O Fundo de Investimento Imobiliário BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM, divulgou nesta terça-feira (23) o seu relatório gerencial do mês de março, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O BTG Pactual Crédito Imobiliário foi estruturado em março de 2018, através de uma emissão via ICVM 476 e tem por objetivo auferir rendimentos por meio do investimento em instrumentos de renda fixa ligados ao setor imobiliário, principalmente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Além disso, o BTCR11 vai além de apenas investimentos em CRI, utilizando outros instrumentos para a geração de rendimentos, como Letras de Crédito Imobiliário (LCI). A taxa de administração e gestão do fundo é de 1% ao ano e o gestor responsável é o BTG Pactual Gestora de Recursos LTDA.

O gestor do BTG Pactual Crédito Imobiliário comenta que o ano de 2021 começou apresentando desempenho positivo dos índices de inflação como IGP-M e o IPCA, mesmo com a continuidade do período de pandemia do Coronavírus (COVID-19).

A gestão do BTCR11 explica que com o fato explicado acima, o cotista pode observar um aumento gradual na distribuição dos CRI, e assim, do próprio fundo. A principal variável que vem segurando um avanço mais rápido dos rendimentos do fundo são as operações atreladas à CDI.

Além disso, foi dito pelo BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11) sobre o panorama de alta da inflação e o eventual ganho de capital na alienação de cotas dos FII e CRI existentes na carteira, geram uma perspectiva positiva de aumento do dividendo do fundo ao longo dos próximos meses.

Importante dizer que a gestora do BTCR11, desde a última emissão, iniciou um processo de diminuição gradual da exposição em CDI em favor de CRIs expostos à inflação. O caixa livre representa cerca de 6% do patrimônio líquido do fundo. Porém, mesmo com o caixa reduzido ela segue ativa na estruturação e análise de novas operações.

Resultados e rendimentos do BTCR11

No mês de fevereiro de 2021, o total de receitas do fundo foi menor que o de janeiro, com receita de CRI acompanhando esses números. Enquanto em fevereiro as receitas do BTCR11 foram de R$3,34 milhões, em janeiro havia sido de R$8,41 milhões. A receita de CRI em fevereiro foi de R$2,747 milhões, frente a R$7,987 milhões em janeiro.

Em janeiro, as despesas do BTG Pactual Crédito Imobiliário foram de R$386 mil e em fevereiro de 2021 foram de R$384,3 mil. O lucro líquido em fevereiro foi de quase R$2,947 milhões, enquanto janeiro tinha sido de R$7,97 milhões.

Importante dizer que apesar dessa diferença nos números, o mês de janeiro do BTCR11 acabou sendo uma exceção em relação a isso, comparado com meses próximos. Só para se ter uma ideia, os números de fevereiro citados aqui foram menores que os de janeiro, mas foram maiores que os de novembro e dezembro, por exemplo.

O lucro por cota do BTG Pactual Crédito Imobiliário em fevereiro foi de R$0,61, enquanto em janeiro havia sido de R$1,65. Além disso, o rendimento em fevereiro foi de R$0,60, frente a R$0,57 em janeiro. O dividend yield anualizado no mês foi de R$8,15%. Essa rentabilidade por cota pode ser vista melhor através do gráfico:

Portfólio do BTCR11

O volume mensal negociado no mercado secundário do BTCR11 foi de R$8,87 milhões. Na alocação de portfólio do fundo, 92% está em CRIs, 6% em renda fixa e 2% em Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs).

Sobre as características da carteira de CRIs do BTG Pactual Crédito Imobiliário, os 10 maiores devedores são:

  1. GPA - 14%;

  2. JSL - 14%;

  3. GJP - 13%;

  4. Vitacon - 11%;

  5. FII - 11%;

  6. HBR - 11%;

  7. BRF - 9%;

  8. Bossa Nova - 6%;

  9. Rigesa - 6%;

  10.  JCC - 5%;

Ainda sobre a carteira de Certificados de Recebíveis Imobiliários do BTCR11, a distribuição por indexadores e taxas médias se dá da seguinte forma:

  • IPCA+5.75% - 53%;

  • DI+2.25% - 42%;

  • IGP-M+8.30% - 5%;

O prazo médio envolvido nessa carteira de CRIs do BTG Pactual Crédito Imobiliário se distribui em 3 períodos principais:

  1. entre 4 e 7 anos - 66%;

  2. entre 2 e 4 anos - 25%;

  3. menos de 2 anos - 9%;

O patrimônio líquido do BTCR11 chegou a marca de cerca de R$463,81 milhões, conforme aponta o relatório gerencial referente a março de 2021. O número de cotas chegou a 4,81 milhões e o número de cotistas em 7.791.