O Itaú BBA divulgou um relatório semanal de fundos imobiliários, destacando os principais destaques dos FIIs nesse período observados pela instituição.

Na análise setorial dos fundos imobiliários, o Itaú destacou que o valor de mercado do IFIX é de quase R$ 102,86 bilhões, dos quais 45,3% são de ativos financeiros, equivalente a um montante de R$ 46,6 bilhões. Outros 19,8% se referem ao setor logístico, industrial e varejo, em um total de R$ 20,93 bilhões.

Desse modo, a parcela remanescente da composição do IFIX de 34,9% está distribuído nos setores de escritório, shoppings, agências bancárias e fundo de fundos, com valor de R$ 35,33 bilhões.

No mês de julho, o volume médio diário de negociação é de R$ 214 milhões, número que ficou abaixo do volume médio diário de 2022, que foi de R$ 217 milhões. O Itaú também divulgou o desempenho dos fundos imobiliários no período dos últimos 7 dias, 30 dias e 12 meses.

No intervalo dos últimos 7 dias, A variação do IFIX foi de -0,5%, de modo que o principal destaque positivo entre os fundos imobiliários foi o XPPR11, que subiu 4,8%, enquanto a maior queda foi o RBRP11, de 6,1%.

Nos últimos 30 dias, o IFIX caiu 0,9%, de modo que o fundo imobiliário RBFF11 subiu 8,9%, sendo o principal destaque de alta nesse período. Entre as baixas, se destacou o BTRA11, com uma variação de -18,5%.

Já nos últimos 12 meses, os principais destaques de alta e baixa do IFIX foram os fundos imobiliários AFHI11 e RBRP11, respectivamente, com variações de +26,6% e -32,3%. Nesse período, o IFIX caiu 2,1%.

Principais acontecimentos dos fundos imobiliários de galpões na última semana

No segmento de fundos imobiliários de galpões logísticos, o Itaú destacou que o fundo  GGRC11, na ação de execução de título extrajudicial proposta pelo fundo frente a Covolan e seus fiadores, foi requerida pela assessoria jurídica do FII a penhora das indenizações cabíveis à empresa, vindas da apólice de seguro com o sinistro que atingiu o imóvel em fevereiro de 2022.

No dia 7 de julho desse ano, o fundo imobiliário GGRC11 diz que foi proferida a decisão que concedeu o pedido de penhora até atingir o valor do débito, que é de cerca de R$ 5,309 milhões.

Além disso, outro destaque dos fundos imobiliários de galpões foi o BTLG11, que realizou as liquidações da 1ª série da 22ª e 25ª emissões de Certificados de Recebíveis Imobiliários da Vert Companhia Securitizadora (CRIs) no montante total de cerca de R$ 54,29 milhões.

Com isso, a estimativa da gestora é de que a liquidação traga uma diminuição da despesa financeira de cerca de R$ 0,05 por cota nos rendimentos no BTLG11, na comparação com o mês de junho de 2022.

Outro destaque dos fundos imobiliários de galpões logísticos na semana foi o BRCO11, que informou a finalização com a WestRock da assinatura do contrato de locação de 14.212,00 metros quadrados do imóvel Bresco Itupeva, correspondente a 36,6% da Área Bruta Locável do imóvel, com um prazo de vigência de 7 anos.