O FII Capitânia Securities II (CPTS11), com gestão da Capitânia Investimentos, divulgou nesta terça-feira (30) o seu relatório gerencial do mês de novembro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, além de descrever seus ganhos por meio da movimentação de sua carteira.

O fundo distribuiu, referente ao mês de outubro, o valor de R$ 1.01 por cota, com no dia 19 de novembro. A gestão disse que este dividendo equivale a 252.5% do CDI (descontado imposto de 15%) em relação a cota de mercado. Veja abaixo:

CPTS11

Giro na carteira de CRIs

Em relação à carteira de crédito, a Capitânia Investimentos destacou que a maior contribuição positiva do resultado veio dos rendimentos dos CRIs

Para isso, o fundo fez um maior giro dos ativos. Na verdade, a gestora explicou que a alta recente dos juros pagos pelos títulos públicos dificultou a negociação dos papéis no mercado secundário. 

Porém, a gestão realizou a venda de CRIs que somaram mais de R$ 247 milhões, num total de 20 operações e geraram um relevante resultado para o fundo R$ 6,9 milhões. Mesmo assim, o lucro foi um abaixo do maior volume negociado no ano. 

Além disso, o fundo tem outro destaque positivo, que é a alta atualização monetária incorrida e não distribuída em função dos altos indicadores do IPCA nos últimos meses. A gestão reforçou que isso vai ajudar o fundo a manter bons patamares de dividendos. 

Diante desse cenário de juros elevados e maior inflação, a estratégia do CPTS11 é continuar reciclando a carteira. Tudo isso para repor a alta dos juros reais. 

O objetivo da gestão é manter uma carteira com taxa média ponderada próximo a IPCA + 6,5%, patamar considerado competitivo para a qualidade da carteira. Confira abaixo o perfil do book de CRI do fundo:

Vale destacar que 99% da carteira de CRIs tem como devedores empresa de qualidade que, por sua vez, estão listadas em bolsa. Ou seja, isso traz maior tranquilidade ao fundo em relação ao risco de crédito. 

Book de FIIs: perfil defensivo

Em relação à carteira de FIIs do CPTS11, seu perfil defensivo com ativos do segmento de renda urbana, fundos com contratos de aluguéis atípicos e FIIs de papel, fez com que o fundo tivesse uma performance satisfatória. Confira abaixo o perfil da carteira do fundo:

CPTS11

Além disso, mesmo com a baixa do IFIX, o fundo realizou o giro de sua carteira. A gestão afirmou que irá diminuir a exposição com cautela para abrir espaço para os desembolsos de CRI. 

Conheça o CPTS11

O Capitânia Securities II, conforme consta no relatório, é um FII constituído sob a forma de condomínio fechado cujo objetivo é proporcionar rentabilidade aos seus cotistas por meio da aquisição preponderantemente de ativos de origem imobiliária.

Desta forma, o fundo possui cerca de 129.709 cotistas e um patrimônio líquido de R$2,415 bilhões.   

Para quem deseja investir no CPTS11, o valor patrimonial de sua cota é de R$93,69, sendo sua taxa de administração de 1.05% a.a. do valor de mercado.