O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ segunda-feira‌ ‌(8)‌ ‌em queda de -0,54%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.640,44 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ novembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,31%‌ ‌e‌ -8%,‌ ‌respectivamente.‌  

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,48%‌ ‌‌e‌‌ ‌95,54 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BPFF11 informa resultados e divulga movimentação de carteira

O FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos (BPFF11), gestado pela Plural Gestão de Recursos, divulgou nesta segunda-feira (8) o seu relatório gerencial do mês de outubro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais. Além disso, a gestão explicou sobre os valores dos seus rendimentos. 

Em relação aos resultados de outubro, o fundo distribuiu R$ 0,57 por cota, correspondente a 0,90% ao mês (185,25% do CDI), em relação ao preço de fechamento no último pregão do mês. Confira abaixo:

BPFF11

No mês, a cota patrimonial caiu 1,89% (R$ 77,33) e a cota de mercado (BPFF11) recuou 8,41%. 

De certa forma, o mês de outubro foi difícil para o mercado. Uma amostra disso, foi a divulgação do IPCA/setembro de 1,16%, que foi maior do que de agosto (0,87%). Desta forma, a inflação dos últimos 12 meses está em 10,25%. 

A gestora ressaltou os problemas no cenário macroeconômico, com a persistência do risco fiscal, com o governo atentando contra o teto dos gastos com o novo programa de distribuição de renda e a PEC dos Precatórios. 

Com tudo isso, o Banco Central elevou a taxa básica de juros em 1,5% e posicionou que fará um aumento da mesma magnitude na próxima reunião, com os juros chegando em 9,25% ao ano. 

Certamente, esses fatos impactaram negativamente o IFIX que caiu 1,43% em outubro. Por outro lado, a gestão reforça que o aumento da vacinação tem contribuído com uma melhora no cenário pandêmico do Brasil, com a média móvel de mortes chegando ao menor valor desde abril/2020. 

O impacto desta redução nas mortes e redução de casos graves de covid-19 nos hospitais, tem aumentado a circulação de pessoas sendo algo positivo para a economia. Além disso, maiores os segmentos de shoppings e lajes corporativas também terão maior recuperação. 

Movimentação da carteira do fundo

O BPFF11 continua com a carteira alocada, em maior número, em fundos de recebíveis imobiliários que seguem se beneficiando dos índices de inflação elevados. O fundo também aumentou sua exposição com fundos de CRI com maior exposição no CDI. 

Confira abaixo os FIIs que compõe a carteira do fundo:

BPFF11

A gestão disse estar em monitoramento do segmento de lajes corporativas e shoppings que podem se beneficiar no curto prazo, justamente pelo retorno da vida normal com a redução dos casos de covid-19. 

No mês de outubro as principais movimentações foram: 

  • Redução com ganho em HGLG e BTLG
  • aumento marginal em CPTS, XPCI, CVBI e KNIP. 

Em resumo os 94,63% do portfólio alocado ficaram divididos em 49 FIIs e o restante da carteira finalizou composta por 4,10% de caixa e 1,27% de CRIs. 

O FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos tem como objetivo distribuir rendimentos a partir de investimento em cotas de fundos imobiliários. 

IBFF11 informa resultados e explica seus rendimentos

O FII Integral BREI Fundo de Fundos (IBFF11), gestado pela Integral Brei Real Estate, divulgou nesta segunda-feira (8) o seu relatório gerencial do mês de outubro, no qual descreveu seus resultados mensais. Além disso, a gestão explicou sobre os valores dos seus rendimentos. 

Em relação ao resultado distribuído referente a outubro, o fundo distribuirá R$ 0,50 por cota, o que representa um dividend yield anualizado de 9,52%. Nos últimos 12 meses foram distribuidos R$ 5,39/cota, ou 8,20% de dividend yield. O fundo ainda possui uma reserva de lucro em caixa, no montante de R$ 0,43 por cota. 

Confira abaixo os resultados com maiores detalhes:

IBFF11

Com isso, a previsão do fundo é de linearizar os próximos rendimentos em torno de R$ 0,52. Porém, a gestora reforça que isso não é garantia ou promessa de rentabilidade, apenas a expectativa da gestão.

Em relação às cotas do IBFF11, a gestão destacou que o fundo fechou o mês com um deságio de 14,25%, considerando o desconto da carteira de 22,6%. A gestão exemplificou, afirmando que ao comprar R$ 100 do IBFF11, o cotista estaria adquirindo, na verdade, R$ 150 em valor patrimonial. 

O resultado de rendimentos de FIIs fechou em R$ 310 mil, 6% superior a agosto. Este é o terceiro mês seguido que o fundo consegue aumentar sua receita de rendimentos. Na explicação da gestão, isso se deu por dois motivos: 

  • A recuperação dos efeitos da pandemia conforme a vacinação e reabertura progridem
  • A correção monetária dos contratos de aluguéis ou indexação dos CRIs. 

A expectativa da gestão para o curto e médio prazo é de continuação do constante aumento dos rendimentos dos FIIs em geral. 

Sobre a carteira do fundo

O destaque para a carteira do IBFF11 está nos FIIs de shoppings, alcançaram patamares superiores aos anteriores à pandemia. 

Veja abaixo o perfil da carteira do fundo:

IBFF11

No setor de lajes corporativas, ainda há um aumento potencial referente às atualizações de preços dos contratos e possibilidade de novos aluguéis conforme a procura vem aumentando nas principais regiões. 

Em relação à carteira do IBFF11, o fundo detacou o FII de CRI IBCR11, que apresentou dividendos de R$ 1,00 por cota, o que representou R$ 50 mil de receita para o IBFF11.

O FII Integral BREI Fundo de Fundos Imobiliários tem como objetivo principal auferir rendimentos e ganho de capital com a aquisição de cotas de outros Fundos de Investimento Imobiliário, bem como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras Hipotecárias (LH) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).