O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quarta-feira‌‌‌ ‌‌‌(9)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ alta ‌‌de‌‌ 0,04%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.763,76 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ fevereiro ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌-0,47%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-1,46%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

HGLG11‌ informa resultados e explica novo patamar de dividendos

 ‌A‌ ‌‌Credit‌ ‌Suisse‌,‌ ‌gestora‌ ‌do‌‌ ‌‌CSHG‌ ‌Logística‌ ‌FII‌ ‌(HGLG11)‌,‌ ‌comunicou‌ ‌nesta‌ ‌quarta-feira‌ (9)‌ ‌aos‌ ‌seus‌ ‌investidores,‌ ‌os resultados e rendimentos do mês de janeiro. Além disso, fundo explicou seu novo patamar de dividendos, mostrando suas rendas recorrentes e não-recorrentes.

O fundo teve um resultado de R$ 28,1 milhões (R$ 1,32 por cota). Porém, a distribuição referente a dezembro e pago em janeiro, foi de R$ 1,75 por cota, representando 96,5% do resultado auferido no semestre. Já em fevereiro, o valor do dividendo será de R$1,10. Confira abaixo:

HGLG11 fiis

Neste caso, o resultado do HGLG11 foi impactado pelo pagamento do aluguel trimestral do imóvel Volkswagen Vinhedo no valor aproximado de R$ 9,9 milhões (R$ 0,46 por cota). Além disso, o fundo também recebeu um montante de aluguéis em atraso e multas no valor de cerca de R$ 2,4 milhões (R$ 0,11 por cota).

Expectativa dos próximos rendimentos

Deste modo, a gestora disse que a expectativa do patamar de distribuição para este ano é R$1,10 por cota. Para mostrar que esse é o valor sustentável a ser distribuído, a gestão explicou sobre a renda recorrente do fundo e a renda não-recorrente (resultados pontuais). 

Então, o fundo acredita que terá uma renda recorrente de R$ 0,93 por cota, enquanto para o 2º semestre será de R$ 0,94, se considerada a manutenção da vacância atual, a correção dos principais contratos, o aumento da taxa de juros. 

Já para o ano de 2023, no 1º semestre presume-se uma renda recorrente de R$ 0,96 por cota e para o 2º semestre de R$ 1,00. Confira abaixo:

HGLG11

Na verdade, a gestora destacou que a renda recorrente e distribuída do HGLG11 era de aproximadamente R$ 0,78 por cota até o 1º semestre do ano passado. Porém, a realização de vendas e outras operações foi possível tanto o aumento da distribuição mensal como as distribuições extraordinárias. 

Do lado da renda não recorrentes, a gestora explicou os principais fatos que geraram receitas pontuais, sendo que alguns desses recursos gerarão receitas em 2022 e 2023: 

  • Multa do HGLG Betim da saída do Walmart
  • Venda do ativo Lojas Americanas em Uberlândia-MG
  • Lucro da venda dos terrenos em Extrema-MG 
  • Arrecadação com a venda dos imóveis em Atibaia-SP. 

Gestão dos imóveis

Deste modo, a gestão informou que no mês de janeiro, não houve movimentação na carteira do fundo. Abaixo, confira o nível da vacância do fundo:

HGLG11

Porém, o HGLG11 recebeu a notificação de rescisão antecipada de um contrato de locação de 8.369,52m² do imóvel HGLG Ribeirão Preto. Diante deste cenário, a gestora já está trabalhando para a locação do ativo

Também durante o mês de janeiro, assinamos um aditivo sobre o desconto para a Rockwell Collins no imóvel HGLG SJC, reajustando o desconto, então já vigente, pelo mesmo índice que foi aplicado no aluguel em dezembro de 2021. 

Por fim, a gestora reforçou que está marcado para o dia 21 de fevereiro de 2022 às 15h00, a Assembleia Geral Extraordinária dos Cotistas. Tal reunião será importante para deliberar sobre a aprovação da distribuição primária da 8ª emissão de cotas do Fundo. 

O CSHG Logística FII tem por objeto a exploração de empreendimentos imobiliários voltados primordialmente para operações logísticas e industriais, por meio de aquisição de terrenos para sua construção ou aquisição de imóveis em construção ou prontos, para posterior alienação, locação ou arrendamento.

HGRU11 mostra resultados e destaca venda de ativo com ganho de capital

A Credit Suisse, gestora do CSHG Renda Urbana FII (HGRU11), comunicou nesta quarta-feira (9) aos seus investidores, os resultados referentes ao mês de janeiro. Também, a gestão aproveitou para detalhar sobre venda que gerou lucros para o fundo. 

Referente ao mês de janeiro, o fundo teve um resultado de R$ 16 milhões, equivalente a R$ 0,87 por cota, sendo que distribuído R$0,76 neste mês de fevereiro. Confira abaixo:

HGRU11

Neste aspecto, a gestora disse que o resultado do HGRU11 foi impactado tanto pelo recebimento da última parcela do aluguel variável referente aos imóveis locados para a Casas Pernambucanas, no valor de R$ 629.691,65 (R$ 0,03 por cota). Também, o fundo recebeu o lucro em regime caixa da venda do imóvel em questão. 

Ganho de capital

Desta forma, o HGRU11 concluiu a venda de uma loja do seu portfólio, localizado Batatais, SP, que está locada para as Casas Pernambucanas. Pela venda do imóvel, o HGRU11 recebeu o valor de R$ 6.000.000,00. 

Com isso, a operação gerou um lucro em regime caixa de R$ 953.165,37 equivalente a aproximadamente R$ 0,05/cota. O Preço de venda do Imóvel foi 19% superior ao valor investido, 18% superior ao valor de laudo do imóvel em 2021 e 69% superior ao valor do laudo de aquisição datado de 2020. 

A gestora destacou que apesar do desconto apresentado na cota de mercado (R$ 115,15) frente ao valor patrimonial da cota (R$ 118,74), a venda do imóvel apresentou um prêmio contra seu patrimônio (18%). 

Além disso, a gestora destacou que, frente às 66 lojas do portfólio, o imóvel de Batatais estava entre as 20 lojas que tiveram menor faturamento em 2021, o que explica sua venda. 

Por fim, a gestora finalizou, dizendo que não houve alteração na ocupação do HGRU11, que permanece sem vacância. Confira abaixo o valor do aluguel por metro quadrado dos imóveis do varejo e educacional que fazem parte da carteira do fundo:

HGRU11

O CSHG Renda Urbana FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo com objetivo de explorar empreendimentos imobiliários urbanos de uso institucional e comercial.

KISU11 informa resultados e destaca retornos de fundos de CRI

A gestão do fundo Kilima FIC de FII SUNO30 (KISU11) detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado quarta-feira (9), a performance do fundo no mês de janeiro. A gestora Kilima Gestão de Recursos também comentou a importância dos fundos de CRI na carteira do fundo.

Em relação aos seus resultados, o fundo distribuirá este mês o valor de R$0,06 por cota, o equivalente a um dividend yield anualizado de 9,74%. Confira abaixo:

KISU11

Dentro dos desafios do mercado de fundos imobiliários, a gestora destacou a importância da alocação de 35,3% da carteira do fundo em FIIs de recebíveis (CRIs). Esses FIIs seguem entregando um resultado significativo, trazendo resiliência de preços no secundário e proporcionando proteção ao patrimônio do fundo. 

Na virada do mês, o fundo estava com 94,2% da carteira alocada em FIIs. Conforme citado, a distribuição do ano foi de R$ 0,065/cota referente ao resultado do mês de janeiro. Diante disso, o fundo prevê o mesmo nível de distribuição ao longo do primeiro semestre de 2022. 

Neste sentido, é importante mencionar que a parcela da receita do KISU11 advinda de ganho de capital é reduzida, ou seja, parte mais relevante do seu resultado é proveniente dos rendimentos recebidos de sua carteira de FIIs, de forma que a distribuição de dividendos fica pouco dependente dos ganhos de capital. 

Confira abaixo os setores dos FIIs da carteira do KISU11:

KISU11

Explicação sobre o patamar de distribuição

No mês de janeiro, os efeitos do desdobramento de cotas do KISU11 (1:10) estiveram (positivamente) visíveis novamente, com o aumento do número de cotistas crescendo 9,47% ao mês durante o segundo semestre de 2021, com a média de negócios diários maior do que no mês de dezembro/21. Veja abaixo o crescimento do número de cotistas:

KISU11

Em relação ao mercado secundário, a gestão reforçou que os investidores individuais (pessoas físicas) e institucionais locais participaram ativamente do volume do segmento e com aumento substancial de suas posições. 

Para os próximos meses, a gestora disse estar confortável com os níveis de dividendos que serão distribuídos no novo patamar anunciado em janeiro/22. Além disso, existe ainda os lucros represados no caixa para distribuições futuras e a baixa dependência de ganho de capital para geração de caixa. 

Sobre seus investimentos, o fundo quer aumentar sua exposição em MCCI11, mas a gestão entende que os níveis atuais de alocação são saudáveis para a estratégia do fundo.

O KISU11 é um FoF (fundo de fundos) que tem por objetivo seguir a carteira teórica do índice de referência SUNO 30 FII. O Kilima FIC de FII possui patrimônio líquido de R$351 milhões e tem aproximadamente 56.687 cotistas.