O Fundo de Investimento Imobiliário BTG Pactual Logística (BTLG11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros, divulgou nesta segunda-feira (28) o seu relatório gerencial do mês de maio, no qual descreveu seu resultado e rendimento mensal, assim como a atualização de seu portfólio.

O objetivo do fundo BTLG11 é alcançar renda e ganho de capital através da exploração de empreendimentos imobiliários. O foco desses empreendimentos são em operações no segmento de logística. Até então, foram 10 emissões ao todo que foram realizadas pelo fundo.

No mês de maio, o BTG Pactual Logística diz que obteve um resultado expressivo não recorrente por conta do “descasamento entre o regime contábil das receitas e o regime de caixa, modalidade que são apurados os resultados passíveis de distribuição”.

Portfólio do BTG Pactual Logística

Os destaques do BTLG11 no mês no sentido de comercialização foram o ativo Jundiaí e o ativo BTLG GRU. O ativo Jundiaí é o investimento com a maior relevância no fundo. Este ativo teve sua vacância zerada. Já em relação ao ativo BTLG GRU, 7 meses depois da aquisição do ativo a gestão locou 100% de sua área, cm 100.028 m².

O prazo de locação do ativo Jundiaí é de 10 anos. Este representa uma expansão da MadeiraMadeira, que é responsável por uma área de 44.451 m² no imóvel. Já o prazo de locação do ativo BTLG GRU é de 5 anos com uma área de 4.166 m², ou seja, 21% da Área Bruta Locável do imóvel.

Cerca de 89% da Área Bruta Locável do BTLG11 se localiza em São Paulo, enquanto 5% está no Ceará e 4% no Rio de Janeiro. Do mesmo modo que 2% está em Santa Catarina. Na 52% da tipologia dos contratos são típicos e 48% são atípicos.

Por setor, os inquilinos se distribuem em:

  • Desenvolvimento - 26%;
  • Logística - 22%;
  • A&B - 14%;
  • E-commerce - 9%;
  • Automotivo - 7%;
  • Celulose - 6%;
  • Varejo - 5%;
  • Farma - 2%.

No perfil dos ativos, o BTLG11 tem 59% em logística, enquanto em desenvolvimento é de 26%. O setor industrial representa 12% e 2% em varejo. Por indexador, 54% do portfólio do fundo está em IGP-M e 46% em IPCA.

BTLG11 anuncia resultados e rendimentos do mês de maio

Resultados e rendimentos do BTLG11

No mês de maio, o BTLG11 distribuiu R$ 0,70 por cota aos seus investidores, que corresponde a um Dividend Yield de 7,52%, considerando a cota de fechamento do mês. Nos últimos 12 meses, o retorno é de cerca de 20,7%.

O valor de mercado do fundo é de R$ 1,552 bilhão, enquanto o valor por cota é de R$ 111,70. Já o valor patrimonial da cota é de R$ 101,09. O número de investidores do fundo atingiu a marca dos 111.547. Além disso, o volume mensal alcançou R$ 145,1 milhões.

O BTLG11 teve no mês de maio R$ 12,07 milhões no total de receitas e a despesa foi de R$ 1,31 milhão. Desse modo, o resultado do período foi de R$ 10,76 milhões, que representa R$ 0,83 por cota, em meio a 13,89 milhões de cotas emitidas.