A Mirae Asset anunciou a sua carteira recomendada de FIIs para agosto, com os melhores fundos imobiliários para investir no mês. Durante o mês de julho, a sua carteira teve um desempenho positivo de 3,1%, enquanto o IFIX variou +0,7%.

Desse modo, a carteira de fundos imobiliários da Mirae Asset teve uma valorização quatro vezes maior que o IFIX, principal índice de FIIs da bolsa de valores brasileira (B3). Além disso, a performance do portfólio também ganha do índice considerando o ano de 2022.

Enquanto a valorização da carteira da Mirae em 2022 foi de 5,9%, o IFIX teve uma variação de 1,4% no período.

O resultado positivo no mês de julho foi puxado por BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), que terminou o período com uma variação de 6,5%. Além disso, O fundo BRCO11 teve uma alta de 2,3%, enquanto o FII BTLG11 teve uma valorização de 1,0%.

A gestora atualizou a sua carteira para o mês de agosto, auxiliando os investidores na análise de quais fundos imobiliários investir. A composição da carteira é formada por 10 fundos imobiliários, com peso de 10% cada em relação à totalidade do portfólio. Veja quais são:

  • BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11)
  • Bresco Logística (BRCO11)
  • BTG Pactual Logística (BTLG11)
  • CSHG Logística (HGLG11)
  • BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11)
  • Mogno Fundo de Fundos (MGFF11)
  • RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11)
  • TRX Real Estate (TRXF11)
  • Vinci Shopping Centers (VISC11)
  • XP Malls (XPML11)

Cabe ressaltar que na comparação com o mês passado, o número de ativos e os fundos imobiliários escolhidos se mantiveram os mesmos.

O que a Mirae Asset espera sobre os diferentes segmentos de fundos imobiliários?

Para o setor de lajes corporativas de fundos imobiliários, A Mirae Asset diz que a pressão na vacância ainda pode dar continuidade no curto prazo, por conta da utilização do modelo de home office, que ainda vem sendo praticado.

Outro fator é o impacto da crise que vem sendo visto em alguns inquilinos. Esse cenário foi agravado pela alta relevante do IGP-M nos últimos períodos. A perspectiva da Mirae é de que o modelo de trabalho se torne misto, variando entre presencial e home office.

Esse modelo híbrido pode minimizar o pessimismo sobre o setor, uma vez que o trabalho misto pode ser uma tendência de ser cada vez mais adotada.

Apesar disso, a instituição continua otimista com o segmento de galpões de logística, fundos de fundos, recebíveis e espera uma recuperação nas vendas dos shoppings, que já vinham tendo crescimento ao longo do ano de 2021, o que pode beneficiar os fundos imobiliários do setor.