O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(01)‌ ‌em queda de -0,03%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.714,62 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ setembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,03%‌ ‌e‌ -5,41%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,15%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,61 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

ARCT11 desiste de aquisição e fecha acordo para nova compra de imóvel

A Riza Asset Management, gestora do Riza Arctium Real Estate (ARCT11), comunicou por meio de fato relevante nesta última sexta-feira (01) a desistência de compra de ativo no Rio Grande do Sul. Porém, o fundo fechou acordo para compra de outro imóvel da mesma vendedora.

A Riza Asset celebrou um Term Sheet Vinculante, o qual tinha por objeto a compra um imóvel localizado na Rodovia RST 377, KM 281 S/Nº,em São Francisco de Assis/RS, com área total de 50.000,00 m², da proprietária Granol. 

A Vendedora e a Gestora resolveram distratar o Primeiro TS mediante o pagamento pela Granol de parte dos custos da diligência jurídica e ambiental, referente ao acordo e à Operação, no montante de R$ 140.833,331. 

Porém, o ARCT11 e a vendedora celebraram um novo Term Sheet Vinculante, para operação de Sale & Leaseback de um imóvel localizado na rodovia BR-060, em Jataí/GO, com área total de 39.855,86 m² de propriedade da Granol. 

O montante total a ser desembolsado pelo ARCT11 para a aquisição do Imóvel corresponde ao valor de até R$ 20.000.000,00 limitado ao Valor de Venda Forçada, ainda sujeito a validação em laudo técnico realizado por terceiros. 

A Operação será acompanhada de um contrato de locação pelo prazo de 10 anos, a ser assinado assim que concluída a diligência, pelo qual a Vendedora se obriga a pagar ao fundo aluguel mensal de até R$ 158.333,33. De acordo com a gestão, este valor equivale a aproximadamente 0,8% a.m. sobre o valor de aquisição, representando R$ 0,10 por cota. 

A Operação será também revestida de uma opção de compra pela qual a vendedora poderá recomprar o imóvel, a partir do início de vigência do Contrato de Locação até seu termo final.

O Riza Arctium Real Estate é um fundo de tijolo (galpão) que tem como objetivo de comprar imóveis e alugá-los para o antigo proprietário por um período mínimo de 5 anos.

GGRC11 detalha sobre compra de novo imóvel para o fundo

A Zagros Capital Gestão de Recursos, gestora do fundo GGR Copevi Renda (GGRC11), informou aos cotistas nesta última sexta-feira (01) sobre a compra de novo imóvel para seu portfólio. 

Em 26 de agosto de 2021, o Fundo assinou o Instrumento Particular de Compromisso de Venda e Compra de Imóvel (CVC) com o fundo RB Capital, cujo objeto foi a aquisição do imóvel localizado em Valinhos-SP. O valor da aquisição seria pelo valor de R$ 17.500.000,00. 

No Imóvel será edificado um galpão industrial para a Eagleburgmann do Brasil, nos termos do contrato de locação atípico na modalidade built-to-suit (BTS) firmado em 28 de outubro de 2020. 

Diante disso, o fundo realizou o pagamento da 1ª parcela do preço de aquisição, no valor de R$ 10.123.750,00, equivalente à 57,85% do valor de aquisição do Imóvel. 

Sendo assim, a partir da presente data, o GGRC11 passará a receber do vendedor o valor de R$ 64.758,11 à título de prêmio de locação, cujo primeiro pagamento ocorrerá até 08 outubro de 2021. O retorno para o fundo pelo conceito de Cap. Rate será de 7,68% a.a

Segue abaixo a tabela exemplificativa, apenas para fins de projeção, do valor do rendimento do fundo com a aquisição do Imóvel, considerando o prêmio de locação: 

GGRC11

O GGR Copevi Renda tem como objetivo a realização de investimentos em imóveis comerciais, predominantemente no segmento industrial e logístico, com a finalidade de locação atípica (built to suit, sale and leaseback ou retrofit) ou venda, desde que atendam aos critérios e à política de investimento do Fundo descritos no regulamento.

IBFF11 informa resultados e rendimentos do mês

O FII Integral BREI Fundo de Fundos (IBFF11), gestado pela Integral Brei Real Estate, divulgou nesta sexta-feira (01) o seu relatório gerencial do mês de agosto, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais. Além disso, a gestão explicou a movimentação de sua carteira no período. 

A gestão do IBFF11 optou por distribuir R$ 333 mil em rendimentos ou R$ 0,50 por cota. Além dissou, a gestora destacou que o fundo possui reserva de lucro em caixa no montante de R$ 0,54 por cota. Com isso, a previsão da gestão é de linearizar os próximos rendimentos em torno de R$ 0,50. Confira abaixo:

IBFF11

Desta forma, o IBFF11 distribuiu R$ 5,39/cota nos últimos 12 meses, ou 8,19% de dividend yield. Desde o início foram distribuídos R$ 10,90 por cota, uma média mensal de 0,45/cota em dividendos, representando um dividend yield anualizado de 7,97%. 

A gestão explicou que a cota do IBFF11 fechou o mês de agosto com um deságio de 14,97%, considerando o desconto da carteira de 22,2%, o duplo deságio seria de aproximadamente 33,9%. 

Na explicação da gestora, comprando R$ 100 do IBFF11, o cotistas estaria adquirindo, na verdade, R$ 150 em valor patrimonial, atualmente. Este deságio é explicado pelos fundos de lajes corporativas que compõem a carteira do fundo.

Confira abaixo o perfil do fundo e sua alocação por segmentos do mercado:

IBFF11

Por outro lado, a gestão destacou que a melhora dos rendimentos de FIIs em carteira foi impulsionado pelo fundo de CRI IBCR11 e uma melhora na distribuição dos FIIs de shoppings. 

O resultado de rendimentos de FIIs fechou em R$ 294 mil, 4% superior a julho. A elevação se deu por conta, principalmente, dos rendimentos dos recentes fundos de recebíveis adquiridos e do aumento dos rendimentos de shoppings. 

Também, o IBFF11 apresentou uma receita de ganho de capital de R$ 6 mil líquido de imposto de renda. 

Movimentação da carteira do fundo

Desta maneira, o fundo fechou o mês de agosto com uma receita de ativos imobiliários de R$ 300 mil e um resultado de R$ 247 mil. A expectativa da gestão, no curto e médio prazo é de constante aumento dos rendimentos dos FIIs de shoppings até patamares próximos aos anteriores à pandemia. 

No setor corporativo, a gestão acredita que ainda há um pequeno aumento potencial referente às atualizações de preços dos contratos e possibilidade de novos aluguéis conforme a procura vem aumentando nas principais regiões. 

O destaque positivo, mais uma vez, fica com o FII de CRI IBCR11, que apresentou dividendos de R$ 0,95 por cota, o que representou R$ 42,5 mil de receita para o fundo, sendo hoje a maior posição do IBFF11. 

O IBCR11, atualmente está 97% alocado em 8 operações que apresentam taxa média de IPCA + 8,96%. 

O FII Integral BREI Fundo de Fundos Imobiliários tem como objetivo principal auferir rendimentos e ganho de capital com a aquisição de cotas de outros Fundos de Investimento Imobiliário, bem como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras Hipotecárias (LH) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).