O Fundo de Investimento Imobiliário Integral BREI Fundo de Fundos (IBFF11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM, divulgou nesta sexta-feira (29) o seu relatório gerencial do mês de julho de 2021, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O objetivo do FII Integral BREI Fundo de Fundos Imobiliários (IBFF11) é alcançar rendimentos e ganho de capital através da compra de cotas de outros Fundos de Investimento Imobiliário, assim como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras Hipotecárias (LH) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

O IBFF11 ressalta que no mês de julho se viu um período desafiador para o mercado em geral, sobretudo pelo aumento no estresse político interno, que se soma ao cenário negativo internacional, por meio da inflação nos EUA, controle estatal na China e também o crescimento do número de casos de COVID-19 em países desenvolvidos.

O mês de julho terminou com uma queda de 3,94% no Ibovespa e um crescimento do dólar em 2,39%. Mesmo com o recesso parlamentar, o mês acabou sendo agitado em Brasília, com a CPI da Covid e a tensão entre o legislativo e o executivo no que se refere ao voto impresso e falas de Bolsonaro sobre o Ministro do TSE, Barroso, o que piorou a relação entre os poderes.

Portfólio do Integral BREI Fundo de Fundos

Durante este período, ocorre a liquidação do CRI Attenta, liberando um volume relevante para novas alocações. Para manter e aumentar a exposição nesta classe de ativos, a gestão ampliou a posição no IBCR11, ainda em emissão via oferta 476, sendo atualmente a 4ª maior posição do fundo.

No mercado secundário, o IBFF11 adquiriu XPCI11, VGIP11 e CPTS11. O fundo optou por manter “uma reserva de oportunidade para as próximas semanas conforme a volatilidade e incertezas vistas no mercado”.

A composição da carteira do Integral BREI Fundo de Fundos se dá com 92,7% em Fundos Imobiliários, enquanto 7,3% está em caixa. Por estratégia, essa divisão acontece por 51,4% em renda e 48,6% em ganho de capital. Importante dizer que 63,1% das aquisições feitas pelo fundo ocorreram no mercado secundário, enquanto 31,3% foram na oferta 476.

Na alocação por segmento, a carteira do IBFF11 se divide em:

  • Corporativo - 47,7%;
  • Logístico - 28,5%;
  • Papéis - 14,8%;
  • Shopping - 7,3%;
  • FOF - 1,7%.

Veja mais detalhes do portfólio do IBFF11 através do gráfico a seguir:

IBFF11 anuncia resultado de julho em relatório gerencial mensal

Resultados e rendimentos do IBFF11

Em julho, o IBFF11 teve um lucro de R$ 914 mil. Desse modo, o fundo terminou o mês com resultado equivalente a R$ 1,37 por cota. Os dividendos do mês foram de R$ 0,70 por cota, que é 51% do lucro distribuível no mês. Isso representa um dividend yield anualizado de 13,35%.

Nos últimos 12 meses, a distribuição do Integral BREI Fundo de Fundos foi de R$ 5,24 por cota. Desde que o fundo se iniciou, a distribuição acumulada foi de R$ 10,40 por cota. Isso representa uma média por mês de R$ 0,45 por cota em dividendos, ou seja, um dividend yield anualizado de 7,86%.

O deságio da cota de mercado em relação à cota patrimonial era de 18,22% até o final de julho. Desse modo, indica-se que está ocorrendo uma precificação do valor de mercado ainda aquém do potencial que o IBFF11 pode oferecer.

Ao final do mês de julho, o IBFF11 tinha um valor de mercado de R$ 44,46 milhões, que corresponde a R$ 66,69 por cota. O valor patrimonial do fundo foi de quase R$ 54,36 milhões, que equivale a R$ 81,55 por cota. Já o número de cotistas alcançou a marca dos 5.342.