com exposição total de R$15 milhões. 

Conforme aponta o relatório, o fundo Fator Verità é um fundo de investimento imobiliário constituído sob a forma de condomínio fechado que visa a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária como CRIs, FIIs e outros ativos imobiliários de renda fixa.