O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(08)‌ ‌em baixa de 0,03%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.715,09 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,26%‌ ‌e‌ -5,4%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ baixa ‌de‌ -0,64%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,57 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

HSML11 divulga resultados e rendimentos do mês

O Fundo de Investimento Imobiliário HSI Malls (HSML11), administrado pela Santander Caceis Brasil DTVM, divulgou nesta quarta-feira (08) o seu relatório gerencial do mês de agosto, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

Conforme aponta o relatório do HSML11, o fundo visa a obtenção de renda e ganho de capital, através do investimento em imóveis ou direitos reais sobre imóveis prontos do segmento de Shopping Centers.

A gestão informou que a distribuição de dividendos foi de R$7.890.307, o equivalente a R$0,50 por cota. No final do mês de agosto, o fundo ficou com resultado acumulado de 0,32 por cota. Confira na tabela abaixo:

HSML11

A equipe gestora ressaltou que houve melhora na crise sanitária do país, o que pode ser visto na normalização das operações dos shoppings. Na chamada primeira onda da pandemia em 2020, o resultado foi muito mais negativo que a segunda onda de 2021, embora ambos períodos tenham sido difíceis. Confira abaixo:

HSML11

Em 2021, ao contrário do ano anterior, não houve fechamento de 100% dos ativos, o que explica menor impacto nas finanças do fundo. Conforme visto no gráfico acima, a inadimplência de 2021 em relação ao mês anterior foi bem menor. 

Além disso, o fundo tem observado novas locações dos seus ativos. A taxa de ocupação dos ativos do HSML11 é de 95%. Segue abaixo os destaques do mês:

  • Início da operação da Vivara, no ativo Via Verde Shopping
  • Entrada do Outback no Shopping Metrô Tucuruvi e Super Shopping Osasco
  • Academia Smart Fit no Shopping Metrô

RECR11‌ divulga ‌resultados‌ ‌e‌ informa ‌alocação‌ ‌de‌ ‌ativos‌ ‌

A‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌FII‌ ‌REC‌ ‌Recebíveis‌ ‌Imobiliários‌ ‌(RECR11)‌,‌ ‌detalhou‌ ‌em‌ ‌‌relatório‌ ‌gerencial‌ ‌divulgado‌ ‌na‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(08),‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌do‌ ‌fundo‌ ‌referente‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto.‌ Também,‌ ‌a‌ ‌‌Real‌ ‌Estate‌ ‌Capital‌ apresentou suas recentes aquisições para o portfólio do fundo.‌ ‌ 

Referente ao resultado do mês de agosto, o fundo distribuiu R$ 21.317.134, o equivalente a R$ 1,10 por cota. O RECR11 encerrou o mês com 87% de seus recursos alocados em CRIs, distribuídos em 73 operações. Confira abaixo os resultados:

RECR11

A gestão ressaltou que no acumulado dos últimos 12 meses, a distribuição de rendimentos do RECR11 corresponde a 14,7% a.a., ou o equivalente a 542% do CDI. 

Veja no gráfico abaixo a comparação do fundo com outros tipos de investimentos:

RECR11

Desta forma, o fundo distribuiu entre dezembro de 2017 (primeiro mês após o encerramento de sua oferta inicial) e agosto de 2021 um montante acumulado de 52,6% (em comparação ao CDI acumulado de 18,8%). 

Alocações do mês

Ao longo do mês, o fundo investiu nos seguintes ativos de crédito: 

  • CRI Navi: volume total adquirido corresponde a R$ 8.097.000, com  taxa de aquisição de IPCA + 6,00% ao ano. 
  • CRI SG Aquiraz: volume adquirido corresponde a R$ 11.691.346, com taxa de aquisição a IPCA + 9,50% ao ano. 
  • CRI JC Gontijo: comprado a R$ 13.593.343, com a taxa de aquisição de IPCA + 8,50% ao ano. 
  • CRI Sênior CrediHome 2: comprado por R$ 3.705.692, com taxa de aquisição a IPCA + 6,00% ao ano. 
  • CRI Mezanino CrediHome 2: comprado por R$ 674.309, com taxa de aquisição a IPCA + 13,00% ao ano.
  • CRI Ekko Park 2: volume adquirido a R$ 6.000.099, com taxa de aquisição correspondente a IPCA + 8,50% ao ano. 
  • CRI Cunha da Câmara 2: comprado a R$ 5.895.080, com taxa de aquisição correspondente a IPCA + 8,50% ao ano. 

O fundo também fez vendas de ativos. O CRI JPS foi liquidado antecipadamente, em um montante equivalente a R$ 20.737.752. O prêmio por pré-pagamento correspondeu a R$ 406.474. 

O outro ativo vendido foi o CRI Pulverizado 276, também liquidado antecipadamente, em um montante equivalente a R$ 11.403.

O FII REC Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário do tipo papel com foco na gestão ativa de ativos de renda fixa com preponderância em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). 

XPML11 mostra resultados e destaca recuperação do setor

O Fundo de Investimento Imobiliário XP Malls (XPML11), gerido pela XP Asset Management, divulgou nesta quarta-feira (08) os resultados e rendimentos do mês de agosto. Além disso, o fundo segue otimista em sua recuperação e faz novos investimentos.

A gestão divulgou a distribuição de R$ 0,60 por cota, com pagamento em 25/08/21 para os detentores de cotas em 18/08/21. Para o mês de setembro - referente a agosto - o fundo anunciou que distribuirá R$0,55 por cota. 

Abaixo, o fundo divulgou seus resultados, porém, sem incluir o mês de agosto:

XPML11

Recuperação dos shoppings

Desta forma, a XP Asset disse que o portfólio do XP Malls apresentou números relevantes de crescimento nos indicadores de vendas, chegando a mais de 70% nas vendas totais e mais de 14% de aumento nas vendas por metro quadrado. Esses dados são em comparação com 2019, período anterior à pandemia. Confira abaixo:

XPML11

A conclusão da gestão é que há uma recuperação já visível nos shoppings do XPML11. Prova disso é que o fundo fez uma distribuição de rendimentos superior até mesmo ao período pré-COVID, com o pagamento de R$ 0,60/cota anunciado em agosto

Em virtude da evolução da vacinação no país, as restrições de horários e circulação nos shoppings seguem cada vez menores. No portfólio do XPML11 hoje, a gestão destacou que tem apenas algumas restrições de fluxo em determinadas praças de alimentação. 

Cada novo mês, o crescimento dos indicadores dos shoppings estão mais consistentes, tanto no crescimento da quantidade de visitantes dos empreendimentos quanto nas vendas. 

Na mesma direção, a gestão disse que o fluxo de veículos segue em alta, atingindo um crescimento de quase 4% neste mês, comparado a julho/19. 

Novos investimentos

Por esses motivos, o fundo tem expandido suas operações e feito ampliações e melhorias em seus imóveis. Segue abaixo:

XPML11

Também, a gestão destacou que o fundo é detentor de um CRI em participação no CJ Shops Faria Lima, sendo esse shopping que ainda será construído por parte da JHSF, em uma das esquinas mais premium da cidade de São Paulo capital. 

O projeto terá cerca de 11.000 m² de ABL e a participação exata do fundo no ativo ainda encontra-se em negociação comercial com a JHSF. 

O XP Malls FII tem como objetivo a obtenção de renda por meio da exploração imobiliária de shopping centers, bem como o ganho de capital, mediante a compra e venda de ativos do setor.