O Fundo de Investimento Imobiliário XP Malls (XPML11), administrado pela BTG Pactual Serviços DTVM, divulgou nesta sexta-feira (5) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O gestor do XPML11, XP Vista Asset Management, comentou a respeito do começo do ano de 2021, no qual foi bastante difícil para os shoppings no Brasil. Destacou-se nesse caso, o fechamento de dois shoppings que faziam parte do portfólio do fundo, por conta do agravamento da pandemia durante o mês.

Segundo o XP Malls, os shoppings que tiveram que fechar foram o Ponta Negra, sendo reaberto apenas na última semana de fevereiro, e também o Catarina Fashion Outlet, que ficou fechado no período de pouco mais de uma semana em janeiro.

O XPML11 destaca que até o último trimestre de 2020 começava a ocorrer uma recuperação do setor de shoppings no Brasil, porém a sua continuidade acabou sendo postergada para provavelmente o segundo semestre de 2021, conforme houver uma aceleração da vacinação contra a Covid-19 no país para tal.

Indicadores e portfólio do XPML11

Com essa situação que foi descrita pelo XP Malls, os indicadores operacionais do portfólio acabaram sofrendo durante o mês de janeiro. Tanto é que nesse período, comparando com o ano anterior, apenas um shopping teve resultado positivo,  o Cidade Jardim.

O fundo XPML11 lembra que no mês de janeiro se obteve o maior custo de ocupação desde o início do fundo, atingindo 16,3%, número que também tem uma relação com os boletos do Natal e do aluguel dobrado no mês de dezembro.

O XP Malls recebeu no mês de janeiro a segunda parcela de venda do Parque Shopping Belém, com valor equivalente a 28% do preço total de venda. Esse recebimento gerou um lucro imobiliário de relevância, afirmou o gestor, que reitera que o fundo receberá outras duas parcelas de 28% do preço de venda, uma em julho de 2021 e outra em janeiro de 2022.

No portfólio do XPML11 a distribuição do investimento por classe de ativo em geral se dá da seguinte forma:

  • Imóveis - 89,6%;
  • CRI Conversível - 5,2%;
  • Renda fixa e outras aplicações de caixa - 2,7%;
  • À receber (venda de imóvel) - 2,0%;
  • FII - 0,5%.

XPML11 divulga resultados e rendimentos em relatório de fevereiro

Importante lembrar que durante os meses de dezembro de 2020 e janeiro de 2021 o XP Malls vendeu a maior parte dos FIIs que compunha sua carteira de investimentos, desde quando foram adquiridos em março de 2020. Nesse sentido, as transações do XPML11 trouxeram um ganho ao fundo de aproximadamente R$0,15 por cota.

Na carteira imobiliária do XP Malls estão presentes 12 shoppings centers, que totalizam uma Área Bruta Locável (ABL) de aproximadamente 364.278 m² e quase 1800 lojas. A ABL própria do fundo é de 103.274 m² .

Resultados e rendimentos do XPML11

O XP Malls adquiriu um total de receitas no mês de janeiro de R$9,97 milhões, acumulando nos últimos 12 meses quase R$76,03 milhões. As despesas do fundo no mês foram R$1,55 milhão, 100% vindos das despesas operacionais.

O XPML11 alcançou no mês de janeiro um resultado de aproximadamente R$8,418 milhões, acumulando R$56,266 milhões nos últimos 12 meses. O rendimento distribuído no mês foi cerca de R$6,37 milhões, atingindo a marca dos R$55,59 milhões no total referente ao período de 12 meses.

No mês de fevereiro, o XPML11 divulgou o pagamento de R$0,35, valor do rendimento distribuído por cota. A divulgação foi feita no dia 18 de fevereiro e o pagamento foi realizado no dia 25 de fevereiro.

O valor ficou um pouco abaixo do que foi distribuído por cota nos últimos 3 meses de 2020 pelo XP Malls, como podemos ver no gráfico a seguir, que apresenta a composição do resultado financeiro e distribuição por cota dos últimos 12 meses.

XPML11 divulga resultados e rendimentos em relatório de fevereiro

A liquidez do XPML11 no mês de fevereiro foi de quase R$118,37 milhões e um total de aproximadamente 1,1 milhão de negociações. O giro no mês em questão foi de 5,8%, enquanto nos últimos 12 meses foi de 75,6%. A quantidade de cotas para o período é de quase 18,21 milhões com o valor da cota no fechamento de fevereiro em R$108,39.

Em janeiro, o XPML11 obteve um valor patrimonial da cota de R$111,77, enquanto o patrimônio líquido total do mês alcançou aproximadamente R$2,035 bilhões. O retorno total bruto do fundo no período foi de -1,67%. A diferença de desempenho do IFIX (0,31%) foi de -1,99%.