O Fundo de Investimento Imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), administrado pela BRL Trust Investimentos, divulgou nesta quarta-feira (3) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu portfólio.

O TRXF11 destaca que em 11 de fevereiro o fundo recomprou créditos imobiliários, que eram lastro do CRI da 81ª Série da Bari Securitizadora. A recompra alcançou R$31 milhões e cumpriu o objetivo de desalavancagem parcial do TRX Real Estate com os recursos da 4ª emissão de cotas.

Além disso, entre os destaques de fevereiro, o TRX Real Estate ressaltou o crescimento do número de investidores, 12,6% no período, alcançando pouco mais de 20 mil cotistas.

O TRXF11 assinou no mesmo período um aditivo contratual com a Sodimac, prevendo a extensão do prazo de aviso prévio de 30 dias para 12 meses. Além disso, assinou também o prolongamento do prazo da multa por rescisão antecipada de 6 para 8 meses.

O TRX Real Estate relatou que a última medida realizada esteve em contrapartida com desconto em relação ao reajuste anual que seria realizado pelo IGP-M, e que agora será feito pelo IPCA, novo índice de correção do contrato de locação.

Comentário do gestor

O gestor do TRXF11, que é o TRX Gestora de Recursos, destacou que no mês de fevereiro se viu uma alta volatilidade nos mercados de renda variável. O IFIX manteve a sequência de meses com uma rentabilidade positiva, embora a valorização do período tenha sido tímida.

A gestão do TRX Real Estate destacou ainda que a volatilidade não esteve apenas com os investidores brasileiros, uma vez que nos mercados internacionais começaram o mês de fevereiro de forma muito positiva para os principais índices de ações, com destaque para o S&P 500, que alcançou uma nova marca histórica.

Além disso, o TRX Real Estate ressaltou que é importante que os investidores de fundos imobiliários estejam atentos a questões alinhadas ao ciclo imobiliário, principalmente no que se refere a decisões de curto prazo sobre comprar, vender ou até mesmo manter um ativo.

De antemão, o TRXF11 relatou que entende que no longo prazo o grande diferencial no retorno estará mais ligado a qualidade dos imóveis investidos e a capacidade da gestão, do que propriamente as questões macroeconômicas.

Resultados e rendimentos do TRXF11

O TRXF11 iniciou suas atividades em outubro de 2019 e acumulou até o final de fevereiro R$560,28 milhões em valor patrimonial. Bem como, o número de cotas emitidas alcançou quase 5,23 milhões.

Com isso, o valor da cota patrimonial até o final de fevereiro alcançou R$107,17, enquanto o valor de mercado da cota do TRX Real Estate, R$111,89.

Com 100% de presença nos pregões do mês, o TRX Real Estate teve no período R$58,05 milhões em volume de negociação, correspondente a um giro de 11,75% do total de cotas negociadas.

TRXF11 divulga resultados e o portfólio no mês de fevereiro

Além disso, a receita imobiliária do TRXR11 totalizou no mês de fevereiro R$4,52 milhões, enquanto os rendimentos mobiliários foram de R$1,23 milhão. As despesas financeiras foram de R$2,81 milhões.

Como resultado, considerando as despesas operacionais e receitas financeiras, o resultado operacional do TRX Real Estate atingiu R$2,51 milhões, com R$0,56 por cota. A distribuição do mês de fevereiro chegou a quase R$3,21 milhões, ou seja, R$0,70 por cota.

Essa distribuição por cota de R$0,70 se repete pelo 5º mês consecutivo, sequência iniciada no mês de outubro de 2020.

TRXF11 divulga resultados e o portfólio no mês de fevereiro

Portfólio do TRXF11

Os perfis dos imóveis do TRXF11, considerando a Área Bruta Locável (ABL), estão divididos em 85,15% no varejo e 14,85% no logístico. A alocação de recursos do fundo está distribuída em 3 divisões principais:

  1. Imóvel - 70,2%;
  2. TRXB11 - 25,1%;
  3. Renda Fixa - 4,7%.

TRXF11 divulga resultados e o portfólio no mês de fevereiro

A receita de aluguel do TRXF11 é diversificada entre 5 ativos:

  • Assaí - 40,21%;
  • Pão de Açúcar - 35,00%;
  • Extra - 14,68%;
  • Sodimac - 5,32%;
  • Camil - 4,80%.

Em suma, o segmento de atuação do inquilino está concentrado em varejo (49,67%) e atacadista (40,21%). Importante lembrar que 100% dos contratos do TRX Real Estate são atípicos.