A Gestora VBI Real Estate publicou o relatório de gestão do FII PVBI11, administrado pelo BTG Pactual, referente ao mês de janeiro de 2021.

Primeiramente, há destaque para reparos procedidos no edifício Faria Lima 4.440, um dos principais ativos do Fundo, com conclusão em junho de 2021.

No mais, o Fundo encerrou o mês de janeiro com R$ 137,7 milhões em caixa.

A Gestão entende ser tal valor alto, pelo que esclarece que vem trabalhando de forma ativa com um pipeline de aquisições para alocar os recursos em caixa o mais breve possível.

Também, vem trabalhando na negociação dos contratos com revisionais ou renovatórias previstas para os próximos meses.

Vale ressaltar, conforme informado no relatório de dezembro, o Fundo adquiriu R$ 30 milhões em cotas do fundo imobiliário de imóveis corporativos Hedge AAA FII (HAAA11).

Na visão da Gestora, a aquisição de cotas do Fundo Hedge AAA está alinhada com a estratégia do PVBI, pois visa uma melhor eficiência dos recursos hoje em caixa.

Tal aquisição ainda garante uma pequena exposição em um imóvel Triple A, em uma das regiões que mais cresce na cidade de São Paulo, a região da Chucri Zaidan.

A partir do dia 04 de janeiro de 2021, o Fundo passou a compor o IFIX com uma participação de 1,053%.

Rentabilidade

Em 29 de janeiro, o valor de mercado da cota do Fundo era de R$ 96,00, enquanto o valor patrimonial era de R$ 96,49.

Considerando o valor da cota ajustado pelo rendimento até 29 de janeiro, o Fundo acumula -1,9%, contra +5,7% do IFIX e +0,9% do CDI.

Liquidez

Durante o mês de janeiro, o Fundo apresentou uma liquidez média diária de R$ 4,2 milhões.

O volume negociado durante o mês atingiu o montante de R$ 79,2 milhões, o que corresponde a 8,5% do valor de mercado na mesma data.

Ao final de janeiro, o Fundo possuía 25,2 mil cotistas, o que representa um crescimento de 18% em relação ao mês anterior.

Ativos

O fundo PVBI11 possui uma carteira de ativos relativamente pequena, quando considerados outros fundos da mesma gerência e administração (vide LVBI11), conforme listado abaixo.

No entanto, tratam-se de ativos de alto valor agregado em centros comerciais consolidados em SP.

Ao final do mês de janeiro, ambos os imóveis permaneciam 100% ocupados.

O Fundo recebeu a totalidade de sua carteira de recebíveis imobiliários de competência do mês de dezembro e não possuía qualquer inadimplência.

É importante mencionar que com exceção de um contrato de estacionamento, 100% dos contratos do Fundo são ajustados pelo IGP-M.

Nesse contexto, muito embora o índice venha crescendo de forma acelerada nos últimos meses (25,7% nos últimos 12 meses), todos os contratos que previam reajuste no mês receberam o repasse da inflação integralmente.

Fundo de Fundo

O fundo possui ainda cotas do fundo HAAA11 LAJES COMERCIAIS.

Administrado e gerido pela Hedge Investments, o HAAA11 tem como objetivo investir ao menos 2/3 do seu PL, direta ou indiretamente, em empreendimentos construídos, preponderantemente destinados a escritórios, no todo ou em parte.

Atualmente, o portfólio do Fundo é composto pela fração ideal de 25% da totalidade da Ala B e do 3º pavimento da Ala A do imóvel denominado “WT Morumbi”.

Trata-se de prédio corporativo de alto padrão, 100% locado para diversas empresas, localizado na Av. das Nações Unidas, 14.261.

Esta aquisição possui renda mínima mensal garantida pelo vendedor e considera a distribuição de rendimentos no patamar de pelo menos 6,5% ao ano.

Resultados

Em janeiro, o resultado operacional do Fundo foi de R$ 4,5 milhões.

No mês, a receita financeira foi de R$ 0,3 milhões.

Desta forma, o lucro líquido para o mês foi de R$ 4,7 milhões, sendo o resultado distribuído aos cotistas de R$ 4,8 milhões.

Sobre o Fundo VBI Prime Properties (PVBI11)

O PVBI11 tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio de investimento de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido diretamente em imóveis do segmento corporativo ou comercial.

Além disso, o investimento se dá também por aquisição de direitos reais em imóveis do segmento.

Indiretamente, investe mediante aquisição de ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cotas de Fundos de Investimento Imobiliário e cotas de Fundos de Investimento em Participações.

O Fundo teve início em julho de 2020 e é administrado pelo BTG Pactual.

Atualmente, o FII conta  com 9.720.000 cotas emitidas e um patrimônio líquido aproximadamente R$ 938 milhões.

Abaixo, o balanço patrimonial do FII.

Assim, em resumo, tem-se que o FII é recente em sua constituição e conta com carteira de ativos restrita, porém sólida, assim como sua administração e gestão.