O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(19)‌ ‌em queda ‌de‌ ‌-0,24%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.801,32 ‌pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌maio‌ ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ ‌-2,09%‌ ‌e‌ -2,39%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ ‌queda de -0,19%‌ ‌e‌ ‌101,93 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ abaixo:‌ 

fechamento 19-05

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

GGRC11 divulga resultados aos cotistas

A Super Nova Capital, administradora do fundo GGR Copevi Renda (GGRC11), informou aos cotistas nesta última quarta-feira (19) os resultados do mês de fevereiro. 

O GGR Copevi Renda tem como objetivo a realização de investimentos em imóveis comerciais, predominantemente no segmento industrial e logístico. O fundo distribuiu R$0,60 por cota referente ao resultado do mês de fevereiro de 2021. Os pagamentos foram realizados no sexto dia útil do mês de março. 

A gestora reforçou que o rendimento do fundo foi impactado pela “menor receita financeira das aplicações do caixa, devido ao menor número de dias úteis”. Por outro lado, os custos do mês foram influenciados pelas despesas do envio dos informes de rendimentos, que conta com uma base de 91.022 (noventa e um mil, vinte e dois) investidores. 

Observe na tabela abaixo os resultados do fundo:

GGCR11

Como complemento, a gestão comemorou o fato do GGRC11 não apresentar vacância física e financeira em seu portfólio, “encerrando o mês de fevereiro totalmente adimplente”.

Por fim, a gestão informou que, em fevereiro, o GGRC11 passou a receber o aluguel reajustado dos seguintes imóveis:

 Galpão logístico da Hering, localizado em Anápolis

  • Imóvel locado para Cepalgo, localizado em Aparecida de Goiânia, 
  • Galpão logístico industrial da Jefer localizado em Betim, no Estado de Minas Gerais

Esses reajustes representam um incremento de aproximadamente 0,908% na receita de aluguel total do fundo. Observe abaixo os indexadores dos imóveis do fundo e o vencimento dos contratos:

RCRB11 informa sobre rescisão de contrato com locatária

A Rio Bravo, gestora do FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), comunicou nesta quarta-feira (19) aos seus investidores por meio de fato relevante, informações sobre a rescisão de contrato de uma de suas locatárias. 

O FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) é um fundo imobiliário do tipo tijolo com foco no mercado de escritórios comerciais. 

O fundo recebeu comunicação formal da Mondelez Brasil, locatária do 8º andar do Edifício Jatobá , quanto ao interesse na rescisão antecipada do contrato de locação do imóve. 

Com a futura devolução do Imóvel, o RCRB11 passa a ter vacância física potencial de 18,6%, já excluído o 20º andar do Edifício Cetenco Plaza, alienado pelo fundo. 

O contrato de locação, que foi reajustado pelo IGP-M em abril de 2021, prevê 180 dias de aviso prévio, adicionalmente ao pagamento da multa rescisória prevista contratualmente. 

Portanto, o RCRB11 somente será impactado pela rescisão do contrato em 2022, caso o imóvel permaneça vago até o final do ano. No entanto, o impacto na receita referente ao contrato representa um possível impacto negativo de aproximadamente R$ 0,05 por cota no resultado do Fundo. 

PVBI11 informa resultados e detalha sobre seu portfólio

A‌ VBI Estate Gestão de Carteiras,‌ ‌gestora‌ ‌do‌‌ FII VBI Prime Properties (PVBI11),‌ ‌comunicou‌ ‌nesta‌ ‌quarta-feira ‌(19)‌ os resultados do mês de abril. Também, a gestora deu detalhes sobre a situação do portfólio do fundo.  ‌

O FII VBI Prime Properties é um fundo imobiliário do tipo tijolo, com o objetivo de rentabilizar no mínimo dois terços do seu patrimônio líquido diretamente em imóveis do segmento corporativo ou comercial, cotas de FIIs e cotas de Fundos de Investimento em Participações.

No dia 30 de abril, o fundo comunicou a distribuição de rendimentos equivalente a R$ 0,50 por cota, que foram pagos no dia 07/05. A VBI Estate informou que esta distribuição representa um dividend yield de 6,2% sobre o preço de fechamento e 6,2% sobre o valor da cota patrimonial. 

Também, a gestão reforçou que durante o mês de abril, o fundo recebeu a totalidade dos recebíveis de sua carteira de recebíveis imobiliários de competência do mês de março sem qualquer inadimplência. 

Sobre os ativos do PVBI11

O fundo assinou aditivo ao contrato de locação referente a totalidade da área locável do ativo Park Tower com a Prevent Senior. A renovação de contrato que aconteceria em 2022 foi prorrogada para 2024. 

Segue abaixo uma tabela com os ativos do PVBI11:

PVBI11

 Além disso, a gestão informou que “houve alteração do indexador do contrato, que mudou de IGP-M para IPCA”. Este aditivo representa um incremento na receita imobiliária de R$ 0,04/cota vigente a partir do mês de competência abril de 2021. 

Em 20 de abril, o PVBI11 concluiu a aquisição de 50% da fração ideal do edifício Union Faria Lima. O valor total da transação é de R$ 176,5 milhões. O pagamento será realizado de forma parcelada. 

Adicionalmente, foi negociado com o vendedor o pagamento de uma renda mínima garantida equivalente a 6,9% a.a. devida a partir do pagamento da primeira parcela e com término 12 meses após a emissão do Habite-se do empreendimento. 

“Considerando a renda mínima garantida, essa aquisição representa um incremento na receita imobiliária inicial de R$ 0,04/cota a partir do pagamento da 1ª parcela, que será realizada após o vendedor superar certas condições precedentes”, informou a gestora.