O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ terça-feira‌‌‌ ‌‌‌(15)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ alta de 0,06%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.813 pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ junho ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -0,26 ‌‌‌e‌‌‌ 0,29%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌Em resumo, IRDM11 explicou o aumento dos seus rendimentos, enquanto o TORD11 informou que possui reserva de lucros para próxima distribuição.

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

IRDM11 tem resultados maiores e explica seus ganhos

A gestão do fundo Iridium Recebíveis Imobiliários FII (IRDM11) comunicou aos cotistas nesta terça-feira (21), os resultados referentes ao mês de maio. Em complemento, a gestora explicou como sua estratégia contribuiu com a melhora nos seus resultados. 

Os dividendos do IRDM11 referentes ao mês foram de R$ 1,35 por cota, equivalente a uma remuneração bruta de imposto de renda de 159,19% do CDI. A gestora disse que o fundo apresentou um bom resultado no mês, sendo positivamente impactado tanto pela carteira de FIIs quanto de CRIs. 

A estratégia do fundo

Mesmo com a ênfase do fundo em reduzir sua exposição em FIIs, esses ativos trouxeram um rendimento expressivo em decorrência do posicionamento adotado pela gestão há alguns meses. O IRDM11 optou por escolher fundos de papel em relação aos fundos de tijolo. 

Do mesmo modo, os CRIs que fazem parte da carteira do fundo pagaram proventos maiores devido ao crescimento da receita de juros e da correção monetária. 

A gestora destacou a recente alta nos índices mensais de preços, em especial o IPCA,  alguns ativos atrelados a tal índice tiveram resultados acima do que geraram em caixa no mesmo período. Essa diferença será distribuída ao longo dos próximos meses. 

O Iridium Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário de papel com investimentos em títulos de valores imobiliários. Seu maior foco é em operações no mercado de CRIs, desde que atendam aos critérios definidos na política de investimento.

TORD11: com menores rendimentos este mês, o fundo tem reserva para próxima distribuição

O Tordesilhas EI FII (TORD11) divulgou relatório gerencial referente a maio, para comunicar aos cotistas os seus resultados. Por meio de sua gestora R Capital Asset, o fundo explicou que possui caixa para distribuição no próximo mês. 

Os dividendos do TORD11 neste mês foram de R$ 0,07 por cota, representando um dividend yield de 0,5% sobre a cota patrimonial, encerrada a R$14,27. O fundo demonstrou nova redução nos dividendos. No mês anterior, os rendimentos foram de R$0,12. 

Com o intuito de melhorar o retorno do fundo no curto prazo por meio de investimento em CRIs, no mês de abril a equipe de gestão optou pelo reinvestimento do caixa gerado na venda do SRVD11. 

Assim, a distribuição da reserva de lucro caixa acumulada do fundo será distribuída no mês de julho, cumprindo a legislação que obriga os FII a distribuir a seus cotistas, no mínimo, 95% dos lucros do semestre. 

Investimentos e vendas do fundo

No mês, todos ativos pagaram as obrigações conforme previsto. Como complemento, o fundo fez as seguintes operações: 

  • venda parcial do CRI Eco Resort Sub
  • venda do CRI GPK Sr.; 
  • desinvestimento de 1.179 cotas do DVFF11 ao preço médio de R$70,0 
  • aportes em equities em carteira. 

A gestora também explicou que, em relação aos equities, houve uma variação positiva no valor de marcação dos ativos. O resultado foi maior principalmente pela melhora nos resultados apresentados pelos empreendimentos ao longo de 2021. 

O objetivo do Tordesilhas EI FII é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários - crédito privado, cotas de FIIs, ativos de renda fixa - auferindo rendimentos e ganhos de capital.