A gestão do Capitânia Reit FOF FII (CPFF11) detalhou em seu relatório gerencial divulgado nesta quinta-feira (25), a performance do fundo no mês de fevereiro. Desta forma, a gestora Capitânia publicou os resultados do FII e ainda fez uma análise da conjuntura econômica. 

A gestão do CPFF11 informou o resultado das últimas duas emissões de cotas realizadas pelo fundo, no total de R$351 milhões.  

De acordo com a Capitânia, “o incremento de capital foi de R$ 23,1 milhões, +6,6% do Capital Líquido, um alpha de 9,36% sobre o IFIX em apenas um ano e dois meses”.

Para explicar os resultados do mês de fevereiro, a gestora ressaltou como o CPFF11 dividiu suas prioridades de investimentos.

Além das operações no mercado secundário, o fundo também tem acesso às operações ancoradas, que “não são oferecidas ao mercado em geral e os veículos da Capitânia conseguem negociar termos e condições muito atrativos diretamente com os vendedores e gestores dos FIIs”.

Justamente essas operações tiveram um rendimento bem superior ao IFIX, ou seja, 16,74% contra -5,45% do índice. No fim das contas, 64% da carteira do CPFF11 é composta destas operações ancoradas. 

Confira na tabela abaixo os resultados do fundo:

tabela cpff11

Comentário do momento econômico

Além da exposição dos resultados, a gestão também fez sua análise do contexto econômico global. 

Mesmo que a maioria das grandes economias também estejam com medo do potencial inflacionário atual, a tendência de valorização dos ativos de risco continua em alta. 

A maioria dos índices fecharam em alta no mês de fevereiro, juntamente com a valorização das commodities e do preço do petróleo.

No Brasil, o destaque negativo, de acordo com a Capitânia, foi o “intervencionismo” do presidente Jair Bolsonaro na Petrobras. 

A gestora interpretou os atos recentes do presidente como superação do seu “lado centralista em detrimento do lado liberal”.  

Diante disso, os juros no país têm crescido, além da inflação e da valorização do dólar. Em contrapartida, a inflação continua acima da meta e o Ibovespa recuou -4,4% em fevereiro. 

O mercado de FIIs e o Capitânia FoF

Mesmo com as dificuldades econômicas listadas acima, o CPFF11 superou o IFIX em fevereiro, principalmente puxado pelo segmento de renda urbana e de galpões logísticos. 

Outro setor que aqueceu o mercado de FIIs foi o segmento de recebíveis imobiliários, com os fundos de CRIs. Com o aumento nos índices de inflação, os FIIs de CRI conseguiram distribuir bons dividendos neste mês. 

Por outro lado, a Capitânia reforçou que o setor de shopping contribuiu para a queda do IFIX no mês passado, afinal, “as cotações no mercado não reagiram bem com os investidores precificando novos cortes de dividendos nos próximos meses”. 

Observe abaixo a composição do portfólio do fundo dividido em setores:

cpff11

Mesmo assim, a gestão avaliou como positivo o desempenho dos fundos de tijolo. A gestora firmou que o CPFF11 seguirá “com um posicionamento defensivo em boa parte do portfólio, em segmentos de menor risco que tenham contratos atípicos de longo prazo com bons devedores e com preço por m² de tijolo conservador”.

Conheça o CPFF11

O Capitânia Reit FOF FII é um fundo de fundos, com o objetivo de aplicar primordialmente, em cotas de FIIs, e, complementarmente, em ativos imobiliários, visando a valorização e a rentabilidade de suas cotas.

Seu patrimônio líquido é de R$ 340 milhões e a taxa de administração do CPFF11 é de 0,75%a.a. sobre patrimônio líquido.