O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ sexta-feira‌‌‌ ‌‌‌(04)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de‌‌ -0,01%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.741,72 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌0,02%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-2,24%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

KNCR11 mostra resultados e comenta sobre aumento de rendimentos

O Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), representado por sua gestora Kinea Investimentos, comunicou nesta última sexta-feira (4) os resultados do fundo no mês de fevereiro. Somado a isso, a gestão comentou sobre o aumento da taxa selic e sua perspectiva de aumento de rendimentos para os próximos meses. 

A gestora anunciou que os rendimentos referentes a fevereiro são de R$ 0,83 por cota, o que representa uma rentabilidade equivalente a 107% da taxa DI, isenta do imposto de renda para pessoas físicas. 

KNCR11 fiis

Além disso, a gestão disse que o dividendo de fevereiro tende a ser menor por causa do baixo número de dias úteis do mês. 

Deste modo, no fim do mês passado, o KNCR11 apresentava alocação, em relação ao seu patrimônio, de 106,2% em CRI e 5,1% em instrumentos de caixa. 

Aumento da taxa selic

A gestora comentou sobre o recente aumento da taxa Selic pelo Banco Central, saindo de de 9,00% para 10,25% ao ano. Neste ponto, a gestão espera que a taxa básica de juros alcance o valor de 12,5% ainda em 2022. 

Portanto, a gestora disse que o KNCR11 poderá obter rendimentos mais elevados nos próximos meses, haja vista que seus ativos são indexados ao CDI. Por esses motivos, a equipe de gestão aproveitou a alta da Selic para vender algumas operações da carteira que possuíam spreads mais baixos. 

Operações compromissadas

Adicionalmente, o KNCR11 realizou de forma provisória algumas operações compromissadas reversas lastreadas em CRIs. Na visão da gestão, essas operações permitem uma alocação maior de recursos em CRI, o que contribui para aumentar o retorno do fundo.

De forma complementar, as operações compromissadas reversas proporcionam maior flexibilidade e velocidade de alocação dos recursos das emissões de cotas. Essas operações têm longo prazo de vencimento. Atualmente o fundo possui aproximadamente, 10% do PL nas referidas operações. 

O Kinea Rendimentos Imobiliários é um fundo do tipo papel, com portfólio dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa de natureza Imobiliária, especialmente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) de baixo risco.

KNIP11 informa resultados e mostra nova operação de compra

O FII Kinea Índices de Preços (KNIP11), administrado pela Intrag DTVM Ltda e gestado pela Kinea Investimentos, divulgou nesta sexta-feira (4) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados, assim como aquisição de CRI para sua carteira.

Os dividendos referentes a fevereiro serão de R$ 1,08 por cota e representam uma rentabilidade, isenta do imposto de renda para as pessoas físicas, de 1,03%. Veja:

KNIP11

Ao fim de fevereiro, o KNIP11 apresentava alocação, em relação ao seu patrimônio, de 107,1% em ativos-alvo e 1,1% em instrumentos de caixa que serão destinados a novas operações. 

Em fevereiro, o fundo realizou um novo investimento de aproximadamente R$ 40,0 milhões no CRI Shopping Pátio Roraima a uma taxa de IPCA + 7,65%

O objetivo do Kinea Índices de Preços é manter um portfólio dedicado ao investimento em ativos de renda fixa de natureza imobiliária. Mas o foco principal, neste caso, são os Certificados de Recebíveis Imobiliários.

TRXF11 informa resultados e comenta indicadores de Assaí e Pão de Açúcar

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última sexta-feira (4) os resultados de fevereiro. Além disso, a gestora comentou sobre o balanço do Assaí e do Grupo Pão de Açúcar, seus principais inquilinos. 

Deste modo, o fundo informou a distribuição de R$ 0,80 por cota. Esse valor representa um dividend yield anualizado de 9,52%, enquanto a cota de fechamento do mês foi de R$ 100,84. Confira:

TRXF11

A gestora lembrou que desde o início das negociações das cotas do TRXF11 na B3, a rentabilidade total do fundo é de +18,29%, contra -12,15% do IFIX, diferença de +30,45% neste período. No cálculo da gestão, os dividendos e a valorização das cotas são computados na valorização do período.

Além disso, a rentabilidade total do TRXF11 neste ano é de 1,36%, enquanto o IFIX apresenta variação de -2,27%, diferença de +3,63%. No mês de fevereiro, as cotas do TRXF11 negociadas no mercado secundário desvalorizaram -0,16%, enquanto o IFIX desvalorizou -1,29%. 

Resultados do Grupo Pão de Açúcar e Assaí: os principais inquilinos do fundo

Além dos resultados do fundo, a gestora comentou sobre os resultados do Grupo Pão de Açúcar e do Assaí. Confira abaixo:

TRXF11

Neste aspecto, a gestão do TRXF11 comentou de forma otimista sobre a resiliência das duas empresas, que cresceram em 2021, apresentando melhores indicadores financeiros fechando o ano com baixo patamar de alavancagem. 

Fatos relevantes para o TRXF11

Sobre o fundo TRXB11, a gestora lembrou que foi aprovada sua 2ª Emissão de Cotas. Desta forma, o TRXF11, maior cotista e controlador do TRXB11, exercerá seu direito de preferência na totalidade, que representa 7,63% das cotas detidas pelo fundo citado. 

Além disso, o fundo disse que no dia 4 de fevereiro, a loja Assaí Porto Velho/RO foi inaugurada. O imóvel foi adquirido pelo TRXF11 em setembro, ainda em fase de construção, possibilitando a criação de mais de 290 vagas de empregos diretos na capital de Rondônia.

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento e da venda de imóveis locados preferencialmente para grandes empresas com contratos de longo prazo.