O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ segunda-feira‌ ‌(19)‌ ‌em queda de -0,18%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.836,18 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌julho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 2,95%‌ ‌e‌ -1,18%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ alta de -0,10% ‌e‌ 103,68 pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

fechamento 19-07 fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

LVBI11 divulga resultados e informa detalhes sobre seus imóveis

A‌ VBI Estate Gestão de Carteiras,‌ ‌gestora‌ ‌do‌‌ FII VBI LOG (LVBI11),‌ ‌comunicou‌ ‌nesta‌ segunda-feira ‌(19)‌ os resultados do mês de junho. Também, a gestora deu detalhes sobre novas locações, obras nos ativos e reavaliação dos imóveis do fundo. 

O FII VBI LOG tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido investido em imóveis ou direitos reais sobre imóveis do segmento logístico ou industrial, bem como indiretamente, através de ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cotas de FIIs.

O fundo comunicou a distribuição de rendimentos equivalente a R$ 0,58 por cota, que foram pagos no dia 07 deste mês. Em junho, o resultado mensal foi impactado negativamente de forma não recorrente, em aproximadamente R$ 0,08/cota. A gestão explicou que isso se deu função de carência concedida para o pagamento do aluguel em contratos de locação recentemente iniciados.

De forma a manter uma maior linearidade dos dividendos a serem distribuídos, foi distribuído no mês o valor de R$ 900 mil da reserva de lucro, equivalente a aproximadamente R$ 0,07/cota. 

Esta distribuição representa um dividend yield de 6,1% sobre o patrimônio líquido do fundo ao final de junho ou, ainda, 6,6% sobre o preço de fechamento das cotas no mercado secundário (R$ 105,91) em 30/06. Observe nas tabelas abaixo o patamar de distribuição do fundo e os valores do dividend yield:

LVBI11

Durante o mês de junho foi concluída a locação dos 3 últimos módulos que estavam vagos do Ativo Itapevi. Assim, o ativo atingiu 100% de ocupação. 

Com essas novas locações, ao final do mês de Junho, o LVBI11 possuía taxa de vacância financeira de 0% e taxa de vacância física de 3,0%, em função que os únicos espaços disponíveis para locação do portfólio do Fundo são referentes ao Ativo Aratu. 

Obras nos imóveis do fundo

No ativo Araucária, o fundo LVBI11 concluiu a primeira etapa das obras de expansão, adequação e melhorias do empreendimento. Desta forma, o imóvel foi entregue para o início das operações da Magalu. 

No ativo Aratu, as obras do Galpão G2 estão em andamento, conforme o cronograma planejado, e com entrega prevista para o segundo trimestre de 2022. 

No Ativo Jandira, as obras são de responsabilidade dos vendedores do ativo, conforme negociado com a locatária DHL. 

RNGO11 informa resultados e divulga as novas locações do fundo

A Rio Bravo, gestora do Rio Negro FII (RNGO11), comunicou nesta segunda-feira (19) os resultados referentes ao mês de junho. No relatório gerencial, a gestora detalhou a movimentação do portfólio do fundo com novas locações e rescisões de contrato.

Em relação ao mês de junho, o resultado do fundo foi de R$ 0,40 por cota, sendo a distribuição de rendimentos em R$ 0,37 por cota. Desta forma, o RNGO11 fechou o primeiro semestre com um resultado médio do período de, aproximadamente, R$0,39 por cota e com distribuição média de resultado de, aproximadamente, R$0,38 por cota. Observe os resultados abaixo:

RNGO11

A gestão destacou que o resultado no período foi relativamente abaixo do estimado nos relatórios anteriores devido a um leve aumento das despesas de comercialização. O patamar médio de distribuição estimado para o segundo semestre deste ano é de R$0,36 por cota. Confira na tabela abaixo:

RNGO11

Neste caso, o valor citado reflete, “uma estimativa pela gestão de novos movimentos de renegociações contratuais em curso, porém, não finalizadas”, disse a Rio Bravo. 

Movimentação do portfólio

O RNGO11 assinou novo contrato de locação com a Enjoei S.A., empresa de tecnologia com capital aberto na B3, para os conjuntos 111 e 112, localizados no 11º andar do Edifício Demini, com área total de 1.221,8 m². 

A gestão reforçou que o prazo de locação é de 60 meses, com término em 30 de junho de 2026, sendo o IPCA o índice de reajuste anual dos aluguéis. 

Neste caso, a nova locação corresponde a aproximadamente R$0,02 por cota de impacto positivo no resultado do fundo, que deverá ocorrer no primeiro semestre de 2022. 

A gestão também informou sobre a assinatura de novo contrato de locação para operação de um restaurante japonês, referente ao “Centro de Convenções”, localizado no ativo Edifício Demini. O prazo de locação é de 60 meses, com término em 30 de junho de 2026. O índice de reajuste também é o IPCA. 

A locação citada tem impacto semelhante ao primeiro imóvel citado, com estimativa de retorno de R$0,021 por cota no resultado do fundo após findo o período de carência.

Desta forma, a locação do centro de convenções “faz parte da estratégia da gestão para trazer mais fluxo ao Empreendimento e um mix de serviço de maior qualidade aos usuários e inquilinos das torres”, disse a Rio Bravo.  

Foi celebrado aditivo do contrato de locação da Atlantica Hotels International, empresa do ramo de administração hoteleira e locatária dos 6º e 13º andares do Edifício Padauri. A locatária deseja “prorrogar o prazo da locação por um período adicional de 24 meses a partir de 1 de março de 2023, após o fim do contrato até então vigente, e término em 28 de fevereiro de 2025”, informou a Rio Bravo. 

No entanto, esse aditivo previu a concessão de um desconto temporário que vai impactar negativamente em, aproximadamente, R$ 0,006 por cota no resultado do fundo. 

Locatários em rescisão de contrato

A GFT Technologies AG, locatária no 10º andar e 11º andar do Edifício Padauri, notificou o RNGO11 sobre intenção de rescisão antecipada do contrato de locação que ocorrerá no mês de julho de 2021. Porém, a empresa permanecerá no conjunto 111, localizado no 11º andar. 

Diante disso, a Rio Bravo informou que o “pagamento da multa rescisória será equivalente a R$0,025/cota. Sem considerar o pagamento da multa, a rescisão corresponde a um impacto negativo de aproximadamente R$ 0,032/cota nos resultados do Fundo, já considerando os custos de vacância, como condomínio e IPTU”. 

Por fim, os lojistas “Oliveira e D’auria” e “Fran’s Café”, ocupantes da Unidade Loja A3, localizada no térreo do Edifício Jaçari, deixaram o imóvel. O pagamento da multa corresponde a um valor de, aproximadamente, R$0,004 por cota. A estimativa é que essas saídas impactem negativamente o fundo em, aproximadamente, R$0,007 por cota, já considerando os custos de vacância. 

Com as movimentações acima, a vacância projetada do fundo passa a ser de 27,5%. 

O FII Rio Negro é proprietário do Edifício Padauri, Edifício Demini e Deck Park do Condomínio Centro Administrativo Rio Negro. O objetivo primário do fundo é auferir renda imobiliária através de contratos de locação com inquilinos dos imóveis e distribuir aos cotistas do fundo. 

TRXF11 divulga possível compra de cinco imóveis para locação e desenvolvimento

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última segunda-feira (19) a divulgação de novas aquisições para o portfólio do fundo. 

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento, venda e locação de imóveis.

O Fundo assinou o Compromisso de Compra e Venda (CVC) com a Sendas Distribuidora, com o objetivo de adquirir 5 imóveis localizados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rondônia. 

A operação contempla a aquisição de um Imóvel já construído e de outros quatro terrenos, sobre os quais serão realizadas obras de construção para desenvolvimento imobiliário. 

Os Imóveis poderão ser adquiridos em até duas etapas. O valor total da aquisição dos Imóveis e custeio das obras de construção é de cerca de R$ 364.000.000,00 

Em relação aos contratos de locação, a gestão informou que serão celebrados na modalidade “sale and leaseback” - para o imóvel que se encontra em operação - e “built to suit” para os terrenos. O prazo de locação será de 20 anos, 

Os Imóveis são lojas atacadistas que serão operadas pela SENDAS sob a bandeira “Assaí Atacadista” em diversas cidades dos estados acima citados. 

A equipe gestora reforçou que, após superadas as resoluções contratuais, a aquisição dos imóveis será feita por meio da celebração dos documentos de aquisição definitivos e dos contratos de locação.