O Fundo de Investimento Imobiliário Fator Verità (VRTA11), administrado pelo Banco Fator S.A., divulgou nesta terça-feira (16) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

Conforme aponta o relatório, o fundo Fator Verità é um fundo de investimento imobiliário constituído sob a forma de condomínio fechado que tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária como:

O Benchmark do VRTA11 é IGP-M + 6% ao ano, com prazo de duração indeterminado. Além disso, a taxa de administração atual do fundo é de 1,00% ao ano. Como resultado, seu patrimônio líquido atingiu a marca de um pouco mais de R$1 bilhão.

O gestor do Fator Verità, que é o Fator Administração de Recursos Ltda (FAR), afirmou que em fevereiro o fundo realizou a aquisição do CRI Clariant e do CRI Sotreq, no volume total de R$42,9 milhões.

Além disso, o VRTA11 teve também o resgate antecipado do CRI Petrobrás Macaé, equivalente 0,46% do patrimônio líquido do fundo, de modo que os recursos referentes ao pré-pagamento serão destinados ao seu caixa para aquisição de novos CRIs e os recursos excedentes caracterizados como prêmio de pré-pagamento serão destinados aos cotistas.

Portfólio do VRTA11

O Fator Verità destaca que os processos de originação e análise de operações têm se mantido acelerados para que eles façam a alocação da melhor maneira possível com os melhores ativos de acordo com o perfil do fundo.

O VRTA11 está trabalhando com a análise dos CRIs do pipeline para alocação dos recursos da 7ª emissão de cotas, que conta com operações em diferentes fases. Atualmente, o fundo diz que fez a aquisição de 10 das operações que foram liquidadas, no volume total de R$295 milhões.

Além disso, o Fator Verità diz que foram aprovados em comitê interno 7 CRIs que totalizam o volume de R$200 milhões de aquisição, que estão em fase de finalização dos contratos lastro, finalização das diligências e contratação dos prestadores de serviço. Dentre estes CRIs, 4 serão aquisições exclusivas.

Na composição da carteira do VRTA11, as 5 principais posições em percentual do total investido são:

  1. Arteris - 4,03%;
  2. Canopus PPP III - 3,96%;
  3. Grupo Sinal - 3,75%;
  4. Quero-Quero - 3,67%;
  5. GPA TRX III - 3,13%;

Na distribuição dos ativos da carteira doFator Verità por securitizadora, a principal posição é a ISEC, com 20%. Logo em seguida temos a True, com 14,8% e a Gaia com 13,3%. Alem disso, na distribuição por setor devedor, se destaca o Soberano com 32,3%, seguido de Devedor Pulverizado, com 10,7%.

VRTA11 divulga portfólio, resultados e rendimentos de fevereiro

Em tipos de ativos, a carteira do VRTA11 se distribui 68% em CRI e 32% em caixa. Em indexadores, a carteira ela é distribuída em:

  • IPCA - 76%;
  • CDI+ - 11%;
  • IGPM - 10%;
  • CDI % - 3%;
  • IGP-DI - 1%;

VRTA11 divulga portfólio, resultados e rendimentos de fevereiro

Resultados e rendimentos do VRTA11

O VRTA11 finalizou o mês de fevereiro com R$329 milhões em caixa e atualmente possui um resultado acumulado de R$0,20 por cota, gerados a partir de multas de pré-pagamento e trades no secundário.

Desse modo, a cota patrimonial do Fator Verità terminou o mês de fevereiro em R$100,81, enquanto a cota de mercado foi de R$115,41. O número de cotas emitidas até o momento é de 10 milhões e a distribuição por cota no período foi de R$0,91 por cota, ou seja, totalizando um dividend yield patrimonial de 0,89%.

Alem disso, no mês de fevereiro de 2021 o VRTA11 teve um total de receitas de quase R$10,45 milhões. As despesas do fundo foram de aproximadamente R$1,027 milhão. O resultado recorrente (CRI) no período foi de R$9,7 milhões e a distribuição efetiva totalizou R$9,1 milhões.

Em suma, o volume total do VRTA11 em fevereiro no mercado secundário foi de R$49,9 milhões. Nos últimos 12 meses, o fundo fez uma distribuição efetiva que totalizou no montante de aproximadamente R$71 milhões.