‌O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(23)‌ ‌em alta de 0,66%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.724,60 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ dezembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 5,67%‌ ‌e‌ -5,07%,‌ ‌respectivamente.‌  

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BRCR11 compra prédio no Rio de Janeiro com operação de alavancagem

A gestão do FII BTG Pactual Corporate Fund (BRCR11) comunicou aos cotistas a compra de novo imóvel para o fundo, explicando os detalhes das operações de securitização para desembolso do valor total da aquisição. 

O fundo concluiu a aquisição de 60% das unidades autônomas que compõem o Edifício Torre Almirante, com área total locável de aproximadamente 25.087 m², localizado na na cidade do Rio de Janeiro. 

A gestora disse que o valor de aquisição do imóvel, a ser pago pelo FII Prime - fundo que o BRCR11 é o único cotistas - é de R$ 384.000.000,00. 

Para efetuar tal pagamento, o fundo pagou uma parte à vista, enquanto outras parcelas serão à prazo. 

O valor de R$ 139.000.000,00 foi pago à vista pelo FII Prime, enquanto R$ 245.000.000,00 serão pagos a prazo por meio de uma operação de alavancagem com emissão de um CRI. 

A primeira parte do recurso corresponde a 38,78% do montante a ser pago a prazo, com duração total de 12 (doze) anos. Serão R$95 milhões pago com uma taxa de CDI + 2,60%. 

A segunda parcela, neste caso, os 61,22% restantes, serão pagos em 15 (quinze) anos, o que corresponde a um valor de R$150 mi, pagos em uma taxa de IPCA + 7,10%.

Informações sobre o ativo Torre Almirante

A gestora lembrou que o ativo já pertenceu ao portfólio do fundo, sendo vendido em 2019. A compra do Torre Almirante foi justificada pelo fundo como uma necessidade em diversificar a carteira do fundo em exposição ao mercado no Rio de Janeiro, além de contar com um imóvel de qualidade AAA. 

Confira algumas imagens do imóvel:

BRCR11

Por fim, o BRCR11 terá o controle sobre 60% do imóvel, que possui atualmente 64% de vacância. 

O BRCR11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo, com o foco na compra de imóveis para locação, especialmente no mercado de escritórios comerciais de lajes corporativas. 

BTAL11 informa resultados e destaca aprovação de projeto de lei do setor logístico 

O BTG Pactual, gestora do FII BTG Pactual Agro Logística (BTAL11), comunicou na última quinta-feira (24) aos seus investidores os resultados do mês de novembro. Também, a gestora destacou a aprovação de um projeto de lei que pode ajudar na logística do setor agrícola.

No mês de novembro, o fundo distribuirá o resultado de  R$ 0,80 por cota, representando um dividend yield anualizado de 10,8% sobre o valor da cota de mercado ao final do mês. Confira abaixo: 

BTAL11

Em relação ao resultado de novembro, a gestora disse que a cota do BTAL11 encerrou o mês com valor de R$ 89,0, ou seja, uma rentabilidade total de (-2,9%) no período. 

Além disso, a rentabilidade acumulada do BTAL11 desde o seu início é de (-11,0%), em linha com a rentabilidade apresentada pelo IFIX, de - 10,5%. 

Por fim, cabe destacar que o Fundo ainda conta com um resultado acumulado não distribuído de R$ 0,24/cota, já líquidos da distribuição de R$ 0,80/cota desse mês.

Projeto de lei que pode beneficiar o fundo

Aprovação da BR do Mar é destaque no setor de logística: A gestora comentou a aprovação do projeto de lei na Câmara dos Deputados, a BR do Mar. Tal projeto busca ampliar a navegação costeira entre portos nacionais e diminuir a dependência do transporte rodoviário. 

O transporte rodoviário, principal meio utilizado no país, é geralmente mais custoso e gera uma série de ineficiências econômicas e logísticas. 

A gestora destacou que uma das principais alterações trazidas pelo PL 4.199/20 é a possibilidade das Empresas Brasileiras de Navegação (EBN) alugarem embarcações para prestarem serviços, o que hoje não é permitido. 

A meta do PL é que a cabotagem passe a representar cerca de 30% da malha logística brasileira. 

Segundo dado da ILOS de 2019, a cabotagem representa 32% da malha logística europeia e 25% da malha logística chinesa. 

Esses dados sugerem o potencial de crescimento desse meio logístico no Brasil, onde o BTAL11 aparece como opção importante, principalmente em ativos ligados ao setor agrícola. Atualmente, 10% do patrimônio do fundo é ligado ao setor portuário, confira abaixo:

BTAL11

O FII BTG Pacual Agro Logística é um fundo do tipo tijolo com foco no segmento logístico e industrial ligado ao agronegócio. Porém, o fundo tem investido tanto em imóveis quanto em outros ativos como CRIs, LCIs entre outros.

CPTS11 mostra resultados e comenta suas operações do mês

O FII Capitânia Securities II (CPTS11), com gestão da Capitânia Investimentos, divulgou nesta quinta-feira (23) o seu relatório gerencial do mês de novembro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, além de descrever seus ganhos por meio da movimentação de sua carteira.

Em realçao aos dividendos do mês, o fundo divulgou a distribuição de R$ 1.00 por cota. Este valor equivale a 209.30% do CDI em relação a cota de mercado. Veja:

CPTS11

A gestora ressaltou que desde seu início em 2014, o Capitânia Securities II apresenta um retorno anualizado de 11.8%. Essa performance é equivalente a 168.94% do retorno do CDI líquido. 

Em relação aos ativos do fundo, a gestora disse que em novembro, os altos indicadores inflacionários dos últimos meses ajudaram a aumentar a receita dos CRIs em  27%, para R$ 8,5 milhões. Por outro lado, a maior contribuição do mês foi o giro mensal dos ativos de crédito.

Movimentação de carteira

O CPTS11 realizou a venda de CRIs que somaram mais de R$ 314 milhões, mediante a 20 operações, gerando um resultado de R$ 10,3 milhões para o fundo, o maior volume negociado no ano. Confira abaixo as vendas do mês:

CPTS11

Um destaque foi o trade com o CRI Tenda Atacado (ICVM 400), aproveitando o momento de abertura de juros recente. 

A Capitânia adquiriu o CRI no mercado primário a IPCA+6,98% e vendeu numa taxa média de IPCA+6,30% 17 dias após a compra, o que gerou um lucro de R$ 1,3 milhão. 

No cenário da recente abertura de juros, a gestão aproveitou para reciclar o portfólio e aumentar a taxa média de aquisição dos papéis. O total desembolsado no mês foi de R$ 372 milhões a uma taxa média de IPCA+6,72%. 

Destaque para dois primários importantes que liquidaram no mês: CRI Via Varejo Extrema, R$ 40 milhões a IPCA+8,50% e CRI JSL Extrema, R$ 20 milhões a IPCA+8,50%, em padrões parecidos com os dos últimos meses. Veja as operações de compra do CPTS11:

CPTS11

No portfólio de FIIs, o fundo segue um  posicionamento defensivo, com maior viés em renda, diversificação e proteção. 

A gestão destacou que usará o caixa disponível do fundo nos próximos meses para adquirir FoFs com desconto no mercado secundário.

O Capitânia Securities II, conforme consta no relatório, é um FII constituído sob a forma de condomínio fechado cujo objetivo é proporcionar rentabilidade aos seus cotistas por meio da aquisição preponderantemente de ativos de origem imobiliária.