A BV Asset, gestora do fundo imobiliário BB Progressivo II (BBPO11), informou que o Banco do Brasil manifestou sua intenção de não renovar os contratos de locação de 2 imóveis de propriedade do FII.

O contrato do fundo imobiliário BBPO11 se refere as agências Carijós e Ipiranga, que estão localizadas, respectivamente, em Belo Horizonte - MG e São Paulo - SP. O prazo do contrato do Banco do Brasil com o fundo BBPO11 acaba no mês de novembro de 2022.

A BV Asset também diz que continua negociando com o locatário a renovação dos contratos de locação de 4 imóveis do fundo, com prazos de locação que também se encerram em novembro de 2022. Estes não foram objeto de renegociação estabelecida com o locatário em agosto de 2021.

Nesse caso, os 4 imóveis incluem 2 Centros de Suporte e Logística (CSL), localizados em São Paulo - SP e Curitiba - PR, e 2 agências que ficam em Bélem - PA e Belo Horizonte - MG.

A BV Asset ainda diz em seu documento que estará prontamente trazendo informações aos cotistas do fundo imobiliário BBPO11 sobre as condições comerciais das novas locações, seja em “caso de êxito, ou o eventual resultado infrutífero das negociações ora travadas”, destacou o BB Progressivo II.

Saiba mais sobre BBPO11

O fundo BBPO11 teve início em 30 de dezembro de 2012. Com quase 10 anos de mercado, o fundo tem um total de 15.919.690 cotas emitidas. Sua taxa de administração é de 0,28% ao ano e a distribuição de rendimentos é feita mensalmente, com pagamento no 10º dia útil de cada mês.

O fundo BB Progressivo II foi criado com o intuito de comprar agências e centros administrativos do Banco do Brasil, para que possam ser alugados ao próprio banco pelo prazo inicial de 10 anos por meio de contrato atípico. Com isso, se proporciona aos cotistas uma renda mensal vinda dessas locações.

O FII BBPO11 tem um total de 64 imóveis, que estão espalhados em várias regiões do Brasil. Atualmente, o fundo tem um total de 68.851 cotistas e um valor de mercado de R$ 1,3 bilhão, o que representa R$ 80,25 por cota. Já o patrimônio líquido é de R$ 1,6 bilhão, correspondendo a R$ 100,11 por cota.

Até então, desconsiderando a intenção do Banco do Brasil de não renovar a locação dos imóveis citados anteriormente, o fundo BBCO11 tem sua vacância física e financeira zeradas.