O Fundo de Investimento Imobiliário VBI Logístico (LVBI11), administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, divulgou o seu relatório gerencial do mês de junho, no qual descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O objetivo do VBI Logístico (LVBI11) é a obtenção de renda e ganho de capital, através do investimento de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido diretamente em imóveis ou direitos reais sobre imóveis do segmento logístico, ou industrial.

Do mesmo modo que o VBI Logístico pode investir em imóveis indiretamente, como por ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cota de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) e cotas de fundos de investimento em participações.

Portfólio do VBI Logístico

A taxa de vacância financeira ficou zerada, já que “os únicos espaços vagos do portfólio são os quatro módulos disponíveis para locação no G01 do ativo Aratu, que não impactam financeiramente o fundo, dado que foi negociado rendimento preferencial mínimo até maio/2023 junto ao vendedor do ativo”, explicou o fundo.

Em outubro não se teve movimentações na carteira de locatários. Sendo assim, ao final do período o LVBI11 alcançou uma taxa de vacância física de 2,3%. A alocação por classe do fundo é 93% em ativos classe A e 7% em ativos classe B. A carteira de ativos do LVBI11 se distribui entre 7 segmentos:

  • Logística - 32%;

  • E-commerce - 25%;

  • Varejo - 13%;

  • Bebidas - 12%;

  • Retorno sobre capital - 8%;

  • Bens de Capital - 6%;

  • Beleza e Estética - 2%;

  • Eletrodoméstico - 1%;

  • Farmacêutica - 1%.

A distribuição por indexador é de 62% no IGP-M, 29% no IPCA e 9% no IPC. Além disso, 66% dos contratos são típicos, 23% atípicos e 8% em retorno sobre capital investidor. O vencimento dos contratos são 23% em algum ano além de 2030 e 15% em 2026. Por região, o VBI Logístico tem seus ativos distribuídos em:

  • Raio 30 São Paulo - 44%;

  • Extrema - 29%;

  • Região Metropolitana de Curitiba - 10%;

  • Região Metropolitana de Belo Horizonte - 9%;

  • Região Metropolitana de Salvador - 8%.

A alocação por ativo em relação à receita do LVBI11 é realizado da seguinte forma:

  • Extrema - 29%;

  • Jandira - 11%;

  • Araucária - 10%;

  • Mauá - 9%;

  • Guarulhos - 7%;

  • Aratu - 8%;

  • Betim - 9%;

  • Itapevi - 7%;

  • Pirituba - 6%;

  • Cajamar - 4%.

LVBI11 anuncia resultado do mês de outubro em relatório gerencial

Resultados e rendimentos do LVBI11

O VBI Logístico (LVBI11) iniciou as atividades em novembro de 2018 e tem 11.775.177 de cotas emitidas. A taxa de administração total é a taxa efetiva da competência de setembro de 2021, de 0,94%.

O patrimônio líquido do LVBI11 é de quase R$ 1,35 bilhão e o valor de mercado é de R$ 1,154 bilhão. O valor patrimonial da cota foi de R$ 114,73 e o valor de mercado da cota de R$ 98,00. O volume médio diário negociado no mês foi de R$ 2 milhões.

O VBI Logístico pagou um dividendo por cota de R$ 0,67 e o dividend yield anualizado com base no valor da cota negociada na B3 em 29 de outubro é de 8,2%. Já o dividend yield considerando o valor da cota patrimonial na mesma data é de 7,0%. O número de cotistas alcançou a marca dos 39.133.

A distribuição por cota em setembro foi de R$ 0,65 e em agosto de 2021 foi de R$ 0,63. O volume negociado durante o mês atingiu o montante de R$ 40,3 milhões, o que corresponde a 3,5% do valor de mercado.

A receita imobiliária do LVBI11 em outubro foi de R$ 9,4 milhões e as despesas de R$ 1,6 milhão. O resultado operacional era de R$ 7,8 milhões. Com o resultado financeiro líquido de R$ 200 mil, o lucro líquido também é de R$ 7,7 milhões.