O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quarta-feira‌‌‌ ‌‌‌(6)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ alta de 0,17%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.789 pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ julho ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -0,25 ‌‌‌e‌‌‌ -0,57%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌

Em resumo, BRCO11 anuncia rescisão do contrato de locação com inquilino, enquanto o TRXF11 comenta sobre rentabilidade e dividendos recordes no mês

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

BRCO11 anuncia rescisão do contrato de locação com empresa; entenda o caso

O fundo imobiliário Bresco Logística (BRCO11) divulgou ao mercado nesta quarta-feira (6) uma notificação da B2W, informando a decisão de rescindir seu contrato de locação de imóvel.

A rescisão antecipada do contrato de locação tinha como objeto um espaço de 25.487,73 metros quadrados, referente ao imóvel Bresco Resende.

O contrato tinha sido assinado entre o FII Bresco Logística e a B2W em maio de 2021. O prazo de locação era de 36 meses e representa 3,5% da receita mensal de aluguel do fundo imobiliário BRCO11, equivalente a R$ 0,03 por cota.

Esse contrato tem um aviso prévio mínimo de 6 meses para a desocupação do imóvel. Do mesmo modo, ele inclui o recebimento de indenização que corresponde a 6 vezes o valor do aluguel vigente.

O valor do aluguel era reajustado pela variação positiva do IPCA, que ocorria de maneira proporcional ao restante do prazo do contrato do fundo BRCO11. 

O fundo Bresco Logística tem um total de 11 propriedades, com cerca de 446 mil metros quadrados de ABL. Até então, o BRCO11 tinha sua vacância física zerada, algo que tem a possibilidade de mudar com a atual rescisão de contrato de aluguel com a B2W.

TRXF11 comemora rentabilidade e dividendos maiores

O FII TRX Real Estate (TRXF11), destaca que sua rentabilidade total do TRXF11, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é maior que do IFIX. Além disso, nesta última quarta-feira, o fundo mostrou seus dividendos maiores e comentou sobre emissão de cotas.

Desde 2019, ano que o fundo foi fundado, a rentabilidade do TRXF11 é de 19,53%, enquanto o IFIX caiu -10,41%. Ou seja, uma diferença de 29,94% neste período. 

Em 2022, ano difícil para os fundos imobiliários que seguem com suas cotas pressionadas, a rentabilidade total do fundo é de 2,42%, garante a gestora. Por outro lado, o IFIX segue com variação negativa, marcando 0,33% no ano. A diferença é de +2,75%. 

Já no mês de junho, as cotas do TRXF11 se desvalorizaram -0,43% no mercado secundário, enquanto o IFIX desvalorizou -0,88%.

Referente aos resultados de junho, os dividendos do TRXF11 foram de R$ 1,05 por cota, o equivalente a um dividend yield anualizado de 12,81% sobre a cota de fechamento do mês de R$ 98,38. 

O TRXF11 distribuiu R$ 7.607.048,40 aos seus cotistas, sendo esse um recorde histórico, diz a gestora, tanto em relação ao valor total de distribuição, quanto em relação ao valor por cota. 

Na verdade, o fundo distribuiu menos que seus resultados, sendo que os rendimentos estão maiores por causa do caixa acumulado do semestre.

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento e da venda de imóveis locados preferencialmente para grandes empresas com contratos de longo prazo.